Henry Wickham

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Sir Henry Alexander Wickham (29 de maio de 184627 de setembro de 1928), botânico inglês, conhecido por ser o autor do contrabando de cerca de 70.000 sementes 1 de seringueira, Hevea brasiliensis, na região de Santarém no Pará em 1876. As sementes foram encaminhadas ao Royal Botanic Gardens em Londres e, após selecionadas geneticamente, enviadas para plantações na Malásia. É um dos mais ilustrativos casos de biopirataria de espécies amazônicas2 .

Em 1871, Wickham e sua esposa Violet Carter chegaram a Santarém-Pará onde ele tentou se passar por um expert em borracha. Impostor, logo caiu em desgraça e dificuldades financeiras, sendo amparado pela comunidade de Norte Americanos do local. Um fracasso em quase tudo que se propunha a fazer, Wickham obteve sucesso em enganar as autoridades portuárias em Belém-Pará, informando que a carga de sementes que estava enviando para Londres tratava-se de material botânico destinado a um herbário. Pelo trabalho, foi considerado heroi no Reino Unido e a Rainha Victoria concedeu-lhe um título de nobreza.3

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. (em inglês)Ponting, Clive. A New Green History of the World: The Environment and the Collapse of Great Civilizations. New York: Penguin Books, 2007. ISBN 978-0-14-303898-6
  2. Tráfico de semente fez ruir ciclo da borracha Caderno Vida e Cidadania (História) - Jornal Gazeta do Povo - acessado em 17 de setembro de 2011
  3. (em inglês) Grandin, Greg. Fordlandia - The Rise and Fall of Henry Ford's Forgotten Jungle City. [S.l.: s.n.], 2009. p. 31-32. ISBN 978-0-8050-8236-4