Ortografia iídiche

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

A ortografia iídiche é o estudo da escrita da língua iídiche.

Ortografia etimológica[editar | editar código-fonte]

O iídiche utiliza como escrita uma adaptação do alfabeto hebraico e escreve-se da direita para a esquerda. Como sua fonologia é estranha ao árabe ou ao hebraico, o iídiche usa o recurso dos dígrafos (Niqqud) e outras letras modificadas conforme sua patognomônia, além dos caracteres tradicionais do hebraico. O modo de inscrever as vogais nesse alfabeto variou muito de acordo com o tempo e o lugar, sendo estas atualmente representadas através de caracteres especiais desenvolvidos para uso exclusivo do moderno hebraico.

Palavras vindas do hebraico ou do aramaico costumam ser escritas como na forma original, ou seja, em abjad. Nada impede ambas as formas de aparecerem na mesma palavra, como, por exemplo, por meio de sufixos, prefixos e compostos de diferentes origens.

Estandardização[editar | editar código-fonte]

Em 1879, Luís Lázaro Zamenhof escreveu a primeira gramática do iídiche, porém, esta foi publicada em partes na revista Lebn un visnshaft e só seria publicada integralmente em 1981, com tradução para o esperanto.

Por razões culturais e políticas, foram feitos esforços a partir do começo do século XX para a estandardização do iídiche. Em 1898, o escritor russo-americano Alexander Harkavy lançou o Treatise on Yiddish Reading, Orthography, and Dialectal Variations, onde ele discorria sobre os dialetos do iídiche e propunha uma forma padrão.

Em 1920, a União Soviética aboliu o uso de seis letras e sancionou que palavras de origem semita deveriam ser escritas foneticamente, marcando a primeira ação de um governo para com o iídiche. No entanto, essas reformas foram abolidas em 1961.

Em 1925 foi fundado em Vilnius o Yidisher Visnshaftlekher Institut ( ייִדישער װיסנשאַפֿטלעכער אינסטיטוט, Instituto científico do iídiche), também conhecido como YIVO. Na década de 1930, lançaram o Takones fur yidish oysleyg (תּקנות פֿון ייִדישן אויסלייג, Regras para a escrita do iídiche), e, que propuseram a estandardização e a transliteração mais usados até hoje.

A versão da YIVO é criticada por ter sido imparcial quanto à escolha dos dialetos, sendo pesadamente baseada no dialeto Litvish, da Lituânia.

Alfabeto[editar | editar código-fonte]

