Faculdade de Ciências da Administração de Pernambuco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Faculdade de Ciências da Administração de Pernambuco - FCAP (Página Oficial) compõe a Universidade de Pernambuco, sucessora da antiga Fundação de Ensino Superior de Pernambuco - FESP, instituição de ensino superior do sistema púbilco estadual de ensino.

História[editar | editar código-fonte]

O início da Faculde de Ciência da Administração - FCAP foi numa sala de aula do prédio da Universidade Católica de Pernambuco, em 1965. Dois anos depois, passou a ocupar um antigo prédio da Escola Técnica Federal na Conde da Boa Vista e, finalmente, em 1974, foi inaugurada sua sede na Avenida Abdias de Carvalho, na Madalena, onde está até hoje.

O primeiro Diretor da FCAP foi o Prof. Clélio Lemos, sendo vice-diretor o Prof. João Coutinho Cabral de Mello. Ambos, junto a Lêucio Lemos são considerados os fundadores da FCAP. De 2002 a 2009, a FCAP foi administrada pelos professores Arandi Maciel Campelo e Osvaldo Cabral de Mello Neto (filho de João Coutinho). Atualmente é administrada pelo Prof. Arandi Maciel Campelo Diretor e Profª. Maria da Salete de Oliveira Câncio, vice-diretora. As eleições diretas na FCAP acontecem a cada quatro anos, quando votam alunos, professores e funcionários.

Ao longo de sua existência, a FCAP vem conquistando posição de destaque nacional entre os cursos de Administração de Empresa no País.

Foi escolhida entre os 10 primeiros cursos de Administração destaque pelo MEC(Ministério de Educação).

No primeiro semestre de 2001, foi a única instituição pública estadual de ensino apontada na publicação "O que podemos aprender com os cursos 6A?", da editora Makron Books, sobre os 13 melhores cursos de Administração no Brasil, todos com Conceito 5A. Consolidou o intercâmbio com universidades da Espanha e de Portugal, realizando o Seminário "Gestão do Conhecimento: Novos Modelos Gerenciais e Tecnológicos do Século XXI", com a participação de dois mestres de Portugal. Também promoveu um curso de pós-graduação, em Gestão de Turismo, com o professor Manoel Salgado, do Instituto Politécnico da Guarda.

A preocupação com o ensino é uma constante na FCAP. Além do alto nível dos docentes, a Faculdade investe periodicamente em infra-estrutura física e tecnológica. Hoje, todas as salas de aula da Graduação, são climatizadas, existe computador e equipamentos de multimídia.

Todos esses investimentos resultam na qualificação dos alunos formados pela Faculdade e essa realidade está no mercado local e nacional. Pelas salas de aula da FCAP, já passaram profissionais que hoje atuam com destaque tanto na administração pública quanto privada.

Graduação[editar | editar código-fonte]

Responsável pelo curso de Administração, em nível de graduação (3° Grau), com duração mínima de 9 semestres e máxima de 16 semestres, possui hoje cerca de 952 alunos matriculados e oferece 240 vagas anuais para o vestibular (diurno: 60, noturno: 60) Seu corpo docente é composto por cerca de 50 professores.

Centro de Estágio[editar | editar código-fonte]

O Centro de Estágio é constantemente procurado por empresas interessadas e tem recebido uma boa demanda de empresas interessadas nos alunos da Graduação. Existe uma demanda de empresas para o aluno de administração da FCAP, por causa do nível de ensino e do nome que a instituição representa no mercado. Para essas empresas, o Centro dispõe de um Banco de Dados dos Alunos que pode se inscrever a partir do 1° período. Só que esses não são estágios supervisionados. Os estágios passam a ser supervisionados, valendo como disciplina, a partir do 6° período, quando o aluno paga a cadeira estágio 1 e 2, teoria e prática, esta correspondente a 480 horas/aulas. Desde 1983, foi criada também a "Equivalência de Estágio", para alunos que comprovarem que atuaram ou atuam em empresas num período mínimo de seis meses.

