Esforço de guerra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde junho de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Durante a 2ª Guerra Mundial, as mulheres tiveram de preencher posições de trabalho antes ocupadas por homens.

Em política e planejamento militar, esforço de guerra refere-se a uma mobilização social coordenada de recursos industriais e humanos visando o suporte de uma força militar. Dependendo da militarização da cultura, o tamanho relativo das forças armadas, o estilo de governo e o suporte popular aos objetivos militares, tal esforço de guerra pode abranger de uma pequena indústria ao comando completo da sociedade.

O conceito não era usado amplamente até o século XIX, quando os líderes da Revolução Francesa chamaram pelo levée en masse e uma mobilização geral da sociedade para impedir as forças monarquistas de reivindicar o controle do governo francês. O conceito foi posteriormente adaptado e usado por Prússia, Grã-Bretanha e Estados Unidos, especialmente durante a Primeira e Segunda Guerras Mundiais. O termo "esforço de guerra" foi criado em conjunção com esses empenhos.

Embora certas sociedades, especialmente invasores nômades e povos de cavalaria móvel como os mongóis, se caracterizassem por fornecer esforço de guerra como suporte aos seus exércitos, a idéia de um "esforço de guerra" que desvia provisões, meios de produção e pessoas para o suporte militar entrou em uso geral apenas com a aumentada especialização da Revolução Industrial. Anteriormente, a maior parte das provisões militares foram ou elementos comuns da economia (comida, roupa, cavalos, pólvora) ou instrumentos específicos produzidos somente para objetivos de guerra por indústrias dedicadas à tarefa (principalmente armas e transportes). O uso passageiro de elementos de tempo de paz da sociedade e economia para usos de guerra tornou-se importante devido à escassez de força de trabalho (por causa do grande tamanho de exércitos) e materiais especializados usados para a produção de guerra (borracha, alumínio, aço, etc.). As complexas decisões envoltas na conversão ao uso de guerra também exigiram organização e burocracia; o termo "esforço de guerra" foi criado para descrever essas tarefas coletivas. Implícito no conceito de "esforço de guerra" foi que se esperou que a sociedade inteira contribuísse de algum modo; isto serviu ao objetivo duplo de elevar a conservação de recursos bem como o moral.