Laurêncio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pix.gif Laurêncio Stylised Lithium Atom.svg
NobélioLaurêncioRutherfórdio
Lu
   
 
103
Lr
 
               
               
                                   
                                   
                                                               
                                                               
Lr
Tabela completaTabela estendida
Aparência
desconhecida
Informações gerais
Nome, símbolo, número Laurêncio, Lr, 103
Série química Actinídeo, por vezes considerado metal de transição.
Grupo, período, bloco n/a, 7, d
Densidade, dureza kg/m3,
Número CAS 22537-19-5
Número EINECS
Propriedade atómicas
Massa atômica (262) u
Raio atómico (calculado) pm
Raio covalente pm
Raio de Van der Waals pm
Configuração electrónica [Rn] 7s2 5f14 7p1
Elétrons (por nível de energia) 2, 8, 18, 32, 32, 8, 3 (ver imagem)
Estado(s) de oxidação 3
Óxido
Estrutura cristalina
Propriedades físicas
Estado da matéria Sólido (presumido)
Ponto de fusão  K
Ponto de ebulição  K
Entalpia de fusão kJ/mol
Entalpia de vaporização kJ/mol
Temperatura crítica  K
Pressão crítica  Pa
Volume molar m3/mol
Pressão de vapor
Velocidade do som m/s a 20 °C
Classe magnética
Susceptibilidade magnética
Permeabilidade magnética
Temperatura de Curie  K
Diversos
Eletronegatividade (Pauling)
Calor específico J/(kg·K)
Condutividade elétrica S/m
Condutividade térmica W/(m·K)
Potencial de ionização 443,8 kJ/mol
2º Potencial de ionização 1 428,0 kJ/mol
3º Potencial de ionização 2 219,1 kJ/mol
4º Potencial de ionização kJ/mol
5º Potencial de ionização kJ/mol
6º Potencial de ionização kJ/mol
7º Potencial de ionização kJ/mol
8º Potencial de ionização kJ/mol
9º Potencial de ionização kJ/mol
10º Potencial de ionização kJ/mol
Isótopos mais estáveis
iso AN Meia-vida MD Ed PD
MeV
252Lr Sin. 0,36 s α 9,02
8,87
248Md
253gLr Sin. 1,49 s α
FS
9,02
249Md
253mLr Sin. 0,57 s α 8,79 249Md
254Lr Sin. 13,0 s α
ε
8,46
8,41
250Md

255Lr Sin. 21,5 s α 8,43
8,37
251Md
256Lr {syn.} 27 s α 8,62
8,52
8,32
252Md
257Lr Sin. 0,65 s α 8,86
8,80
253Md
258Lr Sin. 4,1 s α 8,68
8,65
8,62
8,59
254Md
259Lr Sin. 6,2 s α
FS
8,44
255Md
260Lr Sin. 2,7 min α 8,04 256Md
261Lr Sin. 44 min FS, ε ?
262Lr Sin. 3,6 h ε 262No
Unidades do SI & CNTP, salvo indicação contrária.

O laurêncio[1] ou lawrêncio[2] (nome dado em homenagem a Ernest O. Lawrence) é um elemento químico sintético, símbolo Lr, número atômico 103 (103 prótons e 103 elétrons) e com massa atómica [262] u. É um elemento radioativo, de curta-duração, transurânico, último elemento do grupo dos actinídeos apesar de estar no bloco d.

Este elemento foi sintetizado a partir do califórnio com íons de Boro, em 1961 no laboratório Berkeley, Califórnia, Estados Unidos, por uma equipe de cientistas liderada por Albert Ghiorso.

Características principais[editar | editar código-fonte]

A aparência deste elemento é desconhecida, entretanto, é muito provável ser metálico, sólido, branco prateado ou cinza. Se quantidades suficientes de lawrêncio forem produzidas apresentarão o perigo da radiação. Pouco é conhecido sobre as propriedades químicas deste elemento, porém trabalhos preliminares com alguns átomos indicaram que é semelhante aos actinídeos.

O lawrêncio era e, ainda frequentemente, é agrupado na série química dos actinídeos na tabela periódica. Entretanto, ao contrário das demais terras raras, o elemento 103 é um elemento do bloco d, consequentemente, está sendo colocado cada vez mais no conjunto dos outros elementos do 'bloco D', ou seja, na série química dos metais de transição.

História[editar | editar código-fonte]

O lawrêncio foi descoberto em 14 de fevereiro de 1961 por um grupo de cientistas do "Laboratório Nacional Lawrence Berkeley" (na época "Laboratório de Radiação Berkeley") da Universidade de Berkeley, na Califórnia. Entre os envolvidos no projeto estavam: Albert Ghiorso, Torbjorn Sikkeland, Almon E. Larsh e Robert M. Latimer. O lawrêncio foi produzido num "Acelerador Linear de Íons Pesados" (HILAC), bombardeando-se 3 miligramas de califórnio (3 isótopos diferentes) de com íons de boro (isótopos 10B e 11B. Um dos decaimentos detectados nos detectores de estado sólidos revelou uma fonte de emissão de partículas alfa de 8,6 Mev, com meia-vida de 4,2 segundos. Após consequente análise, a irradiação obtida foi atribuída pela equipe de Berkeley ao íon de massa 257 u e número atômico 103. Anunciou-se então a descoberta do "elemento 103", para o qual sugeriu-se o nome Lawrêncio, em homenagem a Ernest O. Lawrence.

Em 1967, pesquisadores em Dubna, Rússia, relataram que não puderam confirmar um emissor de uma partícula alfa, com um período de 2,4 segundos, como sendo o de Z=103, M=257. Entretanto, foi atribuído aos isótopos 258Lr ou 259Lr. Onze isótopos do "elemento 103" foram sintetizados, sendo o 262Lr o de maior meia-vida: 216 minutos (decai em 256Nb). Os isótopos de lawrêncio decaem via emissão alfa (tipo mais comum), fissão espontânea e captura eletrônica (menos comum).

O nome do elemento (lawrêncio), preferido pela "Sociedade Americana de Química", é proveniente de uma homenagem ao cientista Ernest O. Lawrence, inventor do ciclotron. O símbolo "Lw" foi atribuído ao elemento em 1963, porém foi mudado para "Lr" em agosto de 1977 pela IUPAC numa reunião em Genebra.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. "lawrêncio"/"laurêncio", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2010, [1], página visitada em 04-12-2012
  2. Instituto de Química - UFRJ (2010). Cronologia e Etimologia dos Elementos Químicos. Página visitada em 02-12-2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]