Pós-Gradução[editar | editar código-fonte]

A FCAP, em 2006, obteve a recomendação para o seu primeiro Mestrado pela CAPES (na reunião do CTC de fevereiro de 2006). Trata-se do Mestrado em Gestão do Desenvolvimento Local Sustentável (GDLS), cujas informações mais detalhadas podem ser obtidas no site da Pós-graduação da Faculdade (http://www.educacao.adm.br/site.php?p=pg_mestrado).

Anualmente, passam pela FCAP, através da pós-graduação lato sensu, cerca de 600 a 700 alunos divididos em 17 cursos de especialização, contando com 80 professores contratados por ano letivo.

Extensão[editar | editar código-fonte]

A Coordenadoria de Extensão tem por finalidade promover atividades e cursos no sentido de qualificar, aperfeiçoar e aprofundar conhecimentos a cerca dos processos administrativos de estudantes e profissionais de diversas áreas de atuação, dando-lhes uma visão ampla dos condicionamentos técnicos e sócio-culturais, além da capacidade de analisar situações enfrentadas no dia-a-dia, criando novos campos de atuação, avaliando suas experiências de vida pessoal e profissional, dessa forma, incrementando seu processo de evolução como ser humano integral em conformidade com paradigmas de desenvolvimento social em constante mudança. Busca a inovação, antecipa tendências e responde de forma rápida e criativa às necessidades da comunidade, propondo ações no sentido de uma visão integrada, viabilizando uma relação transformadora com a sociedade.

Núcleo do Terceiro Setor - NTS[editar | editar código-fonte]

Criado em fevereiro de 2004, é um órgão vinculado à Coordenadoria de Extensão da faculdade.

Com a falência do Estado (primeiro setor), o setor privado (segundo setor) começou a ajudar nas questões sociais, através das inúmeras instituições que compõem o chamado terceiro setor. Ou seja, o terceiro setor é constituído por organizações sem fins lucrativos e não governamentais, que tem como objetivo gerar serviços de caráter público.

Ser um referencial para outros núcleos acadêmicos, instituições e empresas no que diz respeito a estudos, pesquisas, seminários, cursos e trabalhos voltados para o terceiro setor e a responsabilidade social.

Tem como missão incentivar, orientar e desenvolver processos e ações, por meio da profissionalização da gestão de instituições sem fins lucrativos, visando contribuir para a melhoria dos profissionais deste segmento e facilitar o surgimento de parcerias com empresas públicas e privadas e o reconhecimento da sociedade em geral.

Áreas de atuação:

  • Ensino
Promover cursos e seminários no programa de extensão voltado para a Gestão de Instituições Sem Fins Lucrativos
Viabilizar intercâmbios nacionais e internacionais para a melhoria da capacitação de professores, profissionais e estudiosos do Terceiro Setor
Disponibilizar livros e periódicos sobre o Terceiro Setor na biblioteca da FCAP
  • Pesquisa
Efetuar e colaborar em pesquisas sobre o Terceiro Setor, contribuindo com a divulgação deste segmento
  • Consultoria
Realizar projetos de consultoria para Organizações do Terceiro Setor
Auxiliar na elaboração de projetos sociais para os setores público e privado, colaborando para o crescimento da responsabilidade social no país
Implantar e/ou auxiliar na implantação do Balanço Social (modelo Ibase) e dos Indicadores Sociais (modelo Ethos), bem como da SA 8000 nas empresas públicas e privadas
Disponibilizar para Organizações do Terceiro Setor consultorias nas áreas administrativa, financeira, organizacional, recursos humanos, comunicação e marketing, elaboração de projetos e mobilização de recursos, contribuindo assim para o fortalecimento institucional e continuidade destas organizações
  • Treinamento
Desenvolver programas de capacitação e treinamento de gestores e colaboradores de Organizações do Terceiro Setor
Promover palestras, seminários e workshops, sobre o Terceiro Setor e Responsabilidade Social Empresarial, contribuindo para a divulgação mais extensa destes temas com o intuito de estimular o debate entre todos os segmentos da sociedade, mostrando a grande importância que eles tem para a construção de uma base social mais justa e solidária

