Efeito de Bohr

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Março de 2011). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Efeito de Bohr é a nomenclatura utilizada para designar a tendência do oxigênio de deixar a corrente sanguínea quando a concentração de dióxido de carbono aumenta. Essa tendência facilita a liberação de oxigênio da hemoglobina para os tecidos e aumenta a concentração de oxigênio na hematose. Junto com o efeito de Haldane, que é a facilitação da eliminação de CO2, o efeito Bohr é um dos grandes reguladores de concentrações gasosas no sangue.

Nos tecidos não-alveolares, o sangue recebe CO2 formado nos processos metabólicos desses tecidos. Dentre outros fatores, isso ocorre devido a pressão parcial do gás carbônico ser maior no interior das células desses tecidos do que no sangue dos capilares, permitindo assim sua passagem, isto é, a hemoglobina, mesmo que com maior afinidade pelo O2 dissocie-se do mesmo para ligar-se ao CO2 formado pelos processos metabólicos das células. Essa liberação de oxigênio aumenta sua disponibilidade para os tecidos.

O contrário ocorre nos pulmões: quando o CO2 passa pelos alvéolos, a quantidade de O2 que se liga a hemoglobina aumenta, facilitando a entrada desse gás e sua futura distribuição.[1]

Referências

  1. Guyton, Arthur C.; Hall, John E.; Tratado de Fisiologia Médica 11ª edição; Tradução de Bárbara de Alencar Martins et al. - Rio de Janeiro: Elsevier, 2006