Paládio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pix.gif Paládio Stylised Lithium Atom.svg
RódioPaládioPrata
Ni
  Cubic-face-centered.svg
 
46
Pd
 
               
               
                                   
                                   
                                                               
                                                               
Pd
Pt
Tabela completaTabela estendida
Aparência
branco prateado metálico


Cristal de paládio
Informações gerais
Nome, símbolo, número Paládio, Pd, 46
Série química Metal de transição
Grupo, período, bloco 10B, 5, d
Densidade, dureza 12023 kg/m3, 4,75
Número CAS 7440-05-3
Número EINECS
Propriedade atómicas
Massa atômica 106,42 u
Raio atómico (calculado) 137 pm
Raio covalente 139±6 pm
Raio de Van der Waals 163 pm
Configuração electrónica [Kr] 4d10
Elétrons (por nível de energia) 2, 8, 18, 18 (ver imagem)
Estado(s) de oxidação 0, +1, +2, +4, +6 (óxido meio ácido)
Óxido
Estrutura cristalina cúbico de faces centradas
Propriedades físicas
Estado da matéria sólido
Ponto de fusão 1828,05 K
Ponto de ebulição 3236 K
Entalpia de fusão 17,6 kJ/mol
Entalpia de vaporização 357 kJ/mol
Temperatura crítica  K
Pressão crítica  Pa
Volume molar m3/mol
Pressão de vapor 1 Pa a 1721 K
Velocidade do som 3070 m/s a 20 °C
Classe magnética
Susceptibilidade magnética
Permeabilidade magnética
Temperatura de Curie  K
Diversos
Eletronegatividade (Pauling) 2,20
Calor específico 244 J/(kg·K)
Condutividade elétrica S/m
Condutividade térmica 71,8 W/(m·K)
Potencial de ionização 804,4 kJ/mol
2º Potencial de ionização 1870 kJ/mol
3º Potencial de ionização 3177 kJ/mol
4º Potencial de ionização kJ/mol
5º Potencial de ionização kJ/mol
6º Potencial de ionização kJ/mol
7º Potencial de ionização kJ/mol
8º Potencial de ionização kJ/mol
9º Potencial de ionização kJ/mol
10º Potencial de ionização kJ/mol
Isótopos mais estáveis
iso AN Meia-vida MD Ed PD
MeV
100Pd sintético 3,63 d ε
γ


-
0,084
0,074
0,126
100Rh



102Pd 1,02% estável com 56 neutrões
103Pd sintético 16,991 d ε - 103Rh
104Pd 11,14% estável com 58 neutrões
105Pd 22,33% estável com 59 neutrões
106Pd 27,33% estável com 60 neutrões
107Pd traços 6,5×106 a β 0,033 107Ag
108Pd 26,46% estável com 62 neutrões
110Pd 11,72% estável com 63 neutrões
Unidades do SI & CNTP, salvo indicação contrária.

O paládio é um elemento químico de símbolo Pd e de número atómico igual a 46 (46 prótons e 46 elétrons). À temperatura ambiente, o paládio encontra-se no estado sólido.

Características principais[editar | editar código-fonte]

O paládio é um metal branco prateado parecido com a platina, não se oxida com o ar, e é o elemento do grupo da platina de menor densidade e menor ponto de fusão. É macio e dúctil quando aquecido, aumentando consideravelmente sua dureza e resistência quando trabalhado a frio. Pode dissolver-se em ácido sulfúrico, H2SO4, e em ácido nítrico, HNO3. Também pode ser dissolvido, mesmo que lentamente, em ácido clorídrico (HCl) em presença de cloro ou oxigênio.

O Paládio é utilizado frequentemente na odontologia.

Este elemento pode absorver grandes quantidades de hidrogênio molecular, H2, à temperatura ambiente ( até 900 vezes de seu volume ), o que é usado para purificá-lo. Acredita-se que o processo forme Pd2H.

Os estados de oxidação mais comuns do paládio são +2 e +4 e sua massa atômica de 106,4.

Aplicações[editar | editar código-fonte]

Aplica-se na indústria elétrica, na fabricação de contatos em sistemas eletromecânicos, como por exemplo relés. Na indústria química e farmacêutica usa-se como catalisador de reações de hidrogenação e na indústria petrolífera, o paládio é importante na catálise de fracções de petróleo destilado. O elemento também se aplica em algumas ligas metálicas usadas em medicina dentária ou odontologia. Em joalheria, o paládio é endurecido com uma pequena fracção de rutênio ou ródio, ou pode ser usado como descolorizante do ouro, dando origem ao chamado "ouro branco".

