Amorphis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Amorphis
Amorphis at Tuska 2006 (1).jpg
A banda em concerto no Tuska Open Air Metal Festival 2006
Informação geral
Origem Helsinki
País Finlândia Finlândia
Gênero(s) Death/doom, metal progressivo, rock moderno, folk metal, death metal melódico,[1][2][3]
Período em atividade 1990 - atualmente
Gravadora(s) Virgin Records
Relapse Records
Nuclear Blast
Integrantes Tomi Joutsen
Esa Holopainen
Tomi Koivusaari
Niclas Etelävuori
Santeri Kallio
Jan Rechberger
Ex-integrantes Pasi Koskinen, Olli-Pekka Laine, Pekka Kasari, Kim Rantala, Kasper Mårtenson
Página oficial www.Amorphis.net

Amorphis é uma banda que mescla metal progressivo, folk metal e death metal da Finlândia formada por Jan Rechberger, Tomi Koivusaari e Esa Holopainen em 1990.[3] No início da carreira a banda era de death metal, apesar de ainda utilizar vocais guturais em algumas músicas.

História[editar | editar código-fonte]

O Amorphis surgiu em 1990 após a dissolução das bandas Violent Solution, de Jan Rechberger (guitarra) e Esa Holopainen (bateria), e do Abhorrence, de Tomi Koivusaari (vocal), com Oppu Laine completando a formação no baixo.[4] A gravadora Relapse Records ofereceu um contrato após ouvir a demo do Abhorrence, que acabou assinando com o Amorphis. A banda lançou então a demo "Disment of Soul", em janeiro de 1991, seguido do single para "Amorphis", que continha um cover do Abhorrence para "Vulgar Necrolatry".

Em 1992 foi lançado o primeiro álbum do grupo, The Karelian Isthmus, baseado em influências de death metal. No ano seguinte surgiu o EP Privilege of Evil. Tales from the Thousand Lakes foi o segundo álbum do Amorphis, lançado em 1994,[4] e o primeiro a apresentar influências de folk e progressivo. Tales é um álbum conceitual baseado no conto finlandês Kalevala. Os vocais limpos ficaram a cargo de Ville Tuomi, enquanto Kasper Mårtenson gravou os teclados.

Kim Rantala assumiu os teclados durante a turnê. Pekka Kasari entrou no lugar do guitarrista e membro fundador Jan Rechberger. Pasi Koskinen também entrou na banda para dividir os vocais com Tomi.[5] Com esta formação lançaram o terceiro disco; Elegy, de 1996, utilizando ainda a mitologia finlandesa como temática lírica. Após a turnê de Elegy a banda resolve dar uma pausa.

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Linha do tempo[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Bandas semelhantes[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Begrand, Adrien (31 de março de 2006). «PopMatters review of Eclipse». PopMatters. Consultado em 4 de agosto de 2009 
  2. Eduardo, Rivadavia. «Allmusic review of Silent Waters». allmusic. Consultado em 4 de agosto de 2009 
  3. a b Sharpe-Young, Garry. «MusicMight Amorphis». MusicMight.com. Consultado em 21 de março de 2008 
  4. a b All Music. «Amorphis - Biography by Gary Hill». Consultado em 14 de setembro de 2019 
  5. Whiplash.net (6 de abril de 2006). «Amorphis». Consultado em 14 de setembro de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Amorphis
Flag of Finland.svgGuitarra masc.png Este artigo sobre uma banda ou grupo musical da Finlândia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.