Oxalato de cálcio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Oxalato de cálcio
Alerta sobre risco à saúde
Calcium oxalate resonance.png
Nome IUPAC Etanodioato de cálcio
Identificadores
Número CAS 25454-23-3,(anhydrous)
5794-28-5 (monohydrate)
PubChem 16212978
Propriedades
Fórmula molecular CaC2O4
Massa molar 128.097 g/mol, anhydrous
146.112 g/mol, monohydrate
Aparência white solid
Densidade 2.2 g/cm³, anhydrous
2.2 g/cm³, monohydrate
Ponto de fusão

200 °C, decomposes (monohydrate)

Solubilidade em água 0.00067 g/100 ml (20 °C)
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

Oxalato de cálcio é um composto químico que forma cristais monoclínicos aciculares (isto é em forma de agulha) com importante significado biológico, ocorrendo em diferentes quantidades na generalidade dos seres vivos. Grande quantidade deste composto ocorre naturalmente na araceae comigo-ninguém-pode, na qual forma ráfides, nas folhas do ruibarbo e em várias espécies do gênero Oxalis. Em quantidades menores aparece nas folhas de espinafre. As pedras do rim (os cálculos renais) são, muitas vezes, formadas por depósitos de oxalato de cálcio.

Ocorrência[editar | editar código-fonte]

O oxalato de cálcio é encontrado em muitas plantas tropicais. Essa substância é venenosa e quando ingerida pode ser fatal.

As plantas do gênero Dieffenbachia contêm essa substância e no caso de ingestão pode causar perda de voz e sufocamento. Ela também pode ser encontrada no ruibarbo (em grandes quantidades nas folhas) e em espécies de Oxalis, Araceae, taro, quiuí, folhas de chá, agaves, Alocasia e no espinafre em quantidades variáveis. Cristais insolúveis de oxalato de cálcio são encontrados nos caules das plantas, raízes, folhas e são produzidos nos idioblastos. Pessoas que sofrem de cálculo renal, popularmente conhecido como pedra nos rins, devem evitar comer plantas ricas em oxalatos.

Microscopia da urina mostrando cristais de oxalato de cálcio na urina

Oxalato de cálcio, na forma de 'beerstone', é um precipitado castanho que tende a acumular-se em recipientes, barris e outros compartimentos utilizados na fermentação da cerveja. Caso não seja completamente removido do processo, esse precipitado pode criar uma superfície anti-higiênica que pode abrigar microorganismos. A Beerstone é composta de sais de cálcio e magnésio assim como vários compostos orgânicos depositados pelo processo de fermentação; isso promove o crescimento de microorganismos indesejados que podem afetar o produto de diversas formas.

Cristais de oxalato de cálcio na urina são os constituintes mais comuns do cálculo renal e a formação de cristais de oxalato de cálcio é também um dos efeitos tóxicos do envenenamento por etilenoglicol.

Formas de compostos hidratados ocorrem naturalmente em três espécies de minerais: whewelita (mono hidratado), weddelita (dihidratado) e uma forma muito rara trihidratada chamada caoxita.

Efeito da Ingestão[editar | editar código-fonte]

Até mesmo pequenas doses de oxalato de cálcio são suficientes para causar intensa sensação de queimação na boca e garganta, inchaço e asfixia. Os sintomas podem durar por até duas semanas. Em casos de ingestão de grandes doses pode ocorrer um grande mal estar no sistema digestório, dificuldade de respirar, coma e até morte. Recuperação de envenenamento por grandes doses de oxalato de cálcio é possível, no entanto o fígado e os rins são afetados permanentemente.

Tratamento[editar | editar código-fonte]

O tratamento inclui a administração de difenilhidramina, epinefrina ou famotidina. Todas são aplicadas na via intravenosa. Embora a irritação provavelmente seja uma reação localizada será tratada como uma reação anafilática .[carece de fontes?]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]