Associação Brasileira de Cricket

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, podendo ainda necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
Associação Brasileira de Cricket
Fundação 2001
Sede Brasília, Distrito Federal
Filiação ICC em 2002
Presidente Lawrence Webster

A Associação Brasileira de Cricket (ABC) é a entidade que regula o críquete em solo brasileiro. Foi fundada em 2001 e filiou-se ao Conselho Internacional de Críquete em 2002. O primeiro presidente da entidade foi John Nicholas Landers, que acabou sendo sucedido por Ian Lawrence Webster em 2007.

História[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Críquete

O cricket surgiu no país via negócios entre o Brasil e a Inglaterra, especialmente na construção de ferrovias. Os ingleses que chegaram no Brasil trouxeram sua cultura e costumes, sendo este desporto parte disto. Alguns historiadores afirmam que o cricket veio ao Brasil em 1872, quando foi fundado o Rio Cricket e Associação Atlética. Além do Rio Cricket, foram fundados outros clubes como: São Paulo Athletic Club em 1888 e Clube Internacional de Cricket em 1899, assim como o Cricket Club Victoria (que hoje é o famoso Esporte Clube Vitória), ambos de Salvador.

O cricket não chegou a ser popularizado, e os antigos clubes abandonaram a prática do esporte em função de outros mais populares, como o futebol, que chegou ao Brasil no final do Século XIX, que alcançou grande patamar de popularidade ainda no começo do Século XX. Infelizmente, por causa disso o Brasil ficou sem uma entidade que cuidasse do cricket no país.

Em 2001 nasceu a ABC, visando revigorar a modalidade no Brasil. Todavia, a entidade contabiliza poucos praticantes do esporte no país, sendo a maioria deles de jogadores estrangeiros naturalizados ou ainda em processo de naturalização.

A Associação Brasileira de Cricket conseguiu um patrocínio no valor de 3 milhões de reais com o banco HSBC, válido por cinco anos de contrato. Anteriormente, a associação fora patrocinada pela montadora inglesa de carros esportivos Land Rover, que durou até 2011. Além do HSBC, a ABC foi patrocinada pela Renuka e pela Cultura Inglesa. Esperava-se que o desporto entrasse no programa dos Jogos Olímpicos de 2020, o que faria ele receber verba do COB a partir do ano de 2016, fato este que acabou não ocorrendo

Recentemente, a Associação Brasileira de Cricket mudou seu patrocínio, após o fim do contrato com o banco HSBC. Agora, o críquete brasileiro é patrocinado pela DME (Companhia de Energia Elétrica de Poços de Caldas) e pela indústria de materiais esportivos britânica Salix. Também possui parceria com a Cricket 4 Change, que é um órgão que visa desenvolver o lado social através do esporte.

Projetos de Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

A Associação Brasileira de Cricket tem uma série de projetos de desenvolvimento. O de maior destaque está concentrado na cidade de Poços de Caldas, no sul de Minas Gerais, que já é considerado um sucesso recebeu atenção da mídia local e tem atraído novos adeptos para a prática do esporte.[1] Inclusive, a notícia sobre o sucesso do projeto já foi divulgada na página do órgão máximo regulador do esporte, a ICC (International Cricket Council).

Competições[editar | editar código-fonte]

O Brasil participa de uma série de torneios a níveis de seleção. Contudo, a competição mais importante que o país disputa atualmente é o ICC Americas Championship, no qual já se sagrou uma vez campeão (ao disputar a Division 3 de 2009, vencendo seleções como Chile e Peru). O Brasil disputou esse torneio no ano de 2011 entre 10 e 17 de Abril, quando esteve na ICC Americas Championship Division 2 e acabou perdendo todos as cinco partidas que disputou, descendendo novamente à Division 3 do continente.

Depois disso o país disputou o torneio South American Championships de 2014, que era formado pelas seleções de críquete da Argentina, Brasil, Chile, México e Peru. A campanha da seleção brasileira foi de duas vitórias (contra o Peru e a Argentina, sendo a segunda inédita até então) e igual número de derrotas.[2]

Outras mídias[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Jovens aprendem cricket em Poços de Caldas - G1 Sul de Minas - Jornal da EPTV 1ª Edição - Catálogo de Vídeos, consultado em 16 de outubro de 2017 
  2. «CricHQ - Making cricket even better». CricHQ (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2017 
  3. «Ator Rafael Cardoso tem aulas de críquete para a novela 'Lado a Lado'». globoesporte.com 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre esporte/desporto é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.