Aachenosaurus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O nome Aachenosaurus se refere a dois fragmentos fossilizados do que pensava-se ser a mandíbula de um dinossauro "bico-de-pato" (hadrossauro). Porém, para grande vergonha de seu descobridor Gerard Smets, os "fósseis" eram apenas madeira petrificada. O nome Aachenosaurus, que pode ser traduzido como "Lagarto de Aachen" [1] , se deve ao fato dos fósseis terem sido encontrados nos depósitos de Aarchen de Moresnet.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Os fósseis Aachenosaurus foram achados e nomeados pelo cientista (e abade) Gerard Smets no dia 31 de outubro de 1888, que também nomeou o tipo da espécie de Aachenosaurus multidens. Baseado nesses fragmentos, Smets determinou que o espécime era um hadrossauro que deveria medir de 4 a 5 metros de comprimento aproximadamente e possuir uma espinha dermal. Ele defendeu sua conclusão, argumentando que os fósseis foram examinados a olho nu, através de um lupa e com o auxílio um microscópio. Porém seu erro logo foi demonstrado por Louis Dollo[3] . Inicialmente Smets tentou defender sua identificações mas foi provado errado novamente por uma comissão neutra, o que fez com que ele abandonasse completamente a ciência por pura vergonha.

Referências

  1. Aachenosaurus. AgeOfDinosaurs.com. Arquivado do original em 2010-02-10. Página visitada em 2010-02-10. (em inglês)
  2. Smets, G. (1888). "Notices palaeontologiques" (em francês). Ann.Soc. Science Brussels (Bulletin de la société Belge de Géologie de Paléontologie & D'Hydrologie), 12 (2): pp. 193-214
  3. Aachenosaurus multidens [ncG]. DinoData. Arquivado do original em 2010-02-10. Página visitada em 2010-02-10. (em inglês)
Ícone de esboço Este artigo sobre dinossauros é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.