Teofilato Simocata

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Teofilato Simocata ou Teofilacto Simocata (em grego: Θεοφύλακτος Σιμοκάτ(τ)ης - Theophylaktos Simokat(t)es)[1] foi um historiador bizantino do início do século VII, possivelmente o último historiador da Antiguidade Tardia, e que escreveu no tempo do imperador Heráclio (ca. 630) sobre o finado imperador Maurício (r. 582-602)[2] .

Vida e obras[editar | editar código-fonte]

Imperador Heráclio recebendo homenagem do imperador sassânida Cosroes II, um evento da época de Simocata
Placa oriunda de uma cruz. Esmalte champlevé sobre cobre dourado, 1160-1170, Vale do Meuse. Atualmente no Louvre.

Simocata é melhor conhecido como o autor de uma "História", em oito livros, do reinado do imperador Maurício (r. 582-602), a melhor e mais antiga fonte sobre o período. Porém, sua obra é de estatura menor que a de Procópio de Cesareia e seu estilo - auto-definido como "clássico" - é pomposo, mas ela ainda assim é fundamental para as informações sobre os eslavos, ávaros eurasianos e os persas no período, além de descrever em detalhes o fim do imperador[3] . Ele menciona a guerra final de Heráclio contra os persas (602-628), mas não a contra os árabes (que começou em 634). Por isso, é provável que ele tenha escrito por volta de 630. Entre suas fontes está a "História" de João de Epifânia.

Edward Gibbon disse sobre ele, "Sua necessidade de julgar faz dele um autor que se perde em trivialidades e conciso nos fatos mais importantes"[4] . Apesar disso, a admite-se que Simocata é uma fonte fiável. Sua obra contém uma introdução na forma de um diálogo entre a História e a Filosofia.

Nicolau Copérnico traduziu versos gregos de Teofilato para uma prosa em latim e publicou-a, numa edição dedicada ao seu tio Lucas Watzenrode, na Cracóvia em 1509, tendo como editor Johann Haller[5] (1463-1525). É o único livro jamais publicado por Copérnico por sua conta e ordem[6] .

Simocata também foi o aturo de "Problemas de Física", uma obra sobre História Natural[7] e de uma coleção de 85 ensaios na forma de epístolas[8] .

Referências

  1. Outras formas são Simocattos e Simocatos.
  2. J.D.C. Frendo, "History and Panegyric in the Age of Heraclius: The Literary Background to the Composition of the 'Histories' of Theophylact Simocatta", Dumbarton Oaks Papers, 1988.
  3. Important editions published in 1609, ed. pr. by J. Pontanus, and C.G. de Boor in 1887.
  4. E. Gibbon, A História do Declínio e Queda do Império Romano, The Folio Society (1997), s.v. "Simocatta".
  5. (em alemão) Personensuche
  6. Angus Armitage, The World of Copernicus, pp. 75–77.
  7. Cf. ed. J. Ideler in Physici et medici Graeci minores, i. 1841.
  8. A melhor edição foi publicada em 1873 por R. Hercher em Epistolographi Graeci. As epístolas foram traduzidas em 1509 por Copérnico e reeditadas em 1873 por F. Hipler em Spicilegium Copernicanum.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Michael and Mary Whitby, translators, The History of Theophylact Simocatta: An English Translation with Introduction, Oxford University Press, 1986, ISBN 0-19-822799-X, 9780198227991
  • Angus Armitage, The World of Copernicus, New York, Mentor Books, 1947.
  • Este artigo incorpora texto da Encyclopædia Britannica (11ª edição), publicação em domínio público.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • História (em <código de língua não-reconhecido>). [S.l.: s.n.].