Pesquisa[editar | editar código-fonte]

Com o intuito de incentivar projetos de pesquisas para alunos e professores da FCAP, o Programa de Iniciação Científica que disponibiliza uma bolsa de um salário mínimo para os alunos da graduação, sob orientação de professor da FCAP. Os trabalhos desenvolvidos pelos alunos são publicados na Revista do Programa de Iniciação Científica e os trabalhos dos professores na Revista de Ciências da Administração, ambas com circulação semestral.A Coordenadoria também desenvolve pesquisas institucionais como a avaliação de alunos egressos da graduação e da pós-graduação.

Núcleo de Gestão da Informação - NGI[editar | editar código-fonte]

Vinculado à Coordenadoria de Pesquisa da faculdade, propõe-se a levar para o mercado e para a sociedade de uma forma geral, o conhecimento produzido na universidade. A intenção deste núcleo é de adequar a produção acadêmica às necessidades do mercado, fazendo com que o conhecimento não fique apenas na universidade.

Tem como missão promover a interação Universidade-Empresa no setor de Gestão da Informação, viabilizando a aplicabilidade do conhecimento acadêmico às necessidades da sociedade.

Áreas de atuação:

  • Pesquisa Acadêmica
O NGI atua como um instrumento de incentivo e apoio à pesquisa científica, procurando fazer desta um subsídio prático para a realidade empresarial de Pernambuco na área de Gestão da Informação.
Atualmente, o NGI apoia cinco pesquisas de iniciação científica envolvendo as mais diversas áreas da Gestão da Informação – GI (E-learning, ERP, Comércio Eletrônico, G.I em empresas graduadas de processos de incubação e Sistemas de informação Gerenciais em hospitais). Tais pesquisas envolvem 9 pesquisadores e 5 professores da FCAP.
  • Pesquisa de Mercado
O NGI desenvolve projetos e pesquisa aplicada na área de Gestão da Informação, visando principalmente as micro e pequenas empresas de Pernambuco atuantes no ramo de Tecnologia da Informação e Comunicação, como também, as que tenham interesse na área.
Vale ressaltar que, nada mais conciliador do que um NGI inserido numa Faculdade de Administração, para dar suporte às empresas ligadas ao setor de TI em pesquisas e projetos com uma visão administrativa.
  • Inclusão Social
O NGI também se propõe a atuar junto à sociedade, através de ações de inclusão social das camadas menos favorecidas. Sabe-se que vivemos em um país marcado por desigualdades, onde uma maioria pobre não tem acesso adequado aos direitos básicos. No atual cenário da Economia da Informação, essa camada passa a não ter acesso também à informação, à tecnologia da informação e a todas as oportunidades e benefícios que estão em volta delas.
Diante disso, o NGI realiza ações de inclusão social, voltadas especialmente para o acesso à informação e à tecnologia da informação. A intenção é realizar vários tipos de atividades nesse sentido, envolvendo toda a comunidade acadêmica. Esta é uma das formas do núcleo cumprir sua missão e também corrobora a função social da universidade como um todo.

Núcleo de Pesquisa em Economia do Setor Público - NUPESP[editar | editar código-fonte]

Voltado basicamente para as questões relativas ao gasto e ao financiamento público, o grupo tem sede na Faculdade de Ciências da Administração - FCAP e conta com apoio do CNPq e da FACEPE.

