Vidro borossilicato

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Material de laboratório em vidro borossilicato Schott.

O vidro borossilicato[1] é um tipo de vidro resistente ao calor e aos elementos químicos, sendo usado nos laboratórios e indústrias químicas, em equipamento de cozinha, iluminação e em janelas especiais.

História[editar | editar código-fonte]

O vidro borossilicato foi inventado na Alemanha pelo químico e técnico de vidros Otto Schott, após um processo de desenvolvimento que decorreu entre 1887 e 1893, altura em que começou a ser comercializado.[2]

Entretanto foram registadas várias marcas de vidro borossilicato:

  • Pyrex pela Corning Glass Works em 1915, que se tornou um sinónimo deste tipo de vidro.
  • Endural pela Holophane, coberturas em vidro para candeeiros de iluminação pública.[3]
  • Bomex pela VEE GEE Scientific, Inc. material de laboratório[4]

Processo de fabrico e composição[editar | editar código-fonte]

O vidro borossilicato é fabricado adicionando boro aos componentes tradicionais do vidro.

Composição média do vidro borissilicato[5]

Componente Percentagem
Dióxido de silício (SiO2) 81%
Trióxido de Boro (B2O3) 13%
Óxido de Sódio (Na2O) 4%
Óxido de alumínio (Al2O3) 2%

Atingindo o ponto de fusão a uma temperatura mais elevada do que o vidro comum[6] exige fornos adaptados ao seu fabrico. A indústria foi buscar inspiração aos equipamentos de soldagem, recorrendo nomeadamente a queimadores alimentados oxigénio e gás natural.

Características físicas[editar | editar código-fonte]

O vidro borossilicato tem um coeficiente de dilatação de cerca de 3,2 contra 8,6 do vidro comum.[7]

O vidro borossilicato começa a amolecer cerca dos 821 °C (o vidro comum amolece a 550 °C) ; a esta temperatura a viscosidade do vidro Pyrex 7740(um tipo de vidro borossilicato) é de 107,6 poise.[8]

O vidro borossilicato tem uma densidade de 2,23 g/cm3[9] inferior à do vidro comum(2,57 g/cm3).[10]

Ainda que seja mais resistente ao choque térmico do que outros tipos de vidros, o vidro borossilicato pode ainda rachar ou quebrar-se quando sujeito a variações rápidas ou desiguais da temperatura. Ao partir tem tendencia a quebrar-se em bocados grandes em vez de lascar em pequenas peças.

Utilização[editar | editar código-fonte]

As suas propriedades de resistência ao calor tornam este tipo de vidro útil em material de laboratório que tenha que suportar temperaturas elevadas. O seu baixo coeficiente de dilatação permite que instrumentos de vidro possam manter a precisão das suas medidas mesmo quando sujeitos ao calor.

Outro uso comum é como utensílio de cozinha, quer pelos recipientes e pratos resistentes à temperatura dos fornos, quer pelos copos graduados para medir quantidades de ingredientes.

Alguns aquecedores de aquário são envolvidos em recipientes de borossilicato aproveitando a resistência deste vidro à diferença de temperatura entre a resistência de aquecimento e a água envolvente.

Também algumas lanternas de iluminação usam vidro de borossilicato assegurando assim uma elevada capacidade de transmissão da luz quando comparada com vidros comuns ou plástico.

O vidro de borossilicato é usado ainda em copos e outros recipientes para bebidas de alta qualidade. O uso deste vidro assegura-lhes uma elevada durabilidade e resistência aos choques térmicos suportando nomeadamente o aquecimento em fornos microondas.

Este vidro é também utilizado nos telescópios astronómicos devido à sua reduzida dilatação com a temperatura.

O seu baixo coeficiente de dilatação é também aproveitado no fabrico de espelhos de telescópio onde é essencial que haja poucos desvios na forma provocados pela temperatura.

É também utilizado no processo de armazenamento de resíduos nucleares em que estes são contidos em vidro através de um processo chamado vitrificação,[11] procurando por esta via envolver os resíduos num material altamente resistente a variações térmicas.

Referências

Ver ambém[editar | editar código-fonte]