António José de Sousa Barroso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
António José de Sousa Barroso
Bispo da Igreja Católica
Bispo do Porto
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 20 de Setembro de 1879
Ordenação episcopal 5 de Julho de 1891
Bispo-prelado de Moçambique e bispo de São Tomé de Meliapor
Brasão episcopal
BishopCoA PioM.svg
Dados pessoais
Nascimento Flag of Portugal (1830).svg Remelhe
5 de novembro de 1854
Morte Portugal Porto
31 de agosto de 1918 (63 anos)
dados em catholic-hierarchy.org
Bispos
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

António José de Sousa Barroso (Remelhe, Barcelos, 5 de Novembro de 1854 - Porto, 31 de Agosto de 1918) foi missionário em África, bispo de São Tomé de Meliapor e enfim bispo do Porto.

Filho de José António de Sousa e de Eufrásia Rosa Barroso.

Aos 17 anos de idade vai estudar no seminário de Braga, e daqui transferido em 1873 para o Real Colégio das Missões Ultramarinas de Cernache do Bonjardim, onde se ordenou em 1879.

Foi missionário cientista em Angola e em Moçambique. O seu relatório de 1894, sobre o "Padroado de Portugal em África" patenteia o valor da sua acção como bispo missionário.

Em 1899, será bispo do Porto. Em 1911, quando foi dada a conhecer a «Pastoral do Episcopado Português», em que se afirma desacordo com alguma Legislação do Governo, reaviva-se a luta anticlerical. Os governadores civis proíbem a leitura dessa pastoral e, por desobediência a essa proibição, são presos dezenas de párocos. E o próprio bispo do Porto foi preso e levado, sob custódia, a Lisboa. Sempre afirmando a determinação apostólica, D. António Barroso conhecerá depois o exílio, de onde só voltará em 1914, e, antes de voltar a conhecer o exílio no 1917, refugia-se durante um longo período no Santuário de Nossa Senhora do Porto d'Ave, onde ainda hoje permanece o seu retrato a óleo numa parede da sacristia. Regressa ainda no mesmo ano à sua diocese, onde vem a falecer, nove meses mais tarde.

Foi sepultado no cemitério paroquial de Remelhe, Barcelos, tendo os seus restos mortais sido trasladados em 1927 para uma capela-monumento erigida no recinto. Em 17 de Novembro de 2019, os seus restos mortais foram transladados para a igreja paroquial de Remelhe[1], numa cerimónia presidida por d. Jorge Ortiga, arcebispo de Braga.

Foi impressa uma nota de 10 angolares de Angola com a sua imagem.

Encontra-se em curso a Causa da sua beatificação, promovida pela Diocese do Porto. Em 16 de Junho de 2017 foi proclamado Venerável, com a aprovação, pelo Papa Francisco, do decreto da Declaração das virtudes heróicas de D. António Barroso.[2]

Em 20 de Outubro de 2019 foi inaugurada em Cernache do Bonjardim uma estátua a D. António Barroso.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
António Dias Ferreira
Brasão episcopal
Bispo-prelado de Moçambique

1891 - 1897
Sucedido por
Sebastião José Pereira
Precedido por
Henrique José Reed da Silva
Brasão episcopal
Bispo de São Tomé de Meliapor

1897 - 1899
Sucedido por
Teotónio Manuel Ribeira Vieira de Castro
Precedido por
Américo Ferreira dos Santos Silva
Brasão episcopal
Bispo do Porto

1899 - 1918
Sucedido por
António Barbosa Leão
  1. «A trasladação que Roma recomendou». TSF Rádio Notícias. 17 de novembro de 2019. Consultado em 22 de novembro de 2019 
  2. «Decreto» (PDF). Arquivado do original (PDF) em 1 de setembro de 2017