Associação Brasileira de Cricket

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Associação Brasileira de Cricket
Fundação 2001
Sede Brasília, Distrito Federal
Filiação ICC em 2002
Presidente Ian Lawrence Webster

A Associação Brasileira de Cricket (ABC) é a entidade que regula o críquete em solo brasileiro. Foi fundada em 2001 e filiou-se ao Conselho Internacional de Críquete (em inglês: International Cricket Council - ICC) em 2002, fazendo com que o país adentrasse à entidade como afilliate member em 2003.[1] Atualmente, o Brasil está filiado a entidade máxima deste esporte como associate member.[2]

O primeiro presidente da entidade foi John Nicholas Landers, que acabou sendo sucedido por Ian Lawrence Webster em 2007.

História[editar | editar código-fonte]

O críquete surgiu no país via negócios entre o Brasil e a Inglaterra, especialmente na construção de ferrovias. Os ingleses que chegaram no Brasil trouxeram sua cultura e costumes, sendo este desporto parte disto. Alguns historiadores afirmam que este esporte chegou ao Brasil em 1872, quando foi fundado o Rio Cricket e Associação Atlética. Além do Rio Cricket, foram fundados outros clubes como: São Paulo Athletic Club em 1888 e Clube Internacional de Cricket em 1899, assim como o Cricket Club Victoria (que hoje é o famoso Esporte Clube Vitória), ambos de Salvador.[1]

Este esporte não chegou a ser popularizado e os antigos clubes abandonaram a prática do esporte em função de outros mais populares, como o futebol, que chegou ao Brasil no final do Século XIX, que alcançou grande patamar de popularidade ainda no começo do Século XX. Infelizmente, por causa disso o Brasil ficou sem uma entidade que cuidasse do críquete no país.[3] Em 2001 foi criada a Associação Brasileira de Críquete, visando revigorar a modalidade no país. Todavia, a entidade contabiliza poucos praticantes do esporte, sendo a maioria deles de jogadores estrangeiros naturalizados (ou ainda em processo de naturalização).[1]

A Associação Brasileira de Críquete conseguiu um patrocínio no valor de três milhões de reais com o banco HSBC, válido por cinco anos de contrato. Anteriormente, a associação fora patrocinada pela montadora inglesa de carros esportivos Land Rover, que durou até 2011. Além do HSBC, a ABC foi patrocinada pela Renuka e pela Cultura Inglesa. Esperava-se que o desporto entrasse no programa dos Jogos Olímpicos de 2020, o que faria ele receber verba do Comitê Olímpico Brasileiro a partir do ano de 2016, fato este que acabou não ocorrendo.

Recentemente, a Associação Brasileira de Críquete mudou seu patrocínio, após o fim do contrato com o banco HSBC. Agora, o críquete brasileiro é patrocinado pela DME (Companhia de Energia Elétrica de Poços de Caldas) e pela indústria de materiais esportivos britânica Salix. Também possui parceria com a Cricket 4 Change, sendo este um órgão que visa desenvolver o lado social através do esporte.[4]

Projetos de desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

A Associação Brasileira de Cricket tem uma série de projetos de desenvolvimento. O de maior destaque está concentrado na cidade de Poços de Caldas, no sul de Minas Gerais, que já é considerado um sucesso recebeu atenção da mídia local e tem atraído novos adeptos para a prática do esporte. Inclusive, a notícia sobre o sucesso do projeto já foi divulgada na página do órgão máximo regulador do esporte, a ICC.[5][6]

Competições[editar | editar código-fonte]

O Brasil participa de uma série de torneios a níveis de seleção. Contudo, a competição mais importante que o país disputa atualmente é o ICC Americas Championship, no qual já se sagrou uma vez campeão (ao disputar a Division 3 de 2009, vencendo as seleções de Chile, Belize e Peru).[7] O país disputou esse torneio no ano de 2011 entre 10 e 17 de Abril, quando esteve na ICC Americas Championship Division 2 e acabou perdendo todos as cinco partidas que disputou, descendendo novamente à Division 3 do continente.

