Araújo (sobrenome)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Brasão de armas da família Araújo

Araújo ou Araujo ou Araúxo (pronúncia em português: [ɐɾɐˈuʒu], pronúncia em galego: [aɾaˈuʃo]) é um sobrenome Galego e Português. É formado pelo antigo falar do português do Norte e pelo galego. Também se escreve Arujo e deriva do nome Araúja, uma árvore. Possivelmente Rodrigo Anes de Araújo, senhor do Castelo de Araújo, na Galiza, atualmente território do Reino da Espanha, foi o primeiro a adotar o apelido Araújo; e seu bisneto Pedro Anes de Araújo se passou para o Reino de Portugal, em torno de 1375, tendo sido o primeiro Araújo de Portugal. O sobrenome Araújo parece ser um nome habitual em Portugal e pode ser encontrado em várias partes do mundo como por exemplo Portugal, Brasil, Espanha, Angola, Moçambique, Cabo Verde.

História[editar | editar código-fonte]

O progenitor do sobrenome Araújo é Rodrigo Anes, que era senhor das terras conhecidas como Araújo localizadas ao sul do Reino da Galiza em Espanha próximas ao rio Minho. Este rio marcava a fronteira entre o Reino da Galiza e o norte de Portugal, que tinha sido parte do Reino da Galiza no século XII. O sobrenome Araújo é de origem toponímica derivado de um lugar perto do Rio Minho onde Don Rodrigo Anes foi recompensado com terras ibéricas conquistadas durante a Reconquista.

Rodrigo Anes, mais conhecido como Rodrigo Anes de Araújo,era descendente de membros das famílias reais do Reino de França e Reino da Burgúndia através de um nobre cavaleiro chamado Jean Tiranoth. Jean Tiranoth com grande número de cavaleiros franceses e burgúndios participaram da Reconquista da Península Ibérica do controle mouro pelo que, por recompensa, foram doadas porções da terra reconquistada.

Rodrigo Aires de Araújo casou com D.Maior Álvarea de Aza, sua parenta, filha de D.Rodrigo Álvares de Aza e de sua mulher, D.Maria Pires de Ambia, casamento que Manso de Lima considera improvável. Deste Rodrigo Anes descenderam os Araújos de Galiza, onde foram senhores de muitos lugares, Vasco Rodrigues de Araújo e de sua mulher, o qual era neto do primeiro Rodrigo Anes, passaram a Portugal, cujos reis serviram e foram progenitores das famílias destes apelidos existentes no Minho ou desta província derivadas.

A planta venenosa com nome científico Araujia sericifera foi nomeada em homenagem ao botanista António de Araújo e Azevedo, I Conde da Barca (1754–1817).

Jean Tiranoth era contemporâneo de Afonso Henriques o primeiro Rei de Portugal testemunhou a separação do Condado Portucalense do Reino da Galiza em 1139.

Homenagens[editar | editar código-fonte]

O Bispo de Malaca, D.João Ribeiro Gaio, dedicou aos "Araújos", esta quintilha:

Através de Bitorinho

tem sepulcros já gastados

Araújos afamados

na terra que rega o Minho,

antigos, abalisados.

Manuel de Sousa da Silva escreveu a seguinte:

Lá de Lobios de Galliza

Vieram para Lindoso

Os de gremio valoroso

de Araújo por guiza

Que foi cá mui poderoso..

Armas[editar | editar código-fonte]

  • As armas usadas em Portugal, são: de prata, com aspa de azul carregada de cinco besantes de ouro, postos em aspa. Timbre: meio mouro, sem braços, vestido de azul e fotado de ouro ou a aspa do escudo. Os Araújos, alcaides-mores de Lindoso, usaram talvez armas diversas, semelhantes às dos Veloso.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • ARAÚJO PEREIRA, Ernestino de, Manuel Elias e sua família Araújo Pereira, Rio de Janeiro, 1983.
  • ARMORIAL LUSITANO, Editorial Enciclopédia Ltda., Lisboa, 1961, Prof. Afonso Eduardo Martins Zuquete.
  • FREITAS, Vicente. BELA CRUZ - biografia do município. Florianópolis: Bookess Editora, 2012. pp. 319-66.
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.