Tonino Guerra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tonino Guerra
Nascimento 16 de Março de 1920
Santarcangelo di Romagna
Morte 21 de março de 2012 (92 anos)
Santarcangelo di Romagna
Nacionalidade Itália italiana
Ocupação poeta, escritor e roteirista
Prémios Prémio David (1981, 1984 e 1985)
Prémio Nonino
Prémio Pasolini

Tonino Guerra (Santarcangelo di Romagna, 16 de Março de 1920 - Santarcangelo di Romagna, 21 de Março de 2012) foi um poeta, escritor e roteirista italiano que tem colaborado com alguns dos mais importantes realizadores do mundo[1] .

Biografia[editar | editar código-fonte]

Descendente de Cesare Zavattini um argumentista que definiu o estilo e amoral do neo-realismo italiano, Guerra diverge contudo do seu mentor: enquanto Zavattini conduzia os realizadores com quem colaborava para a sua especulação social e moral, Guerra vai ter com os realizadores e ajuda-os a ultrapassar o seu próprio conceito. Professor primário, durante a Segunda Guerra Mundial esteve preso num campo de concentração.

Tonino Guerra tem trabalhado com realizadores de diferentes identidades estéticas, sociais, políticas e cinemáticas. Entre esses há a referir Michelangelo Antonioni com L'avventura, La notte, L'eclisse, The Red Desert, Blowup, Zabriskie Point e Identification of a Woman; Federico Fellini com Amarcord; Theo Angelopoulos com Landscapes in the Mist, Eternity and a Day e The Weeping Meadow; Andrei Tarkovsky with Nostalghia e Francesco Rosi com as políticas militantes em Cristo si è fermato a Eboli, The Mattei Affair, Lucky Luciano e Exquisite Corpses.

Obras destacadas[editar | editar código-fonte]

O poeta e narrador Guerra publicou diversas obras:

Em romagnolo[editar | editar código-fonte]

O romagnolo é um (dialeto italiano falado na região da Romanha , na Itália e São Marinho).

  • I scarabócc, Faenza, 1946; com prefácio de, escrito entre 1944 e 1945 num campo de concentração.
  • La s-ciuptèda, Faenza, 1950
  • Lunario, Faenza, 1954
  • I bu (raccolta), Milão, 1972

Em italiano[editar | editar código-fonte]

  • La storia di Fortunato (1952)
  • Dopo i leoni (1956)
  • L'equilibrio (1967)
  • L'uomo parallelo (1969)
  • I cento uccelli (1974)
  • Il polverone (1978)
  • Il miele (1981)
  • L'aquilone. Una favola senza tempo (com Michelangelo Antonioni) (1982)
  • La capanna (1985)
  • Il viaggio (1986)
  • Il libro delle chiese abbandonate , um livro de contos (1988), traduzido em Portugal (1ª ed. 1997) com o título "O livro das igrejas abandonadas", tradução de José Colaço Barreiros e introdução do conhecido jornalista Vicente Jorge Silva.
  • L'orto d'Eliseo (1989)

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Como argumentista participou nos seguinte filmes:

Prémios[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Great screenwriter Guerra dies at 92 (em inglês) (21 de Março de 2012). Visitado em 21 de Março de 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.