George Sarton

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
George Sarton
Química, história da ciência
Nacionalidade Bélgica Belga
Nascimento 31 de agosto de 1884
Local Gent
Morte 22 de março de 1956 (71 anos)
Local Cambridge (Massachusetts)
Atividade
Campo(s) Química, história da ciência
Prêmio(s) Medalha George Sarton (1955)

George Alfred Leon Sarton (Gent, 31 de agosto de 1884Cambridge (Massachusetts), 22 de março de 1956) foi um químico e historiador belga, considerado o fundador da disciplina história da ciência.[1] Abandonou a Bélgica por causa da Primeira Guerra Mundial, fixando-se nos Estados Unidos, onde permaneceu o resto de sua vida pesquisando e escrevendo sobre a história da ciência. Pai da escritora May Sarton.

Vida e obra[editar | editar código-fonte]

Graduado pela Universidade de Gent em 1906, onde obteve o doutorado em matemática em 1911. Casou com Mabel Eleanor Elwes. Imigrou para a Inglaterra após a irrupção da Primeira Guerra Mundial em 1914, e seguiu para os Estados Unidos em 1915. Trabalhou na Carnegie Foundation for International Peace e lecionou na Universidade Harvard em 1916-1918, [2] onde tornou-se lecturer em 1920 e depois professor de história da ciência de 1940 até aposentar-se em 1951.

Sarton planejou completar uma coleção exaustiva em nove volumes sobre a história da ciência que, durante a elaboração do segundo volume levou-o a aprender árabe e viajar pelo Oriente Médio para inspecionar manuscritos originais de cientistas islâmicos, mas que na morreu quando somente os três primeiros volumes estavam concluídos. Eram: I. From Homer to Omar Khayyam; II. From Rabbi Ben Ezra to Roger Bacon, pt. 1-2; III. Science and learning in the fourteenth -century, pt. 1-2. 1927-48.

Após sua morte uma coletânea representativa de seus artigos foi editada por Dorothy Stimson e publicada pela Harvard University Press em 1962.

History of Science Society[editar | editar código-fonte]

Em memória às conquistas de Sarton, a History of Science Society criou a Medalha George Sarton, sua mais prestigiada premiação. É concedida anualmente desde 1955. Sarton foi o fundador da sociedade e das publicações Isis e Osiris.

Publicações selecionadas[editar | editar código-fonte]

  • Introduction to the History of Science, (I. From Homer to Omar Khayyam. — II. From Rabbi Ben Ezra to Roger Bacon, pt. 1-2. — III. Science and learning in the fourteenth-century, pt. 1-2. 1927-48.) Baltimore: Williams & Wilkins.
  • A History of Science. Ancient science through the Golden Age of Greece, Cambridge, Mass: Harvard University Press, 1952.
  • A History of Science. Hellenistic science and culture in the last three centuries B.C., Cambridge, Mass.: Harvard University Press, 1959.
  • The Study of the History of Science (German: Das Studium der Geschichte der Naturwissenschaften, Frankfurt am Main: Klostermann, 1965.)

Publicações[editar | editar código-fonte]

  • (1924) "The New Humanism". Isis 6 (1): 9–42.
  • Sarton, George (1927–48) Introduction to the History of Science (3 v. in 5), Carnegie Institution of Washington Publication no. 376. Baltimore: Williams and Wilkins, Co.
  • George Sarton (1951) "The Incubation of Western Culture in the Middle East: a George C. Keiser Foundation Lecture", March 29, 1950, Washington DC

Notes[editar | editar código-fonte]

Bookplate of George Sarton
  1. Journal of the History of the Behavioral Sciences. Volume 21 Issue 2, Pages 107 - 117. The life and career of George Sarton: The father of the history of science, by Eugene Garfield. Published Online: 13 Feb 2006
  2. Sarton, G. (1952) A Guide to the History of Science. Waltham, MA: Chronica Botanica

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: George Sarton
Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um historiador é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.