Sweet Charity (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Esse é um artigo sobre o filme. Para o espetáculo teatral, veja Sweet Charity.
Sweet Charity
Sweet Charity - A Rapariga que Queria Ser Amada (PT)
Charity, meu amor (BR)
 Estados Unidos
1969 • cor • 149 min 
Direção Bob Fosse
Roteiro Peter Stone (roteiro)
Neil Simon (roteiro)
Federico Fellini (argumento)
Ennio Flaiano (argumento)
Elenco Shirley MacLaine
John McMartin
Ricardo Montalban
Chita Rivera
Paula Kelly
Género Musical
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

Sweet Charity (br.: Charity, meu amor / pt.: Sweet Charity - A Rapariga que Queria Ser Amada) é um filme estadunidense de 1969 do gênero Musical dirigido e coreografado por Bob Fosse. O roteiro é de Neil Simon e foi baseado no espetáculo homônimo de 1966, igualmente coreografado por Fosse, que por sua vez conta uma história inspirada em Noites de Cabiria, película italiana de Federico Fellini. A produção americana é notável pelos figurinos de Edith Head e os números de dança (principalmente "Rich Man's Frug"e "(Hey), Big Spender"). No filme de Fellini a protagonista é uma prostituta sonhadora que passa por altos e baixos românticos, enquanto na versão americana ela é uma dançarina de aluguel (taxi dancer) em uma boate em Times Square. O título americano completo é Sweet Charity: The Adventures of a Girl Who Wanted to Be Loved ("Doce Charity: as aventuras de uma moça que queria ser amada").

Números musicais[editar | editar código-fonte]

  1. "My Personal Property"
  2. "(Hey,) Big Spender"
  3. "The Pompeii Club"
  4. "Rich Man's Frug"
  5. "If They Could See Me Now"
  6. "The Hustle"
  7. "There's Got To Be Something Better Than This"
  8. "It's A Nice Face"
  9. "The Rhythm of Life"
  10. "Sweet Charity"
  11. "I'm A Brass Band"
  12. "I Love To Cry At Weddings"
  13. "Where Am I Going?"

Elenco principal[editar | editar código-fonte]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Charity é uma dançarina de aluguel que trabalha num clube de dança com as amigas Nickie e Helene. Ela acredita no amor mas não tem sorte com os homens que conhece. Charity tatuou o nome de um deles em seu braço, Charlie, que se mostra um vigarista que a explorava e a abandonou ao roubar todo seu dinheiro e empurrá-la de uma ponte do Central Park, onde ela quase se afogou. Mesmo assim Charity acredita por um bom tempo que ele voltará. Quando finalmente o esquece, tenta deixar de ser dançarina e vai a uma agência de empregos. Ao ficar presa no elevador, ela conhece o problemático Oscar e os dois começam um romance.Charity não revela sua real ocupação e isso a atormenta, até que ele a pede em casamento.

Final alternativo[editar | editar código-fonte]

Em cópias de DVD é mostrado um final alternativo, na qual Oscar salva Charity de afogamento num riacho no Central Park.

Produção[editar | editar código-fonte]

Tendo sido o diretor da peça exibida na Broadway, Bob Fosse teve sua primeira oportunidade no cinema ao ser contratado para realizar o filme. Foi também a estréia de Chita Rivera e Paula Kelly, além de Ben Vereen que interpreta um dos dançarinos. John McMartin repete seu papel no espetáculo da Broadway. O filme custou 20 milhões de dólares mas arrecadou apenas 4 milhões, o que foi um grande prejuízo para a Universal Pictures.[1]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. http://www.allmovie.com/cg/avg.dll?p=avg&sql=1:48091~T1
  2. NY Times: Sweet Charity NY Times.. Página visitada em 27-12-2008.
  3. Festival de Cannes: Sweet Charity festival-cannes.com.. Página visitada em 10-04-2009.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]