Antonio Nariño

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde janeiro de 2010)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Antonio Nariño (retrato de Ricardo Acevedo Bernal, 1917).

Antonio Nariño (Santa Fé de Bogotá, 9 de abril de 1765Villa de Leyva, 13 de dezembro de 1823) foi um político e militar colombiano, um dos líderes no processo da independência da Colômbia que inicou-se em 1780.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Desterrado por suas atividades políticas, regressou à Colômbia em 1797. O vice-rei Mendinueta y Múzquiz ofereceu-lhe garantias de vida, mas o recolheu à prisão ao mesmo tempo que lhe pediu a elaboração de um projeto de reformas administrativas e políticas. Permaneceu no cárcere por cinco anos, até ser libertado em 1802. Durante os anos da chamada "pátria boba" (1810 - 1816), moveu tenaz combate ao presidente Jorge Tadeo Lozano. Os congressistas o designaram para a presidência interina, que exerceu de 1811 a 1813. Durante seu governo proclamou a soberania da república de Cundinamarca, consagrada na constituição de 1812. O recrudescimento da reconquista espanhola, a partir de 1813, levou-o ao desastre final de Pasto (1814). Recolhido a um cárcere em Cádiz, na Espanha, foi libertado apenas em 1820. Voltou à América e à luta quando as jornadas de Bolívar ultimavam a emancipação do continente.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Antonio Nariño
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.