Prófase

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Na mitose, a prófase caracteriza-se pela individualização dos cromossomas duplicados no interior do núcleo, pelo aparecimento do fuso mitótico e pela decomposição da membrana nuclear (carioteca) e é o início da mitose. Acontece duplicação dos centriolos e formação dos fusos e aster.

É a etapa mais longa da mitose. As cromatinas espiralizam-se, tornando-se progressivamente mais condensadas, curtas e grossas, formando os cromossomos. Os centrossomos (dois pares de centríolos) afastam-se para polos opostos, formando entre eles o fuso acromático. O fuso acromático (ou fuso mitótico) é formado por feixes de fibrilas de microtúbulos proteicos, que são feitos de tubulina.[1]


No final da prófase, o(s) nucléolo(s) desaparece(m) e o invólucro nuclear desagrega-se.[2] [3]

a prófase tem 5 subfases mas a sua principal é o paquiteno que ocorre a troca de cromossomos fazendo com que não fiquem com a mesma genetica.

Referências

  1. Biology of plants. [S.l.: s.n.], 2012. 58–67 p. OCLC 56051064 ISBN 978-0-7167-1007-3
  2. Mader, Sylvia. Biology. [S.l.]: The McGraw Hill Companies, 2010. 156 p. ISBN 978-0-07-352543-3
  3. (2008) "Subdiffraction Multicolor Imaging of the Nuclear Periphery with 3D Structured Illumination Microscopy". Science 320 (5881): 1332. DOI:10.1126/science.1156947. PMID 18535242. Bibcode2008Sci...320.1332S.
Ícone de esboço Este artigo sobre Biologia celular é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.