Ástato

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2014). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Trechos sem fontes poderão ser removidos.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.
Pix.gif Ástato Stylised Lithium Atom.svg
PolónioÁstatoRádon
I
   
 
85
At
 
               
               
                                   
                                   
                                                               
                                                               
At
Tabela completaTabela estendida
Aparência
Metálico
Informações gerais
Nome, símbolo, número Ástato, At, 85
Série química Halogénios
Grupo, período, bloco 17, 6, p
Densidade, dureza kg/m3,
Número CAS 7440-68-8
Número EINECS
Propriedade atómicas
Massa atômica (210) u
Raio atómico (calculado) pm
Raio covalente 127 pm
Raio de Van der Waals pm
Configuração electrónica [Xe] 4f14 5d10 6s2 6p5
Elétrons (por nível de energia) 2, 8, 18, 32, 18, 7 (ver imagem)
Estado(s) de oxidação ±1,3,5,7
Óxido
Estrutura cristalina
Propriedades físicas
Estado da matéria sólido
Ponto de fusão 575 K
Ponto de ebulição 610 K
Entalpia de fusão kJ/mol
Entalpia de vaporização 40 kJ/mol
Temperatura crítica  K
Pressão crítica  Pa
Volume molar m3/mol
Pressão de vapor 10 kPa a 392 K
Velocidade do som s.d. m/s a 20 °C
Classe magnética s.d.
Susceptibilidade magnética
Permeabilidade magnética
Temperatura de Curie  K
Diversos
Eletronegatividade (Pauling) 2,2
Calor específico s.d. J/(kg·K)
Condutividade elétrica S/m
Condutividade térmica 1,7 W/(m·K)
Potencial de ionização 920 kJ/mol
2º Potencial de ionização kJ/mol
3º Potencial de ionização kJ/mol
4º Potencial de ionização kJ/mol
5º Potencial de ionização kJ/mol
6º Potencial de ionização kJ/mol
7º Potencial de ionização kJ/mol
8º Potencial de ionização kJ/mol
9º Potencial de ionização kJ/mol
10º Potencial de ionização kJ/mol
Isótopos mais estáveis
iso AN Meia-vida MD Ed PD
MeV
210At 100% 8,1 h ε
α
3,981
5,631
210Po
206Bi
Unidades do SI & CNTP, salvo indicação contrária.

O astato (também ástato ou astatínio) é um elemento químico de símbolo At e de número atómico igual a 85 (85 prótons e 85 elétrons), com massa atómica de aproximadamente [210] u. É encontrado no Grupo 17 ou VIIA da classificação periódica dos elementos. À temperatura ambiente, o astato encontra-se no estado sólido. Há atualmente cerca de 31g de astato na Terra, sendo assim o elemento mais raro de que se tem notícia.

Foi sintetizado pela primeira vez em 1940 por Dale R. Corson, Kenneth Ross MacKenzie, e Emilio Gino Segrè.

Características principais[editar | editar código-fonte]

Este elemento altamente radioativo comporta-se quimicamente como os demais halogênios, especialmente como o iodo. O astato tem caráter mais metálico que o iodo. Pesquisadores do Laboratório Nacional de Brookhaven identificaram as reações e as medidas elementares que envolvem o astato. A maioria das características do astato são conhecidos através dos seus isótopos sintéticos.

É o elemento mais pesado entre todos os halogênios, e apresenta cinco estados de oxidação: +7. +5, +3, +1 e -1. Forma compostos com outros halogênios, tais como, AtCl e AtI.

Aplicações[editar | editar código-fonte]

O astato tem maior importância no campo teórico do que no campo prático. Atualmente, não é conhecida nenhuma aplicação prática deste elemento.

História[editar | editar código-fonte]

O astato ( do grego "astatos", que significa "instável" ) foi primeiramente sintetizado em 1940 por Dale R. Corson, K. R. MacKenzie, e Emilio Gino Segre na Universidade da Califórnia, Berkeley , Estados Unidos , bombardeando o bismuto com partículas alfa.

Ocorrência e obtenção[editar | editar código-fonte]

O astato só existe na crosta terrestre como isótopos radioativos. A quantidade total de astato na crosta terrestre é estimada em menos de 32 gramas. É encontrado em minerais de urânio e tório, porém em quantidades muito pequenas (traços). É resultante do lento decaimento do urânio e do tório, por pertencer a série radioativa destes elementos.

Os poucos microgramas de astato sintéticos foram produzidos pelo bombardeamento do bismuto com partículas alfa de alta energia.

Isótopos[editar | editar código-fonte]

Os isótopos do astato (ou astatínio) variam do 191At ao 223At, e todos são radioativos. O isótopo de mais longa meia-vida é o 210At cuja meia-vida é de somente 8,1 horas. O de menor vida é o isótopo 213At com uma meia-vida de 125 nanossegundos.

Precauções[editar | editar código-fonte]

Por ser altamente radioativo deve ser manuseado, nas investigações científicas, em condições especiais. A quantidade de astato na natureza é tão pequena que não oferece risco a saúde humana. Entretanto, quando injetado em animais, por ser um halogênio instala-se na glândula tiroide do mesmo modo que o iodo. Há indicações que seja altamente cancerígeno.

Referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Ástato