Farol da Senhora da Luz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Farol da Senhora da Luz
Farol da Senhora da Luz novo.JPG
Informação geral
Coordenadas 41° 9′ N 8° 40′ W
Sítio Porto
Localização Porto, Portugal Portugal
País Portugal
Altitude 53[1] m
Corpo de água oceano Atlântico
Ótica original lentes de Fresnel 4ª ordem
Luz característica Fl W 5s
Alcance 38 milhas náuticas
Altura 15
Altura focal 53 metros
Entrada em serviço 1761
Desativação 1926/7 ou 1945
Construção século XVII (1.ª instalação)

O Farol da Senhora da Luz, é um farol português, já desactivado, classificado como Imóvel de Interesse Municipal (IIM),[2] que se localiza no Monte da Luz, lugar privilegiado, cuja vista se estende da barra do Douro até Espinho, na freguesia da Foz do Douro, cidade do Porto.

O farol era constituído por uma pequena torre hexagonal no cimo de um torreão quadrangular no lado Oeste de um edifício de dois andares, encimado por uma lanterna verde, hoje já retirada e substituída por um telhado.[3]

Foi construído junto da Ermida da Senhora da Luz, à época existente no mesmo local.

Parece seguro afirmar-se que este foi o primeiro farol propriamente dito que existiu na costa Portuguesa.[4][5]

No afloramento granítico foram recentemente descobertas um conjunto de gravuras rupestres.

História[editar | editar código-fonte]

Brasão de Armas

O Farol da Senhora da Luz, existiria já desde os finais do século XVII, mantido pela boa vontade da confraria do mesmo nome.[6]

Em 1758, 1 de Fevereiro, por alvará do Marquês de Pombal é determinada a construção de um farol devido as dificuldades de entrada no Rio Douro.[7]

Em 1761 estava construído e já dotado de uma estrutura capaz de lhe granjear a designação de farol, sendo assim, o primeiro farol que existiu na costa portuguesa.[4][5][6]

Em 1814 foi destruído por um raio, mas foi recuperado e sucessivamente modernizado.[6]

Em 1865 foi substituído o antigo aparelho com candeeiros de Argand e reflectores parabólicos, por uma óptica de Fresnel de 4ª ordem.[4]

Em 1913, 18 de Dezembro, é iniciada uma modernização deste farol, o qual passa a emitir clarões de cinco em cinco segundos, com o alcance de trinta e oito milhas, tendo dirigido estas obras de beneficiação o oficial de Marinha A. Newparth.[7]

Quanto à data da sua desactivação, há algumas divergências. Segundo a Marinha Portuguesa, terá sido desactivado em 1926, devido à entrada em funcionamento do Farol de Leça,[4][5] indicando J. Teixeira de Aguilar, o ano de 1927, pelas mesmas razões,[6] já o IPPAR e o IHRU indicam o ano de 1945 como o ano da sua desactivação, devido às obras de modernização do Farolim de Felgueiras.[7][8]

Torre Octogonal

Torre octogonal[editar | editar código-fonte]

Afastado deste cerca de cinco metros existe uma pequena torre octogonal, de dois pisos, em alvenaria revestia a reboco caiado de branco, com cinco metros de altura. Possui uma pequena e íngreme escada exterior em pedra, com guardas de ferro.[8]

Informações[editar | editar código-fonte]

  • Operacional: Farol histórico
  • Acesso: R. do Monte da Luz
  • Aberto ao público: Só área envolvente
  • Classificação: IIM - Imóvel de Interesse Municipal
  • Outras designações: Farol de Nossa Senhora da Luz, Farol da Luz, Farol do Monte da Luz.
  • IPA: PT011312050080

Referências

  1. José Alberto V. Rio Fernandes (1987). «A Foz» (PDF). Revista da Faculdade de Letras. Geografia. Universidade do Porto. Faculdade de Letras, ed. com. p. 24. Consultado em 28 de Março de 2009. 
  2. «Ministério da Cultura,D.L. 2/1996 de 6 de Março» (PDF). Diário da República 
  3. Reimar (15 de Abril de 2008). «Faróis». Navios e Navegadores. Consultado em 28 de Março de 2009. 
  4. a b c d «Farol de Leça». Revista da Armada. Marinha de Guerra Portuguesa. Março de 2005. Consultado em 24 de Março de 2009. 
  5. a b c Portugal. Ministério da Marinha. Direcção de Faróis (2005). Faróis de Portugal 2ª ed. Lisboa: Ciência Viva. 110 páginas. ISBN 972-97805-9-5 
  6. a b c d Aguilar, J. Teixeira de, 1945-; Nascimento, José Carlos Nascimento, fotogr.; Santandreu, Roberto, 1948-, fotogr (2005). Onde a Terra Acaba. História dos Faróis Portugueses 2ª ed. Lisboa: Pandora. 324 páginas. ISBN 972-8247-03-6 
  7. a b c AAM. «Farol da Senhora da Luz». Biblioteca Geral. Instituto Português do Património Arquitectónico. Consultado em 28 de Março de 2009. 
  8. a b Sereno,Isabel / Leão, Miguel (1994). «Farol da Senhora da Luz». SIPA. Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana. Consultado em 28 de Março de 2009. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Farol da Senhora da Luz
Ícone de esboço Este artigo sobre Património, integrado no Projecto Grande Porto é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.