Simon Sulzer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Simon Sulzerus Bernensis
(1508-1585)
theologus
Data de nascimento 23 de setembro de 1508
Local de nascimento Schattenhalb, Suíça
Data de falecimento 22 de junho de 1585
Local de falecimento Basileia, Suíça
Ocupação teólogo e reformador
Alma mater Universidade de Basileia

Simon Sulzer (Schattenhalb, 23 de setembro de 1508  — Basileia, 22 de junho de 1585) foi um teólogo, reformador e antístite[1] da Igreja de Basileia.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Fez seus estudos fundamentais em Berna e Lucerna. A súbita morte de seu pai, preboste na cidade de Interlaken, o forçou a recorrer a trabalhos manuais para se manter. Trabalhou como barbeiro em Estrasburgo e assistiu aulas com Martinus Bucerus e Wolfgang Capito (1478-1541)[2] . Em 1531, se mudou para a Basiléia, onde se associou a Simon Grynaeus, trabalhando como leitor de prova na oficina tipográfica de Johannes Hervagius (1497-1559)[3] , e também atuou como professor. Em 1533 foi professor em Berna, professor de teologia da Academia e pastor do colegiado.

Em 1536 decide sua preferência pela teologia de Lutero, que vem a conhecer em Wittenberg, em 1538, tendo a figura do reformador o impressionado muito, como revelaria a seu amigo Joachim Vadianus (1484-1551)[4] . Ele reclamou das discordância de Lutero com relação ao suíços. Durante esse período, a geração mais antiga de reformadores de Berna, tais como, Berchtold Haller (1492-1536) e Franz Kolb (1465-1535)[5] haviam morrido, e uma nova direção se estabelecera por alguns teólogos de Estrasburgo, à qual ele também aderiu. Devido à sua inteligência e erudição, logo se tornou líder dos clérigos de Berna. O impacto causado pela sua influência era multifacetário e ambíguo. A luta com os seguidores de Ulrich Zwingli (1484-1531) desgastaram as suas forças, porém, em 1548, teve de ceder, e abandonou a cidade. Em 1552 atuou como professor de hebraico e depois deu aulas sobre o Novo Testamento em Basileia (1554-56).

Em 1549, recebeu um posto como primeiro pastor da Igreja de São Pedro, em Basileia[6] , depois como professor e antístite da igreja de Basileia em 1553. Aqui ele agiu com mais cuidado do que em Berna. Ele se esforçou muito para conseguir a reconciliação entre as igrejas da Alemanha e da Suíça, embora mantivesse uma distância relativa entre as posições mantidas pelos seguidores de Zwingli e de Calvino. Suas inclinações luteranas o levaram a favorecer a Fórmula de Concórdia (1577)[7] em detrimento da Segunda Confissão Helvética (1562), bem como promover a confissão privada, a utilização de órgãos e de sinos pela igreja. De modo que ele ocupava uma posição desconfortável diante das igreja da Suíça, provocando com isso a oposição. Seus esforços se mostraram ser um episódio efêmero em Basileia.

Sem abandonar o seu posto em Basileia, foi também Superintendente[8] em Rötteln[9] e desempenhou papel relevante no papel da introdução da Reforma na Marca de Baden-Durlach. Sulzer foi um trabalhador enérgico e responsável até idade avançada.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Antístite: pontífice, bispo ou líder religioso de uma igreja.
  2. (em alemão) Wolfgang Capito (1478-1541)
  3. (em alemão) Johannes Hervagius (1497-1559)
  4. (em alemão) Joachim von Watt (1484-1551)
  5. (em alemão) Franz Kolb (1465-1535)
  6. (em alemão) Igreja de São Pedro (Basileia)
  7. (em espanhol) Fórmula de la Concordia
  8. (em inglês) Superintendente: chefe da divisão administrativa de uma igreja protestante.
  9. Rötteln, pequena cidade alemã, que hoje faz parte do distrito de Haagen, na cidade de Lörrach, Baden-Württemberg