Relacionamento

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O relacionamento entre pessoas é a forma como eles se tratam e se comunicam.

Quando os indivíduos se comunicam bem, e o gostam de fazer, diz-se que há um bom relacionamento entre as partes.

Quando os indivíduos se tratam mal, e pelo menos um deles não gosta de entrar em contacto com os restantes, diz-se que há um mau relacionamento.

Parceria[editar | editar código-fonte]

Parceria é o trabalho em conjunto que as pessoas fazem para alcançar um objetivo comum.

Para haver parceria entre os indivíduos, quase sempre eles devem possuir harmonia de interesses, ou seja, alguém sempre vai ter que ceder (perder) em alguma vantagem para manter a cooperação funcionando.

De acordo com as moralidades, todas as pessoas que estiverem se encontrando propositalmente ou acidentalmente devem, no mínimo, se respeitarem, ou seja, tratar uma à outra com educação, e se não poder ajudar o próximo, não o atrapalhar.

O problema é que essas regras morais não são exatas e podem ser burladas com certa facilidade, e quando um indivíduo se sente injustamente denegrido por outro, há um início de problema de relacionamento entre as partes.

O problema maior é que na sociedade ocorre casos de pessoas que inventam estarem sendo injustiçadas, com o motivo primário de fazer a sociedade culpar uma pessoa-alvo, assim como há pessoas que realmente estão sendo injustiçadas, mas ao reclamarem, não recebe atenção maior das autoridades e dos companheiros.

Autoridade[editar | editar código-fonte]

A autoridade é o ser que tem maior poder em um ambiente (lugar) na sociedade, e por consequência, ganha função de coordenar o relacionamento entre pessoas (trabalhadores, crianças, estudantes, pedestres), uma vez que os subordinados o prestam obediência.

Há ocasiões em que pessoas tentam entrar em harmonia de interesses com a autoridade, com a finalidade de iniciar uma parceria e tirar proveito do grau de poder do parceiro.

Para ser uma autoridade, o indivíduo não precisa necessariamente ter o consentimento dos outros (apesar de que este é um fator que ajuda), ele precisa apenas de ter o direito de, pelas regras sociais, assumir determinado poder.

Assim, um indivíduo pode usar a violência para ser reconhecido como autoridade, e determindar o que é certo e o que é errado pela ação do medo, assim como as novas relações sociais.

Liderança[editar | editar código-fonte]

Liderança é a autoridade não imposta, mas, conquistada. O grupo consente em dar autoridade para um indivíduo, mesmo que informalmente.O bom líder é aquele que consegue influenciar sem imposição, mas, pelo seu serviço e ideais. Quando um indivíduo não é uma autoridade formal, mas informalmente exerce o poder , costuma-se dizer que ele ainda assim assume a liderança.

Algumas formas de se chegar à liderança são através do carisma, da harmonia de interesses, do companheirismo, do consentimento.

Alguns obstáculos preconceituosos que ajudam ou atrapalham um indivíduo a obter carisma e liderança são a beleza, o nível acadêmico, a riqueza e a classe social.

Problemas de relacionamento[editar | editar código-fonte]

O problema de relacionamento começa quando um indivíduo se sente desmoralizado por outro, e procura evitá-lo. Pesquisas recentes demonstram que a falta de sexo é o factor número um dessa causa.

Quando dois indivíduos se antagonizam, por muitas vezes a sociedade não sabe quem é o responsável pela inimizade, uma vez que não acompanha por completo a vida dos dois, e talvez não viu o incidente.

Por isso, a maioria dos infratores costumam ficar a sós com a vítima e pessoas de interesses comuns, evitando cometer um incidente na frente da autoridade, e principalmente na frente de um líder ou amigo da vítima.

Quando o infrator agride a vítima repetitidamente com discriminação, com apoio de outros, e sem a sociedade dar atenção ou assistência para a vítima, o caso passa a ser chamado de bullying. O bullying ocorre principalmente em lugares que a vítima é obrigada a conviver com o autor (em casa, no trabalho ou na escola) e a autoridade não dá assistência para as reclamações da vítima.

Ver também[editar | editar código-fonte]