Polo geográfico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

O termo polo geográfico (pré-AO 1990: pólo geográfico) é empregado para designar cada uma das extremidades do eixo imaginário da Terra, e esta possui dois: Polo Norte, ou Ártico, está num ponto onde o oceano tem 4.087 metros de profundidade, e Polo Sul, ou Antártico, está a 2.992 metros acima do nível do mar. A iluminação solar é simétrica em ambos os polos, sendo duração de um dia completo o período de doze meses, seis de luz diurna e seis de escuridão noturna alternados. Os polos geográficos da Terra são fixos ao sentido de rotação do planeta e não coincidem com direção das linhas de força que apontam para o polos magnéticos. O prolongamento do eixo do planeta vai encontrar a esfera celeste em dois pontos chamados polos celestes.

A Terra se movimenta em relação a seu próprio eixo, este leva os polos a descrever uma curva ao redor de uma posição média. Durante o século XX o polo norte, devido a este movimento, oscilou num espaço de vinte metros quadrados. Existe ainda o fenômeno da nutação, (em astrometria, a oscilação do eixo do planeta em torno da posição média que ocuparia em consequência da precessão dos equinócios), onde o eixo terrestre muda lentamente de direção ao longo da eclíptica na direção oeste. Este tem um período de cerca de 26.000 anos. Esses movimentos, porém, não alteram a latitude ou a longitude.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre geografia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.