Associação Empresarial de Portugal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sede e restaurante da Associação Empresarial de Portugal, no Porto

A AEP - Associação Empresarial de Portugal, Câmara de Comércio e Indústria, é uma associação multisectorial, de âmbito nacional, sedeada no Porto e fundada em 3 de maio de 1849 por José Vitorino Damásio e outros homens de negócio da região, com a designação de Associação Industrial Portuense.[1]

Para a AEP, a gestão do relacionamento com os seus parceiros estratégicos assenta numa visão de longo prazo, de criação de valor. Para tal, desenvolve um conjunto de acções em prol do desenvolvimento, prestando serviços às empresas nos domínios das feiras e exposições, congressos, consultoria, formação profissional, missões empresariais, promoção de negócios e investimentos. A AEP está organizada segundo um modelo empresarial, constituído por unidades de negócio, capazes de servirem os seus associados e a economia nacional. Dentre as instituições que compõem o chamado Grupo AEP temos:

  • AEP Formação
  • AEP Internacionalização
  • AEP Projetos
  • Católica Porto Business School
  • Cesae - Centro de Serviços e Apoio às Empresas
  • EEN - Enterprise Europe Network
  • Exponor - Feira Internacional do Porto
  • Exponor Brasil
  • Fundação AEP
  • Parque-Invest - Sociedade Promotora de Parques Industriais, S.A.

José Paulo Sá Fernandes Nunes de Almeida é o actual Presidente da AEP, eleito para o triénio 2014-2017.

A AEP foi agraciada com os graus de Membro Honorário da Ordem do Infante D. Henrique (03/01/1990), da Ordem de Mérito Agrícola e Industrial - Classe Industrial (03/09/1979) e da Ordem do Mérito Empresarial (24/09/1999)[2].

História[editar | editar código-fonte]

Em 1838 foram publicados os estatutos da Associação Artista e Industrial da Cidade do Porto, que pretendendo agregar todos os fabricantes , manufatores e artistas residentes no distrito do Porto, nunca viriam a obter aprovação régia, não só pela debilidade do tecido industrial e da forte oposição da Associação Comercial do Porto, como por sucessivos entraves governamentais durante cerca de onze anos. A AEP foi fundada em 3 de maio de 1849 com o objectivo de desenvolver e aperfeiçoar a indústria, instruir e educar as classes laboriosas, introduzir entre nós auxílio mútuo e o melhoramento da condição dos operários e todas as vantagens legaes que a indústria possa obter d'uma tal reunião, vendo aprovados os seus estatutos três anos mais tarde, em 24 de agosto de 1852 .

Em 1852 começa a publicar o Jornal da Associação Industrial Portuense, com vincado pendor técnico e científico. No mesmo ano funda a Escola Industrial Portuense, o primeiro estabelecimento de ensino técnico em Portugal. No entanto, no seu início de atividade, a ação da AEP não se confinou a informação formação profissional, dedicando-se também a outros grandes empreendimentos que ficaram profundamente ligados à história do Porto e da indústria portuguesa. São os casos, por exemplo, do papel determinante no desenvolvimento do ideal mutualista, na criação de algumas instituições bancárias e no lançamento de feiras e exposições industriais. Em 1854, cria a Caixa de Socorros Mútuos, mais tarde designada Caixa de Crédito Portuense. No âmbito da atividade financeira, a AEP apoiou ainda a criação do Banco Aliança (o futuro Banco Totta & Açores) e de um banco hipotecário (o futuro Crédito Predial Português), ambos integrados atualmente no Banco Santander Totta. Ainda nos seus primeiros anos de existência, a AEP teve um capítulo histórico no âmbito da organização de feiras industriais, inaugurando na sua sede, em 1856, a primeira exposição permanente. Estes primeiros certames funcionaram como um excelente ensaio para a grande exposição de 1861, inaugurada no Palácio da Bolsa pelo rei D. Pedro V.[3]

Gestão[editar | editar código-fonte]

Presidentes da Direcção[editar | editar código-fonte]

Lista de Presidentes da Direcção da Associação Industrial Portuense / Associação Empresarial de Portugal:

# Nome Mandato
1 Joaquim Ribeiro de Faria Guimarães 1852-1854
2 José Frutuoso Aires de Gouveia Osório 1854-1855
3 José Vitorino Damásio 1855-1856
4 José da Silva Passos 1856-1858
5 António Bernardo Ferreira 1859-1867
6 Vicente Ferreira Pacheco 1868-1871
7 Tomás António de Araújo Lobo 1872-1890
8 Jacinto da Silva Pereira da Magalhães (1.º mandato) 1891-1893
9 Adolfo da Cunha Pimentel 1893-1895
10 Jacinto da Silva Pereira da Magalhães (2.º mandato) 1896-1897
11 António Manuel Lopes Vieira de Castro 1897
12 Francisco José Nogueira 1897-1898
13 Alfredo da Fonseca Meneres 1898-1899
14 Diogo José Cabral 1899
15 António José Gomes Samagaio 1899-1901
16 António Alves Calem Júnior 1901-1903
17 António Francisco Nogueira 1903-1908
18 António da Silva Marinho 1908-1910
19 Henrique Carvalho de Assunção 1910
20 Félix Fernandes de Torres 1910-1914
21 Francisco Xavier Esteves (1.º mandato) 1914-1917
22 Luís Firmino de Oliveira 1917-1918
23 Francisco Xavier Esteves (2.º mandato) 1919-1937
24 Mário de Sousa Drumond Borges 1937-1974
25 Francisco de Nápoles Ferraz de Almeida e Sousa 1974-1982
26 Jorge Adolfo Quintela de Almeida Ferreirinha 1982-1984
27 António Luís Amorim Martins 1984-1985
28 Ângelo Ludgero da Silva Marques 1985-2008
29 José António Ferreira de Barros 2008-2014
30 José Paulo Sá Fernandes Nunes de Almeida desde 2014

COMPRO o que é nosso[editar | editar código-fonte]

A projeto da Associação Empresarial de Portugal COMPRO o que é nosso, apelando à consciência cívica de consumidores, empresários e trabalhadores, teve como principais objectivos sensibilizar os compradores para a compra de produtos produzidos em território Português, dinamizando a economia Portuguesa e tornando-a mais competitiva. Esta campanha alertou igualmente para a importância de comprar produtos Portugueses, visto que a produção industrial em Portugal emprega um número significativo de trabalhadores.[4] O sucesso deste projeto de cidadania foi reconhecido pelo Governo da República Portuguesa, que em 2011 o transformou no programa Portugal Sou Eu.[5]

Referências

  1. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Estrangeiras». Resultado da busca de "Associação Industrial Portuense". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 11 de setembro de 2015 
  2. http://www.ordens.presidencia.pt/
  3. Sousa, Fernando de e ALVES, Jorge Fernandes, Associação Industrial Portuense - Para a História do Associativismo Empresarial, Associação Industrial Portuense, Porto, 1996
  4. «Objectivos da campanha COMPRO o que é nosso». compronosso.pt/. Consultado em 9 de Setembro de 2011 
  5. «Portugal Sou Eu». Consultado em 2 de julho de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]