Linhas de pesquisa:

  • Tributação de mercadorias e serviços, federalismo e desigualdades regionais
  • Setor público na esfera municipal no Brasil

Relacionadas com essas linhas de investigação, o grupo desenvolve pesquisas sobre tributação no Brasil, em especial sobre o consumo, e sobre governo no nível municipal. O NUPESP mantém permanente intercâmbio com técnicos da Secretaria da Fazenda do Estado de Pernambuco para realização de pesquisas e acesso a tabulações especiais oriundas dos registros administrativos dos contribuintes do ICMS. Desenvolve também intercâmbio com técnicos de outras Secretarias de Fazenda e com a Comissão Técnica Permanente do ICMS (COTEPE).

Núcleo de Gestão Ambiental - NGA[editar | editar código-fonte]

Criado em Fevereiro de 1999, é um organismo vinculado à vice-diretoria da faculdade, tendo como objeto inserir na formação acadêmica dos gestores e empreendedores a gestão ambiental nas tomadas de decisão, visando ao atendimento das crescentes demandas da sociedade que exigem modelos de gestão abrangentes, matriciais e sistêmicos, na perspectiva do desenvolvimento sustentável.

Biblioteca Lêucio Lemos[editar | editar código-fonte]

FCAP JR. Consultoria - Empresa Júnior de Consultoria Organizacional

Fundada em 1989, a FCAP JR. Consultoria atua no mercado há 22 anos, desenvolvendo projetos de consultoria em gestão junto às empresas do estado de Pernambuco. Durante estes anos de consolidação, a empresa já obteve inúmeros resultados positivos, aumentando assim, a competitividade de seus clientes.

A consultoria, com um olhar externo e especializado, identifica e propõe soluções para problemas por vezes não tão claros a quem está dentro da empresa. A FCAP JR. Consultoria, sempre com foco nos resultados, prima pela eficácia, inovação e aplicabilidade de seus projetos. Não tendo fins lucrativos e sendo isento da maioria dos impostos, o investimento com os seus projetos é abaixo da média do mercado.

A FCAP JR. Consultoria, inserida no meio universitário e atrelada à Faculdade de Ciências da Administração de Pernambuco da UPE, está sempre atualizada às novas teorias administrativas e tendências do mercado. Além disso, em todos os projetos, os membros recebem auxílio e orientação de profissionais especializados, parceiros da empresa.

Serviços customizados, qualidade reconhecida, visão de mercado. É a FCAP JR. Consultoria potencializando forças e identificando oportunidades para encontrar a solução ideal para os seus clientes, satisfazendo e capacitando seus membros.

Escola do Recife[editar | editar código-fonte]

Fundada em 14 de agosto de 1984, é unidade organizacional da Faculdade de Ciências da Administração de Pernambuco, contando com 405 alunos (dados de 2002), divididos entre os ensinos Fundamental, Médio e Pós-Médio.

Hoje ela ocupa posição de destaque no sistema educacional de Estado de Pernambuco, promovendo, em alto nível, o Ensino fundamental, a partir da 5 ª série, Ensino Médio e Técnico em Administração (pós-médio), utilizando a estrutura física da FCAP como as salas de aula, sala de vídeo, anfiteatro, biblioteca, sala de leitura, laboratório de informática e artes, auditórios e cantina.

Devido à grande concorrência, a Escola do Recife apenas disponibiliza uma média de 30 vagas anuais para a 5ª série do ensino Fundamental e 80 vagas, em duas entradas, para o Curso Técnico em Administração. As inscrições para as provas acontecem a partir de setembro.

