Macrocephalon maleo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaMacrocephalon maleo
Litografia de um Maleo do "Lloyd's Natural History of Game Birds" por W. R. Ogilvie-Grant, publicado em 1896.

Litografia de um Maleo do "Lloyd's Natural History of Game Birds" por W. R. Ogilvie-Grant, publicado em 1896.
Estado de conservação
Status iucn3.1 EN pt.svg
Em perigo
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Galliformes
Família: Megapodiidae
Género: Macrocephalon
Müller, 1846
Espécie: M. maleo
Nome binomial
Macrocephalon maleo
S. Müller, 1846

O Macrocephalon maleo, Maleo é um megapodiídeo de tamanho médio (aproximadamente 55 cm), negro com pele facial amarela sem penas, íris castanho-avermelhada e abdômen rosa-salmão. A cabeça é ornamentada com um xoque negro. Os pés azul-acinzentados tem quatro longas garras afiadas, separadas por uma pele membranosa. Os sexos são quase idênticos com fêmeas ligeiramente menores e menos vistosas.[1]

Única espécie do gênero monotípico Macrocephalon, o Maleo é endêmico das ilhas de Sulawesi e Buton, na Indonésia. É encontrado nas terras baixas tropicais e florestas nas colinas, mas tem ninhos nas áreas arenosas abertas, solos vulcânicos e praias que são aquecidas pelo sol ou energia geotérmica para incubação.[1] (Há também espécies de megapodiídeo que usam compostagem para incubar seus ovos.)

Os ovos do Maleo são grandes, cerca de 5 vezes o tamanho daqueles de uma galinha doméstica. A fêmea coloca e cobre cada ovo em um buraco fundo na areia e permite a incubação ocorrer por aquecimento solar ou vulcânico. Depois que eles chocam, as jovens aves abrem seu caminho pela areia e se escondem na floresta, sendo capazes de voar e totalmente independentes. Elas precisam encontrar comida e defenderem-se de predadores como lagartos, pítons, porcos e gatos selvagens.

O Maleo é monogâmico, e os membros do par ficam próximos entre si o tempo todo. Sua dieta consiste principalmente de frutas, sementes, formigas, cupins, besouros e outros invertebrados pequenos.

Desde 1972, esta espécie tem sido protegida pelo governo Indonésio.[1] Devido à perda de habitat, alcance limitado, alta mortalidade das crias e sobre-caça em certas áreas, o Maleo é avaliado como Em Perigo na Lista Vermelha da UICN de Espécies Ameaçadas. É listado no Apêndice I do CITES

Em 2009, a "Wildlife Conservation Society" (baseada na Inglaterra) trabalha com governos locais para comprar 36 acres de praia onde aproximadamente 40 ninhos estão localizados num esforço para conservar e proteger esta ave.[2] [3]

Conservação[editar | editar código-fonte]

A Alliance for Tompotika Conservation trabalha com comunidades em Sulawesi para educar habitantes locais sobre o estado de conservação ameaçado do Maleo e prevenir a coleta de seus ovos. Os ovos não são uma fonte primária de alimentos, mas são uma iguaria popular.

Em Junho de 2001, Marc Argeloo escreveu uma história não-ficcional (em holandês) sobre a conservação dos megapodiídeos em geral, e o Maleo de Sulawesi em particular. Seu livro recebeu crítica bastante positiva na imprensa holandesa ([1]).

Referências

  1. a b c Maleo (Macrocephalon maleo) (em inglês) Birdlife. Página visitada em 6 de junho de 2011.
  2. Ians (18 de maio de 2009). Endangered bird gets reserved beach in Indonesia (em inglês) The Gaea Times. Página visitada em 6 de junho de 2011.
  3. Strange Bird Gets Private Beach In Indonesia (em inglês) Science Daily (17 de maio de 2009). Página visitada em 6 de junho de 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]