Guilherme de Brunsvique

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Guilherme
Duque de Brunsvique
WillemBrunswijk.jpg
Guilherme
Governo
Vida
Nascimento 25 de Abril de 1806
Brunsvique, Alemanha
Morte 18 de Outubro de 1884 (78 anos)
Silésia, Alemanha
Pai Frederico Guilherme de Brunswick-Wolfenbüttel
Mãe Maria de Baden

Guilherme de Brunsvique (Guilherme Augusto Luís Maximiliano Frederico), (25 de Abril de 1806 - 18 de Outubro de 1884) foi o duque de Brunsvique de 1830 até à sua morte.

Família[editar | editar código-fonte]

Guilherme era o segundo filho do duque Frederico Guilherme de Brunswick-Wolfenbüttel e da princesa Maria de Baden. Os seus avós paternos eram o duque Carlos Guilherme Fernando de Brunswick-Wolfenbüttel e a princesa Augusta do Reino Unido. Os seus avós maternos eram o príncipe-herdeiro Carlos Luís de Baden e a landegravina Amália de Hesse-Darmstadt.[1]

Vida[editar | editar código-fonte]

Após a morte do seu pai em 1815, Guilherme e o seu irmão passaram a estar sob a tutela do seu tio, o rei Jorge IV do Reino Unido. Guilherme tornou-se major do exército prussiano em 1823. O seu irmão Carlos foi deposto da sua posição como duque reinante por uma rebelião em 1830 e Guilherme liderou o governo provisório que se seguiu. Em 1831, uma lei de família tornou-o duque governante. O duque deixou grande parte dos assuntos políticos aos seus ministros e passou grande parte do seu reinado nas suas propriedades em Oels.

Quando se juntou à Confederação da Alemanha do Norte em 1866, a sua relação com a Prússia piorou visto que estes se recusavam a reconhecer o príncipe Ernesto Augusto, terceiro duque de Cumberland como seu herdeiro devido à posição próxima que tinha do trono de Hanôver. Guilherme morreu em 1884 e deixou as suas possessões ao duque de Cumberland. A sua morte causou uma crise constitucional a Brunsvique que durou até 1913 quando o duque Ernesto Augusto de Brunsvique sucedeu ao trono.

Guilherme morreu solteiro, mas teve vários filhos ilegítimos.

Referências

  1. John Morby, Dynasties of the World: a chronological and genealogical handbook (Oxford, Oxfordshire, U.K.: Oxford University Press, 1989), page 133

Bibliografia[editar | editar código-fonte]