Farol do Cabo de São Vicente

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Farol do Cabo de São Vicente
Localização Vila do Bispo,  Portugal
Coordenadas 37° 1′ N 8° 59′ W
Construção século XVI (1.ª instalação)
Inauguração 1846 (torre actual)
Automatização 1982
Altura 28 m
Altitude 86 m
Ótica hiper-radiante de Fresnel
Alcance luminoso 32 milhas náuticas
Luz característica Fl W 5s
№ nacional 436
internacional D-2168
№ da NGA 113-3616[1]
№ da ARLHS POR-012

Farol do Cabo de São Vicente é um farol português que se localiza no Cabo de São Vicente, na fortaleza de mesmo nome, freguesia de Sagres, concelho de Vila do Bispo, Algarve.

Trata-se de uma torre cilíndrica em cantaria, com edifício anexo, tem 28 metros de altura. Lanterna e varandim vermelhos.

História[editar | editar código-fonte]

O farol do Cabo São Vicente ou Farol de D. Fernando, foi mandado erigir por D. Maria II, tendo entrado em funcionamento em Outubro de 1846. Era iluminado a azeite e o carácter da luz era de dois clarões de dois segundos a cada dois minutos de período, sendo que o alcance luminoso rondava as seis milhas náuticas.

O farol foi, depois, votado ao abandono por vários anos, atingindo um estado de quase ruína.

Em 1897, devido ao estado precário do farol e do pouco rendimento da sua luz, iniciaram-se os trabalhos de remodelação. Assim, a torre foi aumentada em 5,70 metros e o aparelho óptico inicial foi substituído por um novo, mais avançado. As obras duraram 11 anos e em 1908 o farol começou a trabalhar com um novo aparelho, hiper-radiante. «Com efeito, foi instalado um aparelho lenticular de Fresnel de 1330 milímetros de distância focal – o que lhe confere a categoria de hiper-radiante, actualmente a maior óptica que existe nos faróis portugueses e um dos dez maiores do mundo, consistindo em três painéis ópticos de oito metros quadrados com 3,58 metros de altura, flutuando em 313 quilogramas de mercúrio. A fonte luminosa instalada, era um candeeiro de nível constante de cinco torcidas, passando, anos mais tarde, a funcionar com a incandescência pelo vapor de petróleo. A rotação da óptica era conseguida através de um mecanismo de relojoaria.» O farol passou então a ter um período de 15 segundos e 5 relâmpagos. O alcance luminoso rondava as 33 milhas.

Em 1914 foi instalado um sinal sonoro e em 1926 foram instalados motores-geradores para permitir a substituição da lanterna a vapor de petróleo por uma lâmpada eléctrica. Dadas as exigências da Segunda Guerra Mundial, em 1947 foram-lhe instalados painéis deflectores, tornando-se, assim, num farol aeromarítimo e em 1948 foi ligado à rede pública de energia eléctrica. Um ano depois, foi instalado em rádio farol que funcionou até 2001. Em 1982 foi automatizado e tornou-se controlador do Farol de Sagres.

Cronologia[editar | editar código-fonte]

  • 1520 - Indícios da existência de um farol rudimentar numa torre especial do convento existente no Cabo de São Vicente.
  • 1521-1557 - Ordenada a construção de torre mais avantajada por D. João III, para defesa de ataques de soldados e marujos luteranos.
  • 1587 - Destruição da torre no ataque do corsário Francis Drake.
  • 1606 - Reacendimento do farol, após restauração da torre, ordenada por D. Filipe II de Portugal.
  • 1835 - Ordenada a reconstrução por D. Maria II.
  • 1846 - Inauguração do actual Farol de D. Fernando.
  • 1865 - Registo do estado deplorável do farol.
  • 1897 - Inicio de obras de beneficiação, com o alteamento da torre em 5,7 metros.
  • 1908 - Reacendimento do farol tendo instalado um aparelho lenticular de Fresnel hiper-radiante com 1330 mm de distância focal.
  • 1914 - Instalação de sinal sonoro.
  • 1926 - Electrificação, com alimentação por geradores.
  • 1947 - Passou a farol aeromarítimo com a aplicação de painéis deflectores.
  • 1948 - Alimentação com energia da rede pública.
  • 1949 - Instalado um radiofarol, activo até 2001.
  • 1982 - Automatização e telecontrolo do Farol de Sagres.
  • 2001 - Instalação de autómato programável para rotação da óptica.

Informações[editar | editar código-fonte]

  • Aberto ao público: Sim, todas as quartas-feiras das 14H00 às 17H00[2]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Farol do Cabo de São Vicente

Referências

  1. «Cabo De Sao Vicente». NGA List of Lights - Pub. 113 - Aid No. 3616 (em inglês). NGA - National Geospatial-Intelligence Agency. 26 de setembro de 2009. Consultado em 31 de agosto de 2010 
  2. «Faróis abrem ao público todas as quartas-feiras». Marinha. 19 de novembro de 2011. Consultado em 23 de julho de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um farol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.