Gymnotidae

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaGimmotidae
Gymnotus sp.

Gymnotus sp.
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Actinopterygii
Ordem: Gymnotiformes
Subordem: Gymnotoidei
Família: Gymnotidae

A família Gymnotidae compõe um grupo de peixes conhecidos popularmente como "tuvira", "sarapó", "ituí", "mussum", etc, que no Brasil compreende cerca de 30 espécies. O representante mais conhecido do grupo talvez seja o peixe elétrico conhecido como Poraquê (Electrophorus electricus), que é encontrado na bacia amazônica.

Características[editar | editar código-fonte]

Os gimnotídeos possuem um corpo alongado; a nadadeira anal é muito longa, porém não possuem as nadadeiras dorsais, ventrais e, frequentemente, também a caudal. Deslocam-se na água por meio de movimentos ondulatórios da nadadeira anal e, por isso, são animais lentos e desajeitados. A abertura branquial é muito estreita e a abertura anal está localizada sob a cabeça, logo atrás da garganta.

Em geral estes peixes são muito delicados e muito suscetíveis às reduções de taxa de oxigênio na água. Quando retirados dela, costumam morrer rapidamente. Portanto, quando ocorrem mudanças significativas na água em que vivem, o que pode acontecer por meio da poluição humana, tais peixes são um dos primeiros a morrerem — servindo assim, como indicadores de que há um problema sério na água em que vivem. Além disso, um outro fator também digno de nota, é o de que todos os gimnotídeos possuem hábitos noturnos.

Por certo tempo, acreditava-se que dentre tal família de peixes, apenas o Poraquê, da Amazônia, era capaz de produzir descargas elétricas. Hoje sabe-se que todos os gimnotídeos tem essa capacidade peculiar. Na maioria deles, porém, as descargas elétricas são tão fracas que só podem ser percebidas através de aparelhos detectores muito sensíveis. Estes peixes utilizam-se dessa emissão para detectar objetos ou outros organismos presentes na água, pois possuem um aparelho receptor, relacionado com a linha lateral, que capta qualquer modificação do campo elétrico que criam ao redor do corpo.

Espécies[editar | editar código-fonte]

Existem pelo menos 39 espécies conhecidas nesta família:

  • Gênero Electrophorus
  • Gênero Gymnotus
    • Gymnotus anguillaris Hoedeman, 1962.
    • Gymnotus arapaima Albert & Crampton, 2001.
    • Gymnotus ardilai Maldonado-Ocampo & Albert, 2004.
    • Gymnotus bahianus Campos-da-Paz & Costa, 1996.
    • Gymnotus carapo Linnaeus, 1758.
    • Gymnotus cataniapo Mago-Leccia, 1994.
    • Gymnotus chimarrao
    • Gymnotus choco Albert, Crampton & Maldonado, 2003.
    • Gymnotus coatesi La Monte, 1935.
    • Gymnotus coropinae Hoedeman, 1962.
    • Gymnotus curupira Crampton, Thorsen & Albert, 2005.
    • Gymnotus cylindricus La Monte, 1935.
    • Gymnotus diamantinensis Campos-da-Paz, 2002.
    • Gymnotus esmeraldas Albert & Crampton, 2003.
    • Gymnotus henni Albert, Crampton & Maldonado, 2003.
    • Gymnotus inaequilabiatus (Valenciennes, 1842).
    • Gymnotus javari Albert, Crampton & Hagedorn, 2003.
    • Gymnotus jonasi Albert & Crampton, 2001.
    • Gymnotus maculosus Albert & Miller, 1995.
    • Gymnotus mamiraua Albert & Crampton, 2001.
    • Gymnotus melanopleura Albert & Crampton, 2001.
    • Gymnotus obscurus Crampton, Thorsen & Albert, 2005.
    • Gymnotus onca Albert & Crampton, 2001.
    • Gymnotus panamensis Albert & Crampton, 2003.
    • Gymnotus pantanal Fernandes, Albert, Daniel-Silva, Lopes, Crampton & Almeida-Toledo, 2005.
    • Gymnotus pantherinus (Steindachner, 1908).
    • Gymnotus paraguensis Albert & Crampton, 2003.
    • Gymnotus pedanopterus Mago-Leccia, 1994.
    • Gymnotus stenoleucus Mago-Leccia, 1994.
    • Gymnotus sylvius Albert & Fernandes-Matioli, 1999.
    • Gymnotus tigre Albert & Crampton, 2003.
    • Gymnotus ucamara Crampton, Lovejoy & Albert, 2003.
    • Gymnotus varzea Crampton, Thorsen & Albert, 2005.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

IHERING, Rodolpho Von. Livro: "Da Vida dos Nossos Animais", 4.ª edição (1963). Casa Editora Rotermund & Cia. Ltda.