Golpe de Goudi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Litografia popular comemorando o sucesso do golpe. Os passos gregos triunfantes sobre o monstro morto do antigo sistema, aplaudido pelo exército e pelo povo.

O Golpe de Goudi (em grego: κίνημα στο Γουδί) foi um golpe militar que ocorreu na Grécia, na noite de 28 de Agosto (calendário gregoriano) / 15 de agosto (calendário juliano) de 1909, iniciado no quartel em Goudi, um bairro na periferia oriental de Atenas. O golpe foi um evento crucial na história da Grécia Moderna, uma vez que levou à chegada de Eleftherios Venizelos na Grécia e sua eventual nomeação como primeiro-ministro. De uma só vez, este pôs fim ao antigo sistema político, e inaugurou um novo período. Doravante e durante várias décadas, a vida política grega seria dominada por duas forças opostas: o liberal republicana Venizelismo e o conservador monarquista anti-Venizelismo.

O golpe em si foi o resultado de tensões contidas na sociedade grega, que cambaleava sob os efeitos da desastrosa Guerra Greco-Turca de 1897, problemas financeiros, a falta de reformas necessárias e a desilusão com o sistema político estabelecido. Imitando os Jovens Turcos, vários jovens oficiais do Exército fundaram uma sociedade secreta, a Liga Militar. Com o coronel Nikolaos Zorbas como sua figura decorativa, na noite de 15 de agosto, a Liga Militar, tendo reunido as suas tropas nos quartéis de Goudi, emitiu um pronunciamento para o governo exigindo o retorno imediato para o país e suas forças armadas.

O rei Jorge I cedeu e substituiu o primeiro-ministro Dimitrios Rallis com Kiriakúlis Mavromichális, sem contudo satisfazer os insurgentes, que recorreram a uma grande manifestação pública no mês seguinte.

Após o golpe iniciou-se um período de controle indireto da política grega pelos militares da Liga, que coagiram os sucessivos governos a aprovar as medidas de seu programa diante às ameaças de outro golpe e do estabelecimento de um governo militar. O período de controle militar começou com o golpe de estado em 1910 terminou com a formação de uma Assembleia Constituinte para rever parcialmente a constituição e com a chegada à política grega de Eleftherios Venizelos, que respeitava as normas democráticas ao apelar para novas eleições. Após dupla vitória seus aliados no parlamento helênico em agosto e novembro de 1910, Venizelos tornou-se primeiro-ministro e prosseguiu com as reformas exigidas pelos instigadores do golpe.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • An Index of Events in the Military History of the Greek Nation, Hellenic Army General Staff, Army History Directorate, Athens, 1998. ISBN 960-7897-27-7
  • Richard Clogg, A Concise History of Greece, Cambridge University Press, Cambridge, 1992. ISBN 0-521-37-830-3
  • Mazower, Mark. (dezembro 1992). "The Messiah and the Bourgeoisie: Venizelos and Politics in Greece, 1909–1912". The Historical Journal 35 (4): 885–904. DOI:10.1017/S0018246X00026200.
  • S. Victor Papacosma, The Military in Greek Politics: The 1909 Coup D'état, Kent State University Press, 1977. ISBN 0873382080
  • (em francês) Charles Personnaz, Venizélos. Le fondateur de la Grèce moderne., Bernard Giovanangeli Éditeur, 2008. ISBN 9782758700111
  • (em francês) Nicolas Svoronos, Histoire de la Grèce moderne, Que Sais-Je ?, PUF, 1964.
  • (em francês) Marc Terrades. Le Drame de l'hellénisme. Ion Dragoumis (1878-1920) et la question nationale en Grèce au début du XXe siècle. [S.l.]: L'Harmattan, 2005, 2005. ISBN 2747577880
  • (em francês) Constantin Tsoucalas, La Grèce de l'indépendance aux colonels, Maspero, Paris, 1970. ISBN 0140522778 (for the original English version). (ISBN 2-13-036274-5)
  • (em francês) Apostolos Vacalopoulos, Histoire de la Grèce moderne, Horvath, 1975. ISBN 2-7171-0057-1

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • S. Victor. The Military in Greek Politics: The 1909 Coup D'etat (em inglés). [S.l.]: Kent State Univ Press (ed.), 1979. 265 p. ISBN 9780873382083