Letra YIVO Harkavy Alfabeto fonético internacional Transcrição fonética Nome Notas
א (-) (-) (-) (-) shtumer alef Indica que a sílaba começa com a forma vocálica da letra seguinte. Não é pronunciada nem transcrita.
אַ a a a a pasekh alef Contrariando o YIVO, [a] também pode ser escrito sem pontuação.
אָ o o ɔ o komets alef Contrariando o YIVO, [o] também pode ser escrito sem pontuação.
ב b b b b beys
בּ (none) (none) b (b) beys Alternativa não-YIVO para ב.
בֿ v v v v veys Apenas em palavras de origem semita.
ג g g ɡ g giml
ד d d d d daled
דזש dzh (none) d͡ʒ daled zayen shin
ה h h h h hey
ו u u ʊ u vov
וּ u (none) ʊ u melupm vov Só adjacente a ו ou antes de י.
וֹ (none) (none) ɔ, ɔj (o,oj) khoylem Alternativa não-YIVO para אָ e וי.
וו v v v v tsvey vovn
וי oy oi ɔj oj vov yud
ז z z z z zayen
זש zh zh ʒ ž zayen shin
ח kh ch x x khes Apenas em palavras de origem semita.
ט t t t t tes
טש tsh tsh t͡ʃ č tes shin
י y, i y, i j, i j, i yud [j] quando começa sílaba.
יִ i (none) i i khirik yud Após י consonantal ou adjacente a outra vogal
יי ey ei, ai ɛj ej tsvey yudn
ײַ ay (none) aj aj pasekh tsvey yudn
כּ k k k k kof Apenas em palavras de origem semita.
כ kh ch x x khof
ך kh ch x x lange khof Forma final.
ל l l l, ʎ l lamed
מ m m m m mem
ם m m m m shlos mem Forma final.
נ n n n n nun
ן n, m n, m n, ŋ, m n, m lange nun Forma final.
ס s s s s samekh
ע e e ɛ, ə e ayin
פּ p p p p pey Não tem forma final diferenciada.
פֿ f f f f fey
פ (none) f f (f) fey Alternativa não-YIVO para פֿ.
ף f f f f lange fey Forma final.
צ ts tz ts c tsadek
ץ ts tz ts c lange tsadek Forma final.
ק k k k k kuf
ר r r ʀ r reysh
ש sh sh ʃ š shin
שׂ s s s s sin Apenas em palavras de origem semita.
תּ t t t t tof Apenas em palavras de origem semita.
ת s s s s sof Apenas em palavras de origem semita.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Birnbaum, Salomo A., Praktische Grammatik der Jiddischen Sprache für den Selbstunterricht, Hartleben Verlag, Vienna, 1918, (in German), 5th ed., Grammatik der Jiddischen Sprache, mit einem Wörterbuch und Lesestücken, Buske Verlag, Hamburg, 1988, ISBN 3-87118-874-3.
  • Birnbaum, Solomon A., Yiddish: A Survey and a Grammar, University of Toronto Press, Toronto, 1979, (em alemão) ISBN 0-8020-5382-3.
  • Estraikh, Gennady, Soviet Yiddish: Language Planning and Linguistic Development, Clarendon Press, Oxford, 1999, ISBN 0-19-818479-4.
  • Fishman, Joshua A. (ed.), Never Say Die: A Thousand Years of Yiddish in Jewish Life and Letters, Mouton Publishers, The Hague, 1981, (in English and Yiddish), ISBN 90-279-7978-2.
  • Frakes, Jerold C., The Cultural Study of Yiddish in Early Modern Europe, Palgrave Macmillan, New York, 2007, ISBN 1-4039-7547-7.
  • Frakes, Jerold C., Early Yiddish Texts 1100-1750, Oxford University Press, Oxford, 2004, ISBN 0-19-926614-X.
  • Frank, Herman, Jewish Typography and Bookmaking Art, Hebrew-American Typographical Union, New York, 1938.
  • Harkavy, Alexander, Harkavy's English-Jewish and Jewish-English Dictionary, Hebrew Publishing Company, New York, 1898. Expanded 6th ed., 1910. scanned facsimile
  • Harkavy, Alexander, Yiddish-English-Hebrew Dictionary, Hebrew Publishing Company, New York, 1925. Expanded 2nd ed., 1928, reprinted, Yale University Press, 2005, ISBN 0-300-10839-7.
  • Herzog, Marvin, et al. (ed.), YIVO, The Language and Culture Atlas of Ashkenazic Jewry, 3 vols., Max Niemeyer Verlag, Tübingen, 1992–2000, ISBN 3-484-73013-7.
  • Jacobs, Neil G., Yiddish: A Linguistic Introduction, Cambridge University Press, Cambridge, 2005, ISBN 0-521-77215-X.
  • Katz, Dovid, Grammar of the Yiddish Language, Duckworth, London, 1987, ISBN 0-7156-2161-0. scanned facsimile
  • Katz, Dovid (compiler), Code of Yiddish Spelling, Oxforder Yidish Press, Oxford, 1992, (em iídiche), ISBN 1-897744-01-3. scanned facsimile
  • Schaechter, Mordkhe, The Standardized Yiddish Orthography: Rules of Yiddish Spelling, 6th ed., and The History of the Standardized Yiddish Spelling, YIVO Institute for Jewish Research, New York, 1999, (em iídiche e inglês), ISBN 0-914512-25-0.
  • Weinreich, Uriel, Modern Yiddish-English English-Yiddish Dictionary, YIVO Institute for Jewish Research, New York, 1968, ISBN 0-8052-0575-6.
  • Weinreich, Uriel, College Yiddish: an Introduction to the Yiddish language and to Jewish Life and Culture, 6th revised ed., YIVO Institute for Jewish Research, New York, 1999, (em inglês), ISBN 0-914512-26-9.
  • Yardeni, Ada, The Book of Hebrew Script, The British Library, London, 2002, (em inglês) ISBN 1-58456-087-8.