Giovanni Battista Tiepolo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Giovanni Battista Tiepolo
Nascimento 15 de março de 1696
Veneza
Morte 27 de março de 1770 (74 anos)
Madri
Nacionalidade Itália Italiano
Movimento(s) Barroco

Giambattista Tiepolo, ou Giovanni Battista Tiepolo (Veneza, 15 de março de 1696Madri, 27 de março de 1770), foi um dos grandes mestres da pintura italiana.

Com estilo grandioso, caracteriza-se pela sofisticação e elevado senso que marcou os artistas do século XVIII, os cenários por ele criados evocam uma dimensão terrena voltada para o infinito e a ficção, cromaticamente marcado por uma paleta de cores frias e irreais, dando às suas figuras e objetos um reflexo de tom prateado, perdendo toda a consistência plástica.

Giovanni Battista Tiepolo: Alegoria dos Planetas e dos Continentes, 1752

Biografia[editar | editar código-fonte]

Giambattista nasce em Veneza em 1696, filho de Domenico, pequeno armador, e Orsetta Maramgon. Foi batizado a 16 de abril do mesmo ano. No ano seguinte morre o pai, deixando a família em grande dificuldades financeiras.

Aparição do anjo a Sara

Tem suas primeiras formações a partir de 1710, aproximadamente, no ateliê de Gregorio Lazzarini, pintor de estilo eclético, capas de unir os diferentes estilos da tradição veneziana, e de quem aprende, além dos primeiros rudimentos da pintura, o gosto pela grandiosidade teatral das composições.

Bem cedo é influenciado pela pintura "tenebrosa" de Federico Bencovich e de Piazzeta, mas também recebe forte interferência dos mestres da Renascença Veneziana, Tintoretto e Paolo Veronese.

Em 1715 inicia a pintura na igreja veneziana de Nossa Senhora dos Órfãos, representando figuras dos apóstolos, usando de um brutal claro-escuro e tons escuros.

Tiepolo por esta época trabalha para o doge que governa a cidade (Giovanni II Cornaro), em seu palácio pintando quadros e retratos, dentre os quais o retrato do doge Marco Cornaro (1716), com tons pastel (mornos e claros), lembrando o trabalho de Sebastião Ricci. Neste ano realiza o afresco "Assunta" na igreja paroquial de Biadene. Em 11 de agosto expõe, na festa de S. Rocco, o seu esboço para o "Mergulho do Faraó".

Em 1717 tem seu nome citado pela primeira vez dentre os grandes pintores venezianos. É também incluído no livro "Grande apresentação da pintura e perspectiva de Veneza".

Tiepolo realiza pinturas em diversos palácios. Em 1727 tem seu filho Giandomenico, um colaborador no futuro.

Em 1730 realiza "O triunfo das Artes", em Milão, uma obra-prima que foi destruída pelos bombardeios de 1943. Realiza trabalhos sob encomenda de várias cortes européias.

Em 1761 o rei Carlo III de Espanha contrata Tiepolo para ornar com afrescos os quartos do novo Palácio Real, em Madri. Trabalha vários anos na Espanha, morrendo em 1769 na capital daquele país, sendo enterrado na igreja de São Martin, já destruída.

Os seis Tiepolos mais bem vendidos[editar | editar código-fonte]

Obra Leilão Valor Final
Retrato de mulher como Flora Christie's Londres, 2008 €3.300.000[1]
A Lamentação Christie's Londres, 2002 €2.170.000
Alexandre e Campapse no estúdio de Apeles Christie's Nova Iorque, 2000 €1.500.000
A Deposição de Cristo no Túmulo Leiria e Nascimento, Lisboa, 2007 €1.500.000
"Putti" com molhos de trigo e uvas Sotheby's Nova Iorque, 2000 €750.000
Rinaldo abandonando Armida Christie's Nova Iorque, 2000 €712.000
Apollo homenageado pelas Musas (modelo) Christie's Nova Iorque, 1998 €465.000

Obras[editar | editar código-fonte]

Referências