No âmbito de competições sul-americanas, o Brasil se fez presente em todas as suas edições, desde a primeira disputa em 1995 (quando terminou em quarto lugar). As melhores campanhas brasileiras foram registradas em 1997 (na Argentina) e 2015 (no Chile), obtendo o vice-campeonato em ambos.[8][9] Outro resultado expressivo da seleção brasileira registrou-se no sul-americano de 2014, então disputado no Peru, quando venceram os argentinos pela primeira vez neste esporte.[10][11]

O Brasil possui uma seleção feminina de críquete, cuja melhor campanha foi o título conquistado na competição continental de 2016, sediada no Rio de Janeiro.[12] Nas outras quatro disputas sul-americanas, as brasileiras foram vice-campeãs.[13][14][15][16][17]

Outras mídias[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Brasil, Cricket. «Our History - A brief history of cricket in Brazil». Cricket Brasil. Consultado em 16 de fevereiro de 2018. 
  2. «International Cricket Council». www.icc-cricket.com (em inglês). ICC - International Cricket Council. Consultado em 5 de agosto de 2018. 
  3. «Our members: Brazil». www.icc-cricket.com (em inglês). ICC - Internatioal Cricket Council. Consultado em 5 de agosto de 2018. 
  4. «Cricket For Change Wins More Awards». Cricket World. 28 de janeiro de 2010. Consultado em 5 de agosto de 2018. 
  5. «Jovens aprendem cricket em Poços de Caldas». G1 - Sul de Minas. Consultado em 16 de outubro de 2017. 
  6. Brasil, Cricket (18 de dezembro de 2014). «2014 Brazilian National T20 State Cricket Championship». Cricket Brasil (em inglês). Consultado em 5 de agosto de 2018. 
  7. «ICC Americas Division 3, Santiago, 2009». perucricket.com. Associación Peruana de Cricket | Cricket Peru. Consultado em 5 de agosto de 2018. 
  8. «2nd South American Championship, Buenos Aires, 1997». perucricket.com. Associación Peruana de Cricket | Cricket Peru. Consultado em 5 de agosto de 2018. 
  9. «12th South American Championship, Santiago, 2015». perucricket.com. Associación Peruana de Cricket | Cricket Peru. Consultado em 5 de agosto de 2018. 
  10. Statz, Cricket (20 de abril de 2014). «Brasil vs Argentina - South American Championship Peru 2014» (PDF). Consultado em 5 de agosto de 2018. 
  11. «CricHQ - Making cricket even better». CricHQ (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2017. 
  12. «Cricket South America Women's Championship, Rio de Janeiro, 2016 «  Cricket Peru». perucricket.com. Associación Peruana de Cricket | Cricket Peru. Consultado em 5 de agosto de 2018. 
  13. «Cricket South America Womens Championship, Brasilia, 2011». perucricket.com. Associación Peruana de Cricket | Cricket Peru. Consultado em 5 de agosto de 2018. 
  14. «Cricket South America Women's Championship, Lima, 2014». perucricket.com. Associación Peruana de Cricket | Cricket Peru. Consultado em 5 de agosto de 2018. 
  15. «Cricket South America Women's Championship, Santiago, 2015». perucricket.com. Associación Peruana de Cricket | Cricket Peru. Consultado em 5 de agosto de 2018. 
  16. «Cricket South America Women's Championship, Buenos Aires, 2017». perucricket.com. Associación Peruana de Cricket | Cricket Peru. Consultado em 5 de agosto de 2018. 
  17. Brasil, Cricket (24 de outubro de 2017). «Seleção Feminina de Cricket é Vice Campeã em WSAC Buenos Aires». Cricket Brasil. Consultado em 5 de agosto de 2018. 
  18. «Ator Rafael Cardoso tem aulas de críquete para a novela 'Lado a Lado'». globoesporte.com. 16 de setembro de 2012. Consultado em 16 de fevereiro de 2018. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre esporte/desporto é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.