Esna

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde janeiro de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Esna

Location of Esna

Point rouge.gif
Fachada do templo de Khnum.
Posição do templo em relação ao nível da rua.

Esna é uma cidade do Egipto localizada na margem ocidental do rio Nilo, a cerca de 55 quilómetros a sul de Luxor.

A cidade na Antiguidade[editar | editar código-fonte]

No Antigo Egipto, Esna recebia o nome de Iunyt ou Ta-senet; os gregos deram-lhe o nome de Latópolis, relacionado com o facto de ali se adorar o peixe perca (Lates niloticus). Este peixe era abundante nesta parte do Nilo na Antiguidade, figurando em várias esculturas da deusa Neit. Na zona ocidental da cidade existia mesmo um cemitério onde se enterrava o peixe sagrado.

O nome egípcio Ta-senet deu origem à Sne na língua copta, que por sua vez esteve na origem de Isna em árabe, actual nome da localidade. Durante o período grego e romano esta cidade foi capital do III nomo do Alto Egipto.

Templo de Esna[editar | editar código-fonte]

No centro de Esna, a cerca de duzentos metros do rio, encontra-se um templo dedicado ao deus Khnum, à deusa Neit e ao deus Heka, bem como a outras divindades menores. Devido à acumulação de sedimentos, o templo está agora a nove metros abaixo do nível da rua. A estrutura actual data da época greco-romana, mas foi construída sobre alicerces mais antigos que datam do tempo do rei Tutmés III da XVIII Dinastia.

O templo teria um passeio cerimonial que o ligava a um dos cais da cidade (onde ainda se podem ver os cartuchos de Marco Aurélio) bem como ligações a outros templos. Quer o passeio quer os outros templos foram destruídos.

Deste templo conservou-se apenas uma sala hipóstila. O muro ocidental desta sala tem representações dos reis Ptolomeu VI e Ptolomeu VII. A sala hipóstila está decorada como baixos-relevos dos séculos I a III d.C., que representa deuses e o faráo a atirar um rede sobre pássaros. As colunas contêm inscrições relativas às festas relativas ao ano sagrado de Esna.