Sódio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde fevereiro de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Pix.gif Sódio Stylised Lithium Atom.svg
NéonSódioMagnésio
Li
  Cubic-body-centered.png
 
11
Na
 
               
               
                                   
                                   
                                                               
                                                               
Na
K
Tabela completaTabela estendida
Aparência
branco-prateado; metálico



Linhas espectrais do sódio
Informações gerais
Nome, símbolo, número Sódio, Na, 11
Série química metais alcalinos
Grupo, período, bloco 1 (IA), 3, s
Densidade, dureza 968 kg/m3, 0,5
Número CAS
Número EINECS
Propriedade atómicas
Massa atômica 22,98976928(2) u
Raio atómico (calculado) 186 pm
Raio covalente 154 pm
Raio de Van der Waals 227 pm
Configuração electrónica [Ne] 3s1
Elétrons (por nível de energia) 2, 8, 1 (ver imagem)
Estado(s) de oxidação +1 (base forte)
Óxido
Estrutura cristalina cúbico de corpo centrado
Propriedades físicas
Estado da matéria sólido
Ponto de fusão 370,95 K
Ponto de ebulição 1156 K
Entalpia de fusão 2,598 kJ/mol
Entalpia de vaporização 96,96 kJ/mol
Temperatura crítica  K
Pressão crítica  Pa
Volume molar m3/mol
Pressão de vapor 1 Pa a 554 K
Velocidade do som 3200 m/s a 20 °C
Classe magnética paramagnético
Susceptibilidade magnética 8,5x10-6
Permeabilidade magnética
Temperatura de Curie  K
Diversos
Eletronegatividade (Pauling) 0,93
Calor específico 1230 J/(kg·K)
Condutividade elétrica S/m
Condutividade térmica 141 W/(m·K)
Potencial de ionização 495,8 kJ/mol
2º Potencial de ionização 4562 kJ/mol
3º Potencial de ionização 6910 kJ/mol
4º Potencial de ionização {{{potencial_ionização4}}} kJ/mol
5º Potencial de ionização {{{potencial_ionização5}}} kJ/mol
6º Potencial de ionização {{{potencial_ionização6}}} kJ/mol
7º Potencial de ionização {{{potencial_ionização7}}} kJ/mol
8º Potencial de ionização {{{potencial_ionização8}}} kJ/mol
9º Potencial de ionização {{{potencial_ionização9}}} kJ/mol
10º Potencial de ionização {{{potencial_ionização10}}} kJ/mol
Isótopos mais estáveis
iso AN Meia-vida MD Ed PD
MeV
22Na sintético 2,602 a ε 2,842 22Ne
23Na 100% estável com 12 neutrões
Unidades do SI & CNTP, salvo indicação contrária.

O sódio é um elemento químico de símbolo Na (Natrium em latim), de número atômico 11 ( 11 prótons e 11 elétrons ) e massa atômica 23 u. É um metal alcalino, sólido na temperatura ambiente, macio, untuoso, de coloração branca, ligeiramente prateada. Foi isolado em 1807 por Sir Humphry Davy por meio da eletrólise da soda cáustica fundida (se a eletrólise for feita com solução de soda cáustica, irá se obter hidrogênio e oxigênio apenas). O sódio metálico emprega-se em síntese orgânica como agente redutor. É também componente do cloreto de sódio ( NaCl ) necessário para a vida. É um elemento químico essencial.

Principais características[editar | editar código-fonte]

Sais de sódio quando expostos ao fogo emitem luz amarela

É muito abundante na natureza, encontrado no sal marinho e no mineral halita. No teste de chama arde na cor amarela. Na sua forma metálica é muito reativo, se oxida com o ar, reage violentamente com a água e é muito corrosivo quando entra em contato com a pele.

Não é encontrado livre na natureza, pois decompõe a água produzindo um hidróxido com desprendimento de hidrogênio. Normalmente não arde em contato com o ar abaixo de 388 K (115 °C).

História[editar | editar código-fonte]

O cátion sódio (do italiano soda = sem sabor) é conhecido em diversos compostos. Foi isolado em 1807 por Sir Humphry Davy através da eletrólise da soda cáustica. Na Europa medieval era empregado como remédio para as enxaquecas um composto de sódio denominado sodanum. O símbolo do sódio (Na), provém de natron ( ou natrium, do grego nítron ) nome que recebia antigamente o carbonato de sódio.

