Sistema Toyota de Produção

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Lean)
Ir para: navegação, pesquisa

O Sistema Toyota de Produção é um sistema de produção desenvolvido pela Toyota entre 1948 e 1975, que aumenta a produtividade e a eficiência, evitando o desperdício, como a de tempo de espera, superprodução, gargalos de transporte e inventário desnecessário etc, foi desenvolvido por Taiichi Ohno, o sistema integra o lean manufacturing, just-in-time,[1] kanban e o nivelamento de produção ou heijunka.[2]

Origem[editar | editar código-fonte]

Taiichi Ohno, Shingeo Shingo e Eiji Toyoda inicialmente desenvolveram o sistema entre 1948 e 1975, a medida que o sistema se espalhou pelo Japão até o Ocidente, o sistema foi adquirindo outros nomes; até 1970, a Toyota não tinha um nome específico para sua estratégia de produção.[3]

Os fundadores da Toyota estudaram o trabalho de Deming o que constitui como fundamento do sistema Toyota[4] e o roteiro da Ford, então quando visitaram os Estados Unidos para estudar a linha de montagem de produção em massa eles não se surpreenderam.[3]

Taiichi Ohno que continuou a melhorar o processo posto em prática por Toyoda, credita suas contribuições ao STP a dois conceitos principais, o primeiro conceito do livro de Henry Ford Today and Tomorrow, era a linha de montagem em movimento que providencia as bases para a produção e os sistemas de montagem usadas na STP. O segundo conceito eras as opeções de supermercado que observou durante sua visita aos Estados Unidos em 1956 que providenciava alimentação contínua. O supermercado deu a Ohno a ideia de um sistema de tração onde cada processo de produção provê para o processo seguinte de forma ininterrupta.[5]

Princípios[editar | editar código-fonte]

Os princípios subjacentes, chamados a Toyota Way, foram delineadas pela Toyota como segue:[6] [7] [3]


Melhora contínua

Os princípios de melhorias contínuas inlcuem o estabelecimento de uma uma visão a longo prazo objetivando o confronto com desafios, a inovação cotínua e a procura da causa dos problemas:[3] :45

  • Desafio (Formamos uma visão de longo prazo, enfrentamos os desafios com coragem e criatividade para realizar nossos sonhos.)
  • Kaizen (Melhoramos nossas operações de negócios de forma contínua, motivados pela inovação e evolução.)
  • Genchi Genbutsu ("Vá e veja", vamos até a fonte para encontrar os fatos e tomar decisões corretas.)


Respeito às pessoas

Os princípios relacionados ao respeito às pessoas incluem modos de desenvolver o respeito e o trabalho em grupo:[3] :45

  • Respeito (Respeitamos o outro, fazemos todos os esforços para entender um ao outro, assumimos a responsabilidade e fazemos o nosso melhor para construir confiança mútua.)
  • Trabalho em equipe (Estimulamos o crescimento pessoal e profissional, compartilhamos oportunidades de desenvolvimento e maximizamos o desempenho individual e da equipe)

Criticismo[editar | editar código-fonte]

O STP enfatiza o uso de kanbans e estoque mínimos, mas apenas tentar a redução de estoque sem considerar outros fatores pode ter consequência sérias, o sistema é agora, muito vulnerável a disrupções, assim, um grande estoque esconde problemas em potenciais como fornecedores não confiáveis, perda de sucata, quebras de máquinas etc, a medida que o estoque diminui, esses problemas ficam visíveis e força o gerenciamento a solucionar esses problemas. Sendo assim, a chave é resistir à redução de estoque muito rapidamente, resolvendo os problemas a medida que aparecerem.[5] :123

Referências

  1. Michael D. Holloway; Chikezie Nwaoha (2013), Dictionary of Industrial Terms, John Wiley & Sons, p. 624, ISBN 978-1-118-58897-0
  2. George Thomas Kurian (10 de abril de 2013), The AMA Dictionary of Business and Management, AMACOM Div American Mgmt Assn, p. 276, ISBN 978-0-8144-2029-4
  3. a b c d e Alexander Tsigkas (2012), The Lean Enterprise: From the Mass Economy to the Economy of One, Springer, p. 44 - 45, ISBN 978-3-642-29402-0
  4. "Todo dia eu penso sobre o que ele significa para nós. Deming é o núcleo de nossa gestão." Shoichiro Toyoda, fundador e presidente da Toyota Motors citado por Mike Micklewright (2010), Out of Another @#&*% Crisis!: Motivation Through Humiliation, ASQ Quality Press, p. 38-39, ISBN 978-0-87389-783-9
  5. a b Rangaraj (2009), Supply Chain Management For Competitive Advantage, Tata McGraw-Hill Education, p. 122, ISBN 978-0-07-022163-5
  6. Toyota internal document, "The Toyota Way 2001," abril de 2001
  7. Toyota Motor Corporation Sustainability Report, 2009, page 54

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Caryl C., Takayama H., Sparks J., Toyota Triumphs, Newsweek International, Atlantic Edition, 2005.
  • Liker, Jeffrey K. O modelo Toyota: 14 princípios de gestão do maior fabricante do mundo. Porto Alegre: Bookman, 2005. ISBN 85-363-0495-2
  • Moura, Reinaldo A., Kanban: A simplicidade no controle da produção, São Paulo, IMAN, 1989. ISBN 890965
  • Ohno, Taiichi, Toyota production system: beyond large-scale production, Productivity press, 1988. ISBN 8573071702
  • Shingo, Shigeo, O sistema toyota de produção: Do ponto de vista da engenharia de produção, Porto Alegre, Bookman, 1996. ISBN 857307071699
  • Slack, N., S. Chambres, C. Armand e R. Johnston, Administração da produção, São Paulo: Editora Atlas, 1997. ISBN 8521312369
  • Smalley, Art, Criando o sistema puxado nivelado, Lean Enterprise Institute, 2004. ISBN 097631522X
  • Womack, James P. A máquina que mudou o mundo. Rio de Janeiro: Campus, 1992. ISBN 85-7001742-1
  • Womack, James P., A mentalidade enxuta nas empresas, Rio de Janeiro: Editora Elsevier, 2004. ISBN 8535212701


Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o:
Portal de Economia e negócios


Ligações externas[editar | editar código-fonte]