Palácio da Bolsa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Palácio da Bolsa
Estilo dominante Neoclássico
Arquiteto Joaquim da Costa Lima (1841-1860); Gustavo Adolfo Gonçalves de Sousa (1860-1879); Tomás Soller (1879-1883); José Macedo de Araújo Júnior (1883-1890); Joel da Silva Pereira (1894-1899); José Marques da Silva (1900-1910)
Início da construção 1842 (primeira pedra)
1862 (Salão Árabe)
Inauguração 1848 (ainda por concluir)
1880 (Salão Árabe)
Proprietário inicial Associação Comercial do Porto
Função inicial Administrativa e financeira (bolsa)
Função atual Administrativa e cultural
Visitantes 250 000 (2014)
Website palaciodabolsa.pt
Património Nacional
Classificação  Monumento Nacional
Ano 1982
DGPC 70402
SIPA 5527
Geografia
País Portugal
Cidade Porto
Coordenadas 41° 8' 29" N 8° 36' 55" O
Localização em mapa dinâmico
palácio da bolsa

O Palácio da Bolsa, ou Palácio da Associação Comercial do Porto, na cidade do Porto, em Portugal, começou a ser construído em Outubro de 1842, em virtude do encerramento da Casa da Bolsa do Comércio, o que obrigou temporariamente os comerciantes portuenses a discutirem os seus negócios na Rua dos Ingleses, em pleno ar livre.

Com uma mistura de estilos arquitectónicos o edifício apresenta em todo o seu esplendor, traços do neoclássico oitocentista, arquitectura toscana, assim como o neopaladiano inglês. Nas ainda por dentro e revestido a ouro.

Sede da Associação Comercial do Porto, serve agora para os mais diversos eventos culturais, sociais e políticos da cidade. O Salão Árabe detém o maior destaque de todas as salas do palácio devido, como o nome indica, a estuques do século XIX legendados a ouro com caracteres arábicos que preenchem as paredes e tecto da sala. É neste salão que tem lugar as homenagens a chefes-de-estado que visitam a cidade.

Na Sala dos Retratos encontra-se uma famosa mesa do entalhador Zeferino José Pinto que levou três anos a ser construída, revelando-se um "exemplar altamente qualificado em todas as exposições internacionais a que concorreu".

Visitas turísticas[editar | editar código-fonte]

O Palácio da Bolsa está aberto para Visitas turísticas pagas, sendo um dos edifícios patrimoniais mais procurados da cidade do Porto.

  • 2013 - Em 2013, mais de 220 mil turistas escolheram o Palácio da Bolsa como local de paragem obrigatória. Foram sobretudo estrangeiros, provenientes de França, Espanha, Alemanha e Brasil, mas também Tailândia, Indonésia, Malásia ou Singapura totalizando mais de 40 países.

O número de visitantes portugueses (perto de 29 mil) foi ultrapassado pelos franceses (que passaram os 46 mil) em 2013.[1]

  • 2014 - Em 2014, o monumento reuniu mais de 250 mil turistas, o que representa um acréscimo de 15% face ao ano de 2013. O palácio foi sobretudo visitado por turistas estrangeiros, com destaque para os oriundos de França, Espanha, Alemanha, Brasil e Itália, representando os portugueses cerca de um quarto das presenças.

O número de visitantes portugueses, que ultrapassou os 68 mil, registou um crescimento de 146% face aos 27 mil do ano anterior, ultrapassando os franceses (37 mil) e os espanhóis (30 mil) no ‘ranking’ dos países de origem dos turistas que visitaram o palácio.

Galeria de fotos[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Palácio da Bolsa
Ícone de esboço Este artigo sobre Património, integrado no Projecto Grande Porto é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.