Aplicações[editar | editar código-fonte]

O sódio metálico emprega-se em síntese orgânica como agente redutor.

Alguns usos:

  • Em ligas anti-atrito com o chumbo para a produção de balas (projéteis). Com o chumbo também é usado para a produção de aditivos antidetonantes para as gasolinas;
  • Na fabricação de detergentes combinando-o com ácidos graxos;
  • Na purificação de metais fundidos;
  • A liga NaK é empregada como transferente de calor. O sódio também é usado como refrigerante;
  • É empregado na fabricação de células fotoelétricas;
  • Na iluminação pública, através das lâmpadas de vapor de sódio;
  • Na produção de diversos reagentes químicos, como o peróxido de sódio e o cianeto de sódio;
  • Na indústria de borracha sintética;
  • Na obtenção de titânio e zircônio a partir dos seus cloretos ou óxidos;[1]

Papel biológico[editar | editar código-fonte]

Equilíbrio hídrico[editar | editar código-fonte]

O sódio tem um papel importante no balanço hídrico da água corporal. Nos mamíferos, a diminuição da pressão arterial e da concentração de sódio no sangue são detectadas pelos rins, resultando na produção de renina, um hormônio que atua de várias formas, sendo uma delas a liberação indireta de aldosterona, um hormônio que diminui a excreção de sódio na urina, e consequentemente provoca retenção de sódio e água. Por outro lado, a vasopressina atua diminuindo a concentração sanguínea de sódio, pois somente atua na retenção de água corporal, também a nível renal. A vasopressina é o principal hormônio no controle da natremia (concentração plasmática de sódio).

Manutenção do potencial elétrico da membrana celular[editar | editar código-fonte]

Os cátions de sódio são importantes para a correta função dos neurônios e de diversas outras células animais. O sódio é o principal cátion do líquido extracelular (líquido corporal que está fora das células), onde está numa concentração muito maior do que no compartimento intracelular. Essa diferença de concentração se deve principalmente à existência da bomba de sódio e potássio, e são esses dois eletrólitos os maiores responsáveis pelo potencial de ação celular em animais.

Abundância e obtenção[editar | editar código-fonte]

Depósitos de NaCl

O sódio é relativamente abundante nas estrelas, detectando-se sua presença através da linha D do espectro solar, situada aproximadamente no amarelo. A crosta terrestre contém aproximadamente 2,6% de sódio, sendo o quarto elemento mais abundante e o mais comum entre os metais alcalinos.

Atualmente é obtido pela eletrólise ígnea do cloreto de sódio fundido a 808 graus celsius, procedimento mais econômico que os usados anteriormente. É um metal barato.

O composto mais abundante de sódio é o cloreto de sódio, o sal comum de cozinha. Também se encontra presente em diversos minerais como anfíbolas, trona, halita, zeólitos e outros.

Compostos[editar | editar código-fonte]

Os compostos de sódio de maior importância industrial e comercial são:

Isótopos[editar | editar código-fonte]

Há treze isótopos do elemento sódio conhecidos. O único estável é o 23Na. O sódio possui dois isótopos radioativos cosmogênicos: 22Na e 24Na. O primeiro com períodos de semidesintegração de 2605 anos e o segundo de aproximadamente 20 horas.

Precauções[editar | editar código-fonte]

Na forma metálica o sódio é explosivo, e em contato com água é venenoso quando combinado com muitos outros elementos. O metal deve ser sempre manipulado com muito cuidado e, armazenado em atmosfera ou fluidos inertes (normalmente se usam os hidrocarbonetos desidratados, como o querosene) evitando o contato com a água e outras substâncias com os quais o sódio reage.

O uso de óculos de proteção é sempre necessário, pois seus estilhaços, se houverem, podem reagir violentamente com o fluido lacrimal.

Em caso de contato com a pele, jamais deve lavar-se com água mas sim com álcool, até a completa remoção do metal e posteriormente, tratar como uma queimadura por álcali cáustico, como o hidróxido de sódio.

Sua eliminação é sempre feita em álcool etílico, com o qual reage lentamente, formando alcoolato que posteriormente pode ser eliminado com água numa reação muito menos enérgica.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Eduardo Motta Alves Peixoto, SÓDIO, Disponível em:<http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc10/elemento.pdf, acessado dia 05 de maio de 2014>

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Sódio