Lotus 1-2-3

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lotus 1-2-3
Desenvolvedor Mitch Kapor, Lotus Software, IBM
Plataforma IBM-PC
Lançamento 1983 (30–31 anos)
Versão estável 9.8.2 (12 de janeiro de 2006; há 445 semanas)
Sistema operativo MS-DOS, Microsoft Windows, Mac OS
Gênero(s) Planilha eletrônica
Licença Proprietária
Estado do desenvolvimento Descontinuado
Tela do Lotus 1-2-3

O Lotus 1-2-3 foi uma das primeiras planilhas eletrônicas (folha de cálculos)[1] disponíveis no mercado. Produzido pela Lotus Software (atualmente pertencente à IBM), tornou-se a primeira aplicação importante para PC. No princípio, o 1-2-3 enfrentou a concorrência de programas como o Context MBA, que se apoiava no UCSD p-System. Mas o 1-2-3 foi elaborado diretamente para o sistema de vídeo do IBM-PC, ignorando o DOS. Como resultado, era bastante rápido e assumiu a liderança no mercado do PC. Assim como o VisiCalc havia sido o "aplicativo definitivo" para o Apple II, o Lotus 1-2-3 representou o papel principal no IBM PC.

História[editar | editar código-fonte]

Menu(Macro) em Lotus 1-2-3

Em 1978, um aluno da escola de administração da Universidade de Harvard (EUA), chamado Daniel Bricklin, percebeu em uma aula de controladoria que o professor gastava muito tempo fazendo cálculos em uma planilha de controle (na lousa). Daí surgiu a idéia de automatizar o processo. Juntamente com seu colega e programador Robert Frankston, elaborou um programa (aplicativo) que simulava o quadro negro do professor. Tratava-se da primeira planilha eletrônica. Posteriormente fundaram a empresa VISICORP, e lançaram a planilha, que batizaram de VisiCalc. Naquela época (1980), os micros computadores eram caríssimos, e tinham poucas funcionalidades, e com A Visicalc, percebeu-se que os micros poderiam ser utilizados para assuntos práticos do cotidiano, o que acabou impulsionando a venda de micros. Em 1983, a Lotus Corporation lançou um programa integrado, chamado LOTUS 1 2 3, que continha a planilha Lotus, que alem de gerar gráficos, tratava os dados como uma ferramenta de base de dados. Com isto desbancou a Visicalc. Por mais de uma década, a Lotus dominou o mercado de planilhas (e pacotes integrados). Nos ANOS 80, existiam ainda no mercado, alem da lotus e Visicalc, mais 3 planilhas: Supercalc, (Multiplan e Quattro Pro). Em 1985 a Microsoft lançou a sua planilha, o EXCEL, que viria a ser líder de mercado nos anos 90 e continua a ser até hoje, desbancando as demais com o monopólio da Microsoft.

Apresentada apenas versões em inglês e desenvolvida para trabalhos em DOS, por Mitch Kapor, esta planilha teve grande utilização no final dos anos 1980 e início dos anos 1990. Para acessar os menus do aplicativo utilizava-se a barra /. Praticamente não apresentava bugs e era relativamente rápido. Programado inteiramente em linguagem Assembly x86, escrevia algumas funções e coordenadas de mapeamento de vídeo, diretamente na memória, o que lhe garantia reserva na memória para as demais operações.[2]


Sintaxe de uma Macro em Lotus 1-2-3

O sistema também permitia a utilização de “funções embutidas” [3] , que permitiam cálculos automáticos, o que aumentava substancialmente a velocidade e precisão de cálculos complexos. Praticamente todas as funções criadas pelo 1-2-3, serviram como referência para as próximas versões e sistemas que surgiriam no futuro.

