Uso recreativo de drogas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde setembro de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Trechos sem fontes poderão ser removidos.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.

O uso recreativo de drogas é o uso de uma droga, usualmente psicoativa, com propósitos recreativos. Porém, tal uso é controverso, sobretudo quando se trata de drogas cujo uso é ilegal. Além disso, pode sobrepor-se com outros usos, como medicinal (incluindo automedicação) e enteogénico (espiritual).

Entre as drogas geralmente consideradas como de uso recreativo incluem-se as bebidas alcoólicas e o tabaco, e drogas abrangidas pelas convenções das Nações Unidas, nomeadamente Convenção Única Sobre Estupefacientes e a Convenção Sobre Substâncias Psicotrópicas. O facto de o uso da cafeína poder ser considerado recreativo é muitas vezes ignorado. O psicofarmacólogo Ronald K. Siegel refere-se à intoxicação como o "quarto impulso", argumentando que o instinto humano de procurar substâncias psicotrópicas tem tanta força e persistência que funciona como o desejo humano de satisfazer a fome, sede e a necessidade de abrigo.[1]

Referências

  1. Siegel, Ronald K. Intoxication: The universal drive for mind-altering substances. Vermont: Park Street Press, 2005. vii pp. ISBN 1-59477-069-7