  • Corpo Docente
Professores da Escola do Recife/FCAP-UPE
Professores da Secretaria de Educação do Estado de [Pernambuco], à disposição através de convênios
Professores contratados na qualidade de prestadores de serviço
  • Acesso à Escola
O acesso à escola, se dá através de exames seletivos públicos para a 5ª série do Ensino Fundamental e Técnico em Administração, e para as demais séries dependerão, no entanto, da existência de vagas.
  • Filosofia da Escola
A Escola do Recife filosoficamente assume uma concepção integral de homem, de sociedade e de educação. Idealiza ser uma escola socialmente progressista, baseada no modelo da pedagogia histórico-crítica. Vê o aluno como sujeito autônomo da sua própria história e do seu próprio desenvolvimento, um ser consciente, crítico apto para agir e modificar a sociedade em que vive.
A preocupação com uma educação integral deve levar a instituição a buscar efetivamente o cultivo de valores como honestidade, dignidade, solidariedade, justiça, disciplina, responsabilidade, autonomia e liberdade.
Percebe o aluno aprendiz, como um ser em potencial, capaz de construir relações, esquemas, e conhecimentos a partir dos desafios que lhe serão atribuídos, bem como o professor no seu papel de facilitador da aprendizagem, não somente como depositante do conhecimento.
Acredita numa filosofia de avaliação que seja representativa da aprendizagem, não somente como o depositante do conhecimento, mas uma aprendizagem significativa, que funcione como reguladora dessa aprendizagem e seja um processo duplo de investigação do trabalho pedagógico, abrangendo não só o aluno que ainda não aprendeu, mas a prática pedagógica do professor e metodologias de trabalho desenvolvidas, o interesse, a participação, a responsabilidade do próprio aluno, e o contexto onde processo de ensino e de aprendizagem se efetiva. Também, intenciona desenvolver um esforço para uma dimensão que ultrapasse o plano meramente formal do conhecimento livresco, que seja dirigido para a arte, a cultura e o desenvolvimento da criatividade, da curiosidade científica e da laborabilidade, indo mais além para a percepção de problemas contemporâneos, através da vivência da Pedagogia de Projetos, de competições científicas, tornando mais objetivo e de sentido para a sua existência no mundo.

Curso Técnico em Administração[editar | editar código-fonte]

Tem organização curricular em forma de módulos (básico, administração, recursos humanos e marketing), em consonância com o Decreto Federal nº 2.208/97 (art. 5º) e proporciona habilitação profissional na área de Administração Financeira, de recursos Humanos e Mercadológica. Desenvolvido especialmente para atender a demanda de profissionais que possua uma excelência de competência técnica relacionadas a criatividade, capacidade de resolver problemas e comprometimento empresarial, é indicado para quem termina o ensino médio e não quer ou não conseguiu passar no vestibular. Também para profissionais que já atuam no mercado e querem se reciclar ou ainda para quem já terminou os estudos e quer um ensino prático, rápido e eficaz.

A Escola objetiva gerar profissionais críticos e conscientes de seu papel como agentes de transformação social, exercendo com compromisso sua cidadania, além de capacitá-los a possuir competências gerenciais nas áreas Financeiras, Recursos Humanos e Mercadológica. O curso possui uma grade curricular de 1.600 horas distribuídas em quatro módulos semestrais sendo três do ciclo profissional. As atividades metodológicas estão pautadas em vivências empíricas, onde o aluno é convidado a buscar soluções fundamentadas nas teorias organizacionais.

Revista de Ciências da Administração da FCAP[editar | editar código-fonte]

Tendo por característica adequar suas ações às necessidades, possibilidades e desafios de cada momento, foi idealizada pela faculdade uma revista científica, que apresentasse em seu conteúdo trabalhos doutrinários e de pesquisa da comunidade acadêmica, desta e de outras instituições nacionais e internacionais e que contribuísse para o avanço da formação de todos quantos estejam envolvidos no campo da administração e da ciência correlatas.

Assim surgiu a Revista de Ciências da Administração da FCAP que tem por objetivo maior a disseminação do conhecimento na área da administração e ciências afins.

Com periodicidade semestral, esta revista tem uma equipe técnica formada por docentes e funcionários da FCAP que coordenam e constituem o Conselho Editorial, além de uma plêiade de pareceristas, docentes de diversas IES, aos quais caberá a responsabilidade de analisar e selecionar os trabalhos a serem publicados. Revista on-line

Ícone de esboço Este artigo sobre educação ou sobre um educador é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.