Introdução da disjunção

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde Abril de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Na lógica matemática, a introdução da disjunção é uma regra de inferência que estabelece que, se um argumento é verdadeiro, então a disjunção deste argumento com qualquer outro também é verdadeiro.

Definição[editar | editar código-fonte]

Em linguagem formal, podemos escrever:

A.
Então, A ou B.

ou, utilizando operadores lógicos:

 A \vdash A \or B

A forma do argumento possui uma premissa, A, e uma proposição não-relacionada, B. Da premissa pode-se logicamente concluir que ou A ou B é verdadeiro, ou ambos são.

Podemos ainda exemplificar com o argumento:

Socrates é homem.
Portanto, Socrates é homem ou porcos voam.

Ou seja, ou ambos os argumentos são verdadeiros ou apenas um deles é (neste caso, provávelmente um).

A introdução da disjunção é controversa na lógica paraconsistente porque, em combinação com outras regras de lógica, leva a uma explosão, isto é, tudo se torna provável.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Lógica é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.