História[editar | editar código-fonte]

William Hyde Wollaston registrou a descoberta de um novo metal nobre em julho de 1802 em seu caderno de labotaróio e o nomeou paládio em agosto do mesmo ano. Wollaston purificou o suficiente do material e o ofereceu, sem ter nomeado, em uma pequena loja do Soho em abril de 1803. Após um criticismo duro de Richard Chenevix de que o paládio seria uma liga de platina e mercúrio, Wollaston ofereceu uma recompensa anônima de 20 libra esterlinas por 20 grão da "liga" de paládio sintético.[1] Chenevix recebeu a Medalha Copley em 1803 após publicar seus experimentos com o paládio. Wollaston publicou a descoberta do ródio em 1804 e menciona parte de seu trabalho com o paládio.[2] [3] Ele revelou que era o descobridor do paládio em uma publicação de 1805.[1] [4]

O elemento foi nomeado por Wollaston em 1802 em homenagem ao asteróide 2 Pallas, que havia sido descoberto dois meses antes.[5] Wollaston encontrou o paládio em um minério de platina bruto da América do sul, pela dissolução do minério em água régia e neutralizando a solução com hidróxido de sódio. Ele precipitou a platina como hexacloroplatinato de amônia após adicionar cloreto de amônia. Ele então adicionou cianeto de mercúrio para formar o composto cianeto de paládio, que foi aquecido para extrair o metal.[2]

O cloreto de paládio já foi prescrito como um tratamento para a tuberculose a uma concentração de 0.065 g por dia (aproximadamente um miligrama por quilo do corpo). Este tratamento tinha muitos efeitos adversos e foi posteriormente substituído por drogas mais eficientes.[6]

Por volta do ano 2000, o suprimento russo de paládio para o mercado global foi repetidamente atrasado e interrompido[7] porque a cota de exportação não era garantida na época, por razões políticas. O subsequente pânico do mercado levou o preço a aumentar até o valor recorde de $1100 por troy ounce em janeiro de 2001.[8] Por volta desta época, a Ford Motor Company, temendo uma interrupção na produção de veículos devido a falta do paládio, armazenou grandes quantidades do metal adquiridos ao preço máximo. Quando os preços caíram no início de 2001, a Ford perdeu quase um bilhão de dólares.[9] A demanda mundial pelo elemento aumentou de 100 toneladas em 1990 para quase 300 toneladas em 2000. A produção glotal de paládio a partir de minas era de 222 toneladas em 2006 de acordo com o United States Geological Survey.[10] A maior parte do paládio é usada em conversores catalíticos na indústria automobilística.[11]

Na atualidade, existem preocupações sobre o suprimento contínuo de paládio devido aos conflitos na Ucrânia, em função de eventuais sansões que a Rússia poderia sofrer que reduziria a exportação do elemento levando a um déficit no mercado mundial.[12]

Na ficção[editar | editar código-fonte]

Foi usado por Tony Stark após o ataque sofrido por terroristas, para manter seu corpo ativo, acompanhado de um dissipador em seu peito, usava o paládio como fonte de energia para seu corpo e seus trajes. Assim se tornando o Iron Man. Mais tarde trocou o paládio por outro elemento, quando este começou a deteriorar e intoxicar seu corpo.

Cloreto de Paladio[editar | editar código-fonte]

Cloreto de paládio (II), ou cloreto paladioso, também conhecido como dicloreto de paládio, é o composto químico com a fórmula PdCl2. PdCl2 é um material comum de partida para a química do paládio - catálises baseada em paládio são de particular valor em síntese orgânica. É preparado pela cloração do paládio.

  1. a b (1978) "The Wollaston/Chenevix controversy over the elemental nature of palladium: A curious episode in the history of chemistry". Annals of Science 35 (6): 551–579. DOI:10.1080/00033797800200431.
  2. a b Griffith, W. P.. (2003). "Rhodium and Palladium – Events Surrounding Its Discovery". Platinum Metals Review 47 (4): 175–183.
  3. Wollaston, W. H. (1804). "On a New Metal, Found in Crude Platina". Philosophical Transactions of the Royal Society of London 94: 419–430. DOI:10.1098/rstl.1804.0019.
  4. Wollaston, W. H. (1805). "On the Discovery of Palladium; With Observations on Other Substances Found with Platina". Philosophical Transactions of the Royal Society of London 95: 316–330. DOI:10.1098/rstl.1805.0024.
  5. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas CRC
  6. Garrett, Christine E.. (2004). "The Art of Meeting Palladium Specifications in Active Pharmaceutical Ingredients Produced by Pd-Catalyzed Reactions". Advanced Synthesis & Catalysis 346 (8): 889–900. DOI:10.1002/adsc.200404071.
  7. Williamson, Alan. Russian PGM Stocks The LBMA Precious Metals Conference 2003 The London Bullion Market Association. Visitado em 2 October 2010.
  8. Historical Palladium Prices and Price Chart InvestmentMine. Visitado em 2015-01-27.
  9. Ford fears first loss in a decade BBC News (16 January 2002). Visitado em 19 September 2008.
  10. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas USGS07CS
  11. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas Kiel
  12. Why A Palladium Fund Has Launched In South Africa Investing.com.