Alf-Inge Håland

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Alf-Inge Håland
Informações pessoais
Nome completo Alf-Inge Rasdal Håland
Data de nasc. 23 de novembro de 1972 (43 anos)
Local de nasc. Stavanger,  Noruega
Altura 1,78 m
Apelido Alfie
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição Defensor
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1990–1993
1993–1997
1997–2000
2000–2003
2009–2011
2011–2012
Noruega Bryne
Inglaterra Nottingham Forest
Inglaterra Leeds United
Inglaterra Manchester City
Noruega Bryne
Noruega Rosseland
68 (4)
93 (7)
92 (8)
47 (3)
10 (3)
Seleção nacional
1994–2001 Flag of Norway.svg Noruega 34 (0)

Alf-Inge Rasdal Håland - anglicizado para Haaland (Stavanger, 23 de novembro de 1972) é um ex-futebolista norueguês.

Início, atuações por Forest e Leeds e a rixa com Roy Keane[editar | editar código-fonte]

Zagueiro, começou no modesto Bryne, time da Segunda Divisão norueguesa, em 1990. Em 1993, foi jogar no futebol inglês, pelo tradicional Nottingham Forest. Após quatro temporadas e 93 partidas pelos vermelhos, em 1997, foi para o ascendente Leeds United. Acabaria ficando famoso pela rixa que iniciou com Roy Keane, astro do Manchester United, ainda naquele ano. No jogo entre as duas equipes, o irlandês deu um carrinho em Håland, mas acabou levando a pior, machucando os ligamentos do joelho. Alfie ironizou-o, criticando-o por sua jogada e declarando que este estava se aproveitando da lesão para escapar de punições. Keane teria de ficar de fora pelo resto da temporada e seu time perdeu o título para o Arsenal.

Ida para o City e a vingança de Keane[editar | editar código-fonte]

Em 2000, Håland transferiu-se para o Manchester City, rival do time de Keane. Com ambos sendo os capitães de seus respectivos clubes, costumavam trocar insultos e pontapés nos dérbis.[1] No ano seguinte, Keane resolveu ter a sua vingança: ao final de mais um clássico, no que ficaria como uma das faltas mais desleais já feitas na Inglaterra,[1] acertou em cheio seu pé no joelho do norueguês, que caiu de mau jeito - a queda, ironicamente, foi o que rompeu seus ligamentos.[1]

Keane recebeu uma suspensão de cinco partidas e multa de 150.000 libras, mas não se arrependeu, afirmando em sua autobiografia que para ele "é olho por olho" e que o nórdico "teve o que merecia".[1] A vingança do irlandês terminaria completa: Håland teve de encerrar a carreira[1] , o City terminou rebaixado e o United, campeão.

Um dos seis jogadores a ser convocado pela Seleção Norueguesa sem jamais ter disputado a primeira divisão local, Håland foi chamado para a Copa de 1994, a única de sua carreira - não foi lembrado para disputar a Copa de 1998 e a Eurocopa de 2000. Pela seleção, foram 34 jogos disputados.

A volta aos gramados[editar | editar código-fonte]

Aos 36 anos, Håland surpreendeu ao anunciar que estava voltando a jogar profissionalmente. Ele resolveu "voltar às origens" e defendeu o Bryne, clube onde iniciou a carreira, durante três temporadas (dez partidas e três gols marcados).

Em agosto de 2011, deixou novamente os Jærens superlag e assinou contrato com o Rosseland, equipe que disputava, na época, a Terceira Divisão nacional. Encerrou definitivamente a carreira de jogador no ano seguinte, aos 40 anos.

Referências

  1. a b c d e "Reflexão pós-trauma", Carlos Eduardo Freitas e Ubiratan Leal, Trivela número 25, março de 2008, Trivela Comunicações, págs. 30-35