Abu-l-'Atahiya

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Abul Ataia
Nascimento 748
Aim Altamar
Morte 828 (80 anos)
Bagdá
Nacionalidade Califado Abássida
Ocupação Poeta
Religião Xiismo

Abul Ataia (em árabe: أبو العتاهية; transl.: Abū l-ʻAtāhiyya; Aim Altamar, 748 — Bagdá, 828), de nome completo Abu Ixaque Ismail ibne Cacim Alanazi (em árabe: إسماعيل بن القاسمالعنزي، بن سويد العيني; transl.: Abu Isħaq Ismā'īl ibn Qāsim al-ˤAnazī) foi um poeta árabe nascido em 'Aynu t-Tamar, no deserto do Iraque, perto de Alambar. Seus antepassados eram da tribo de Anizá. Sua juventude foi passada em Cufa, onde esteve envolvido por algum tempo na venda de cerâmica.[1]

Mudou-se para Bagdá, onde continuou o seu negócio, mas tornou-se famoso por seus versos, especialmente por aqueles dedicados a Utba, uma concubina do califa abássida Almadi. Seu amor não foi correspondido, apesar de Almadi, e depois dele o califa Harune Arraxide, intercederem por ele. Por ter ofendido o califa, foi preso por um curto período de tempo.[1]

Morreu em 828, no reinado do califa Almamune.[1]

A poesia de Abul Ataia é notável por sua evasão da artificialidade quase universal nos seus dias. As poesias mais antigas do período em que viveu no deserto foram constantemente imitadas após este período, embora não fossem naturais para a vida da cidade. Abul Ataia foi um dos primeiros a abandonar a velha forma da cássida (elegia). Era muito fluente e usou muitos metros. É também considerado como um dos primeiros poetas filosóficos dos árabes. Muito de sua poesia está preocupada com a observação da vida comum e a moralidade, e algumas vezes é pessimista. Naturalmente, nestas circunstâncias, ele foi fortemente suspeito de heresia.[1]

Notas

  1. a b c d Encyclopædia Britannica (1911) entrada para Abu-l-'Atahiya (em inglês) , volume 1, página 79

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Seus poemas (Diwān) com a vida de fontes árabes foram publicados na Jesuit Press em Beirute (1887, 2.ª edição 1888).
    • traduzido e publicado por Arthur Wormhoudt como Diwan Abu'l Atahiya (1981) ISBN 0-916358-05-4
  • Sobre sua importância para a literatura árabe veja Wilhelm Ahlwardt, Diwān des Abu Nowas (Greifswald, 1861), pp. 21 ff.
  • Alfred von Kremer, Culturgeschichte des Orients (1877, Viena) vol. II, pp 372 ff.
  • Stefan Sperl, Mannerism in Arabic Poetry: A Structural Analysis of Selected Texts (3rd Century AH/9th Century AD–5th Century AH/11th Century AD) (2005, Cambridge University Press) ISBN 0-521-52292-7
  • Tzvetan Theophanov, Abu-l-'Atahiya and the philosophy / T. Theophanov. Philosophy and arts in the Islamic world: proceedings of the 18th Congress of the Union Europeenne des Arabisants et Islamisants (1998), p. 41-55. ISBN 978-90-6831-977-4