Ventilação mecânica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Uma máscara de ventilação

Na medicina, a ventilação mecânica é o método de substituição da ventilação normal. A ventilação mecânica pode salvar vidas e é usada na ressuscitação cardiopulmonar, medicina de tratamento intensivo, e anestesia. Em muitas situações o organismo é incapaz de manter o ciclo respiratório, que é representado pelo processo de inspiração e expiração. Dentro dos pulmões o oxigênio é transportado dos alvéolos para as hemácias, presentes nos capilares pulmonares, através da difusão. O sangue, "rico" em oxigênio chega até o átrio esquerdo pelas veias pulmonares e, em seguida, passa para o ventrículo esquerdo, sendo posteriormente ejetado pela sístole ventricular até os tecidos, mantendo a oxigenação tecidual. A ventilação mecânica corresponde a instituição de pressão positiva nas vias aéreas permitindo, de forma artificial, que o indivíduo mantenha os ciclos ventilatórios. É um método de substituição de função vital, sendo útil como um auxílio ao tratamento de algumas doenças. Também apresenta uma série de complicações, sendo a principal a infecção respiratória (PAV - Pneumonia associada a Ventilação Mecânica).

Parâmetros Ventilatórios[editar | editar código-fonte]

  • Tempo inspiratório: 0.8 á 1.2 seg.
  • Tempo expiratório: 4 á 2 seg.
  • Relação: I:E = 1:2
  • Frequência: 12irpm (incurções respiratórias por minuto)
  • Fluxo: 40 a 60 L/min
  • VC: 6 a 8ml/kg corrigido
  • Pressão inspiratória = 10 a 25 cmH2O
  • Pressão expiratória = PEEP (fisiológico 5cmH2O)
  • Fração inspirada de O2: Fio2 de 21 a 100%
  • Sensibilidade: de -0,5 a -2,0 cmH2O ou 4 a 6 L/min

Disparo do Ventilador[editar | editar código-fonte]

  • Disparo a tempo
  • Disparo a pressão
  • Disparo a fluxo

Ciclagem do Ventilador[editar | editar código-fonte]

  • Ciclagem a volume

Neste modo de ciclagem o final da fase inspiratória é determinado pelo valor de volume corrente ajustado. Há um sensor no aparelho que detecta a passagem do volume determinado e desliga o fluxo inspiratório. A pressão inspiratória não pode ser controlada e depende da resistência e da complacência do sistema respiratório do paciente, de modo que este tipo de ventilação pode provocar barotrauma. Ao mesmo tempo, este tipo de ventilação é bastante segura uma vez que garante o volume corrente para o paciente, principalmente para aqueles em que se deve fazer um controle rigoroso da PaCO2, como nos pacientes portadores de hipertensão intracraniana.

  • Ciclagem a pressão

A fase inspiratória é determinada pela pressão alcançada nas vias aéreas. Quando o valor predeterminado é alcançado interrompe-se o fluxo inspiratório, independente do tempo inspiratório ou do volume utilizado para se atingir esta pressão. Desta forma, este tipo de ventilação também não garante um volume corrente adequado e pode ser ineficaz caso haja grandes vazamentos de ar como nos casos de fístulas bronco-pleurais. Os ventiladores ciclados a pressão são representados pela série Bird-Mark 7, 8 e 14, possuindo como vantagens o fato de não dependerem da eletricidade e serem pequenos e leves facilitando seu uso nos transportes de pacientes.

  • Ciclagem a tempo

A transição inspiração/expiração ocorre de acordo com um tempo inspiratório predeterminado, não importando as características elástico-resistivas do sistema respiratório do paciente. Normalmente os aparelhos ciclados a tempo são limitados a pressão, ou seja, existe uma válvula de escape impedindo altos níveis de pressão inspiratória. Os ventiladores infantis e aqueles com ventilação com pressão controlada possuem este tipo de ciclagem. Deve-se ressaltar que este tipo de ciclagem não garante o volume corrente, sendo este uma resultante da pressão de escape aplicada, da complacência e do tempo inspiratório programado.

  • Ciclagem a fluxo

Neste tipo de ciclagem, o tempo inspiratório é interrompido quando o fluxo inspiratório cai abaixo de um valor pré-ajustado como foi descrito na ventilação com pressão de suporte. Neste tipo de ciclagem, o paciente exerce total controle sobre o tempo e fluxo inspiratórios e sobre o volume corrente.

Modos Ventilatórios[editar | editar código-fonte]

  • Controlado
  • Assistido/Controlado(AC)
  • Espontâneo

Modalidade Ventilatória[editar | editar código-fonte]

  • Ventilação com Volume Controlado
  • Ventilação com Pressão Controlada
  • Ventilação com Pressão de Suporte
  • Ventilação Mandatória Intermitente Sincronizada(SIMV)
  • CPAP
  • BIPAP

Veja também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Medicina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.