Com a melhoria da tecnologia dos monitores, a partir da Versão 2.2 foi incorporada uma tecnologia chamada Allways[4] , o que significou um salto na qualidade das impressões e na apresentação dos relatórios, pois na época boa parte das impressões eram matriciais. Exigia no entanto recursos melhores tais como 512Kb de memória convencional. O Always não era residente, ou seja, o usuário precisava carregá-lo na memória ( associá-lo ao arquivo em questão), utilizá-lo e novamente desassociá-lo, tudo isto porque consumia os "consideráveis" 512 kb.

Uma das melhorias significativas adicionadas, foi a automação de tarefas, permitindo que o usuário definisse através de uma sequência de códidos(macros) procedimentos de rotina e cálculos que facilitava e agilizava sua utilização. A popularidade das macros(introduzida na versão 2.0) permitiu a criação de "Add-ins"[5] o que o tornou bastante popular. Fornecederes externos começaram a desenvolver e a comercializar pacotes de aplicativos, desde modelos financeiros a pequenos processadores de texto. Sua sintaxe e comandos eram semelhantes a um avançado interpretador BASIC, eram "lidos" sequencialmente, com desvios semelhantes ao GOTO.

As primeiras versões utilizavam a extensão de arquivo "WKS." Na versão 2.0, a primeira extensão alterada para "WK1" , em seguida, "WK2". Esta se tornou mais tarde "WK3" para a versão 3.0 e "WK4" para a versão 4.0.

Com a popularização do Windows, entrou em decadência e o Excel tornou-se a planilha eletrônica mais famosa, padrão em quase todos os escritórios. O Lotus foi o primeiro programa disponível publicamente para combinar gráficos, funções de planilha e gerência de dados (três funções, por isso o nome). Sua facilidade relativa de uso e de flexibilidade fez com que fosse um sucesso enorme contribuindo com o crescimento da popularidade dos computadores pessoais (PC´s).

Referências

  1. Planilha eletrônica: é uma folha de cálculo disposta em forma de tabela, na qual podem ser efetuados rapidamente vários tipos de cálculos matemáticos. De acordo com uma filosofia matricial, pode ser utilizada em qualquer atividade que tenha a necessidade de efetuar cálculos financeiros, estatísticos ou científicos.
  2. As primeiras versões do Lotus 1-2-3, possuiam uma folha de cálculo com 2048 linhas e 256 colunas, contudo, o preenchimento desta volume de dados causava travamento na planilha, operavam em processadores Intel da família 8086 e 8088. Lotus 1-2-3 Versão 2.2 – Manual de Referência, 1989, Cap. 1-3
  3. Função@ consistia em um fórmula embutida no 1-2-3 que pode ser usada para executar automaticamente um cálculo especial. Algumas executam cálculos simples como a @SUM e outras complexas com a @NPV (Valor presente líquido de uma série de valores futuros de um fluxo de caixa. Lótus 1-2-3 Versão2.3 para DOS – Funções e Macros, 1991, pag 1
  4. Oferecia uma tela onde o usuário poderia ver seu trabalho com todas as alterações e configurações efetuadas antes da impressão. Incorporando pela primeira vez o conceito WYSIWYG, literalmente "o-que-se-vê-é-o-que-se-tem". Lotus 1-2-3 Versão 2.2 – Manual de Referência, 1989, Cap. 18-3
  5. Add-In em português significa "Adicione Dentro" -são componentes que, adicionados à interface(ambiente) da planilha criam novas funcionalidades, proporcionando assim ao usuário expandir a atualização da mesma.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Lótus 1-2-3 Versão 2.2 – Lotus Development Corporation Press, Manual de Referência,1989. Peça Nº 301428
  • Lótus 1-2-3 Versão2.3 para DOS – Lotus Development Corporation Press, Funções e Macros, 1991. Peça Nº303363
  • Aprendendo Lotus 1.2.3 e Microinformática, Lázaro Nunes Teixeira - Global, 1994
  • Lotus 1-2-3, Ricardo Castro Paradelo - Data Center, 1989

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Lotus 1-2-3