A Knight of the Seven Kingdoms

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
"A Knight of the Seven Kingdoms"
2.º episódio da 8.ª temporada de Game of Thrones
Jaime Lannister consagra Brienne de Tarth como cavaleira
Informação geral
Direção David Nutter
Escrito por Bryan Cogman
Transmissão original 21 de abril de 2019
Cronologia
"Winterfell"
"The Long Night"

"A Knight of the Seven Kingdoms"[1] é o segundo episódio da oitava temporada da série de televisão de fantasia da HBO, Game of Thrones, e o 69º em geral. Foi escrito por Bryan Cogman e dirigido por David Nutter. Foi exibido em 21 de abril de 2019.

O episódio inteiro decorre em Winterfell e é dedicado à preparação para a batalha entre os vivos e os mortos. O nome do episódio é uma referência ao título conferido a Brienne de Tarth após Jaime a nomear cavaleiro e, também, à coleção de histórias homônimas de George R. R. Martin, autor da série literária A Song of Ice and Fire na qual se baseia a série.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Em Winterfell[editar | editar código-fonte]

Jaime é levado ao tribunal do norte. Daenerys e Sansa contemplam o destino de Jaime, que defende suas ações como estando ao serviço da Casa Lannister e revela que Cersei estava mentindo sobre o envio de seu exército. Brienne atesta por Jaime e Sansa confiando no julgamento de Brienne e Jon confiando em Sansa leva a que Jaime possa lutar com eles. Jaime fala com Bran no Bosque Sagrado e pede desculpas por tentar matá-lo, mas Bran não tem raiva de Jaime. Enquanto isso, Daenerys está furiosa com Tyrion por este não enxergar as mentiras de Cersei e ameaça encontrar uma nova Mão. Jorah fala com Daenerys em particular, admitindo que ele estava com o coração partido quando ela escolheu Tyrion como sua Mão, mas acredita que ela fez a escolha certa.

Arya fala com Gendry na forja e pergunta-lhe sobre os Caminhantes Brancos e quando Gendry parece relutante sobre a luta de Arya, ela o impressiona com sua destreza. Sansa e Daenerys aliviam a tensão entre elas por seu afeto mútuo a Jon, mas Daenerys não tem resposta quando Sansa pergunta o que acontecerá ao Norte quando Daenerys conquistar o Trono de Ferro. Elas são interrompidos pelo retorno de Theon, que declara que deseja lutar pelos Starks. Tormund, Beric e Edd chegam a Winterfell e dizem a Jon que o exército dos mortos chegará antes do amanhecer do dia seguinte.

No Conselho de Guerra, Bran convence a todos a deixá-lo ser a isca no Bosque Sagrado para atrair o Rei da Noite, que havia marcado Bran, e Theon, que concorda em defendê-lo com os homens das Ilhas de Ferro. Tyrion deseja lutar também, mas Daenerys diz-lhe que sua sabedoria é muito útil para arriscar em batalha, e ordena que ele fique na cripta. Missandei, desconfortável entre os nortenhos, sugere a Gray Worm que eles vão para sua terra natal, Naath, depois da guerra, com os Imaculados para defender as pessoas pacíficas de Naath. Jon, Sam e Edd relembram sobre seu tempo juntos na Patrulha da Noite. Jon diz a Sam para ficar na cripta com Gilly e o Pequeno Sam, mas Sam insiste que ele deve lutar ao lado dos outros como ele havia matado um caminhante Branco antes. Arya pergunta a Gendry por que Melisandre o queria, e Gendry conta como ela fingiu seduzi-lo para sugar seu sangue real. Arya, ainda virgem, decide perder a virgindade com Gendry ante a possibilidade de morrer.

Tyrion, Jaime, Brienne, Podrick, Davos e Tormund se reúnem no salão de encontros para beber antes da batalha. A conversa se volta para por que mulheres como Brienne não podem ser nomeadas com o título de cavaleiro, e Jaime então decide nomear Brienne que fica emotiva.

Sam dá sua espada valiriana Veneno de Coração a Jorah, em gratidão pela influência que o pai de Jorah Jeor teve sobre ele. No salão, enquanto todos se preparam para o que está por vir, Podrick recita a canção "Jenny of Oldstones".

Daenerys visita Jon nas criptas, onde Jon está em frente à estátua de Lyanna Stark. Jon revela o que Sam e Bran lhe disseram sobre seu parentesco, e Daenerys percebe que isso faz dele o verdadeiro herdeiro da Casa Targaryen. Eles são interrompidos por explosões que sinalizam a aproximação dos Caminhantes Brancos. O episódio termina com Tyrion observando das ameias enquanto o exército dos vivos se reúne para a batalha, e os Caminhantes Brancos e seu Exército dos Mortos aparecem.

Produção[editar | editar código-fonte]

Roteiro[editar | editar código-fonte]

O episódio foi escrito pelo "veterano da série", Bryan Cogman.[2] Este foi seu último roteiro na série em geral.

Filmagens[editar | editar código-fonte]

O episódio foi dirigido por David Nutter.[2]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Audiência[editar | editar código-fonte]

"A Knight of the Seven Kingdoms" teve uma audiência na televisão de 10.29 milhões de telespectadores.[3]

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

O episódio tem uma classificação de 88% no site agregador de revisão Rotten Tomatoes baseado em 88 comentários, com uma classificação média de 8,29/10. O consenso dos críticos do site afirma: "O que 'A Knight of the Seven Kingdoms' não tem em dinâmica narrativa mais à frente compensa em analepses enigmáticas, momentos íntimos e a promessa de uma batalha iminente – embora alguns fãs possam encontrar sua paciência testada. As coisas que fazemos por amor".[4]

Referências