Artrite séptica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Artrite séptica
Artrite tubercular nos dedos
Especialidade reumatologia
Classificação e recursos externos
CID-10 M00-M03
CID-9 711.0
DiseasesDB 29523
eMedicine med/3394 orthoped/438
MeSH D001170
A Wikipédia não é um consultório médico. Leia o aviso médico 

'Artrite séptica ou Infecção articular é uma invasão purulenta de uma articulação por um agente infeccioso que produz uma artrite (inflamação articular). Os sintomas geralmente incluem vermelhidão, calor, dor e diminuição da capacidade de mover a articulação afetada. O início geralmente é rápido. Outros sintomas podem incluir febre, fraqueza e dor de cabeça. Ocasionalmente, mais de uma articulação pode estar envolvida.[1]

Causas[editar | editar código-fonte]

As causas incluem bactérias, vírus, fungos e parasitas. A causa mais frequente é por infecção de bactérias gram-positivas como Staphylococcus ou Streptococcus. Os fatores de risco incluem uma articulação prostética, artrite prévia, diabetes e baixa função imunológica. Comumente, as articulações são infectadas pelo sangue (sepse), mas também podem ser infectadas por trauma ou infecção ao redor da articulação (perióstica ou pericapsular).

Diagnóstico[editar | editar código-fonte]

O diagnóstico é geralmente é feito aspirando o líquido articular (artrocentese) para cultivá-lo. Glóbulos brancos maiores que 50.000 mm3 (leucocitose) ou Lactato desidrogenase(LDH) maior que 10 mmol/L no fluido articular também tornam o diagnóstico provável.[2]

Tratamento[editar | editar código-fonte]

O tratamento inicial geralmente inclui antibióticos como vancomicina, ceftriaxona ou ceftazidima. Cirurgia também pode ser feita para drenar o pus e remover as partes necróticas da articulação. Sem tratamento precoce, podem ocorrer danos articulares a longo prazo. Artrite séptica ocorre em cerca de 5 pessoas por 100.000 a cada ano. É mais comum em pessoas idosas. Com o tratamento, a mortalidade é de cerca de 66% sem o tratamento adequado, mas com o tratamento correto reduz a 15%.[3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

  1. Horowitz, DL; Katzap, E; Horowitz, S; Barilla-LaBarca, ML (15 September 2011). "Approach to septic arthritis". American Family Physician. 84 (6): 653–60. PMID 21916390.
  2. Carpenter, CR; Schuur, JD; Everett, WW; Pines, JM (August 2011). "Evidence-based diagnostics: adult septic arthritis". Academic Emergency Medicine. 18 (8): 781–96. doi:10.1111/j.1553-2712.2011.01121.x.
  3. "Arthritis, Infectious". NORD (National Organization for Rare Disorders). 2009. Archived from the original on 21 February 2017.