Juan Antonio Buschiazzo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Juan Buschiazzo
Nome completo Juan Antonio Buschiazzo
Nascimento 29 de outubro de 1845
Pontinvrea, Savona, Ligúria
Morte 13 de maio de 1917 (71 anos)
Buenos Aires, Argentina
Nacionalidade  Itália

Juan Antonio Buschiazzo (29 de outubro de 1845 - 13 de maio de 1917) foi um arquiteto e engenheiro italiano que contribuiu para a modernização de Buenos Aires nos anos 80 e para a construção da idade de La Plata, a nova capital da província de Buenos Aires.

Nascido em 1845 em Pontinvrea, Buschiazzo era filho de Margarita Bresciani e Carlos Buschiazzo. Em 1850 a família chegou na Argentina e instalou-se em Belgrano, uma cidade que logo se tornaria um bairro da cidade de Buenos Aires. Foi lá que seus quatro irmãos e irmãs nasceram.

Em 1862 ele começou a trabalhar no estúdio do arquiteto italiano Nicolás Canale e seu filho José. Em 1869 ele graduou pela Universidade de Buenos Aires com um diploma de engenharia. Em 1875 tornou-se membro da Comissão Municipal de Obras Públicas de Belgrano e, em 1878, qualificou-se como arquiteto. Em 1879 seu filho, Juan Carlos, nasceu e no futuro tornou-se um arquiteto, trabalhando com seu pai em vários de projetos.

O asilo construído por Juan hoje é o Centro Cultural Recoleta.

Quando Buenos Aires oficialmente tornou-se a capital da Argentina em 1880, Buschiazzo foi convidado a ingressar no Departamento de Engenheiros Municipais. Com isso, envolveu-se em uma diversidade de projetos que diziam respeito à modernização de Buenos Aires e a construção de edifícios públicos, casas, hospitais, cemitérios, igrejas, parques, bancos e mais. Em 1881 ele juntou-se à Comissão de supervisionamento de construções e projetos na cidade de La Plata.

Em 1886 fundou a Sociedade Central de Arquitetos e tornou-se seu presidente entre 1888 e 1891 e novamente entre 1901 e 1902.

Entre os anos de 1908 e 1910 ele participou na Comissão para a Exposición Internacional del Centenario. Morreu em Buenos Aires em 13 de maio de 1917.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]