Gerontology Research Group

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Gerontology Research Group (GRG)[1] é um grupo formado no início da década de 1990, e constituído por investigadores na área da gerontologia, que se reúnem mensalmente na UCLA em Los Angeles. [2] [3] O objetivo atual deste grupo é identificar pessoas que tenham atingido a idade de 110 anos (os chamados supercentenários). [4] [5]

O grupo foi co-fundado por L. Stephen Coles, diretor e tesoureiro da Supercentenarian Research Foundation, [6] [7] e por Steven M. Kaye. [2] [2] As edições do Livro Guinness dos Recordes indicam o GRG como a autoridade de validação da categoria "pessoas mais velhas". [3] [8] [9] [10]

O GRG começou como uma organização para investigar os limites da longevidade de mamíferos, mas por volta de 1999 formou-se um comité para investigar as reivindicações de longevidades extremas.[3]

Metodologia[editar | editar código-fonte]

Quando alguém alega ter uma longevidade extrema terá de fazer a prova dessa longevidade através de apresentação de pelo menos três documentos. Esses documentos geralmente são certidões de nascimento, batismo ou de casamento, ou então relatórios feitos durante um censo demográfico. Este controlo é essencial, porque a fraude nestes casos é muito frequente. Os especialistas da GRG reconhecem que ficam muitos casos por provar, visto que os supercentenários de hoje são pessoas nascidas nos finais do século XIX, numa época em que a maior parte dos países não tinha um registo civil exaustivo.

Embora haja uma distribuição aleatória de entradas (pela validação) e de saídas (pela morte) na lista de supercentenários, o número destes oscila à volta de 90 supercentenários validados, dos quais cerca de 10 são homens. Presentemente, a portuguesa Maria Luíza Nunes da Silva (116 anos) e a brasileira Maria Gomes Valentim (118 anos) fazem parte desta lista, sendo esta a decana da humanidade. [6]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Em português: Grupo de investigação em gerontologia
  2. a b c "Odds of reaching 100 get better.", Pittsburgh Tribune Review, June 1, 2006. Página visitada em 2007-10-31. “... according to The Gerontology Research Group, a nonprofit volunteer organization ...”
  3. a b c "Research group tracks oldest-living people.", Daily Bruin, June 10, 2004. Página visitada em 2007-10-31. “They are searching for an alternate route to immortality other than the fountain of youth. ... The group works closely with the Guinness Book of World Records and is now considered the primary source for verifying the world’s oldest person for the annual records’ book. ... Coles added that about a year ago, the Guinness Book began to recognize the group as the primary source for verifying the ages of people.”
  4. "The 100+ club", BBC, 2 September 2005. Página visitada em 2007-10-31. “The term applies to anyone older than 110 and, according to the US Gerontology Research Group, there are 68 supercentenarians in the world today. None of them were born in the UK - Ms d'Abreu was born in India.”
  5. "One of oldest Portuguese women, 110, dies.", Modesto Bee, November 9, 2007. Página visitada em 2007-10-31. “... according to the Gerontology Research Group. Mrs. Sanders spent the last decade of her life at the La Sierra Care Center in Merced, ...”
  6. a b Supercentenarian Research Foundation. Gerontology Research Group. Página visitada em 2007-10-31. "L. Stephen Coles, M.D., Ph.D., Director and Treasurer of the Supercentenarian Research Foundation"
  7. "Researchers Work to Crack Code of Long Life", Web MD. Página visitada em 2007-10-31. “People don't live to be 110 "because they don't age; it's a fortuitous, genetic roll of the dice, so there is not an intervention available to people who are still alive," says L. Stephen Coles, MD, PhD, a gerontologist with the Los Angeles Gerontology Research Group at UCLA.”
  8. "Guinness World Records 2008". [S.l.: s.n.], 2008. p. 67 pp. ISBN 1-904994-19-9
  9. Zaslow, Jeffrey. "Gerontology sleuths search for 'supercentenarians'", Wall Street Journal, Pittsburgh Post-Gazette, February 28, 2005. Página visitada em 2007-10-31. “Her ripe old age was "a falsehood perpetrated by the tourism industry there," says GRG co-founder L. Stephen Coles, a physician and stem-cell researcher at UCLA's David Geffen School of Medicine, where GRG is based. GRG counts just 12 undisputed cases of people ever reaching 115. ... The 14-year-old GRG, which the Guinness World Records Book now relies on to confirm longevity records. ...”
  10. "Researchers are studying what causes some people -- such as two OC...", Orange County Register, August 3, 2004. Página visitada em 2007-10-31. “Coles is co-founder of the Los Angeles Gerontology Research Group, which verifies supercentenarian ages for Guinness world Records using birth and marriage ...”

Ligações externas[editar | editar código-fonte]