Atlas Brasil Cantanhede

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Atlas Cantanhede
Replace this image male.png
Atlas Cantanhede
Deputado federal por Roraima
Período 1967-1969
Dados pessoais
Nascimento 13 de maio de 1919
Boa Vista, RR
Morte 19 de fevereiro de 1973 (53 anos)
Itacoatiara, AM
Cônjuge Carmelita Ireng (1ª vez)
Vitória Cantanhede (2ª vez)
Partido ARENA
Profissão piloto, pecuarista

Atlas Brasil Cantanhede (Boa Vista, RR, 13 de maio de 1919Itacoatiara, AM, 19 de fevereiro de 1973)[nota 1] foi um piloto, pecuarista e político brasileiro que foi deputado federal por Roraima.[1][2][3]

Dados biográficos[editar | editar código-fonte]

Filho de Antônio de Jesus Cantanhede e Leonília Brasil Cantanhede. Pecuarista e aviador civil, candidatou-se a deputado federal pela UDN em 1965 para preencher a vaga aberta com as cassações de Gilberto Mestrinho e Félix Valois pelo Ato Institucional Número Um baixado no princípio do Regime Militar de 1964,[4][5] mas foi derrotado por Francisco Elesbão.[nota 2][nota 3] Elegeu-se deputado federal pela ARENA de Roraima em 1966, porém foi cassado via Ato Institucional Número Cinco em 7 de fevereiro de 1969.[6][7][nota 4] Afastado da política, passou a trabalhar em Manaus no setor de táxi-aéreo.[2] Morreu quando o Cessna PT-ANZ em que estava caiu no Rio Amazonas numa região conhecida como "Varre Vento" quando o avião seguia rumo a Itacoatiara, incidente que vitimou também o piloto Einer Encarnação.[8]

Coincidentemente, desapareceu no dia em que inauguraram o Aeroporto Internacional de Boa Vista, batizado em sua homenagem em 2009.[9][10]

Notas

  1. Data presumida do acidente aéreo que o vitimou.
  2. Durante mais de trinta anos Roraima teve apenas um deputado federal como seu representante e nesse período a eleição do titular importava a do suplente com ele registrado.
  3. Em 6 de junho de 1965, Francisco Elesbão e Sílvio Botelho (UDN) somaram 2.663 votos contra 1.688 de Atlas Cantanhede e Ubirajara Evangelista de Pinho (PSD) com 54 votos em branco e 55 nulos, conforme o repositório do TSE. No ano seguinte Atlas Cantanhede (ARENA 2) venceu Francisco Elesbão (ARENA 1) na luta pela vaga.
  4. O artigo 4º § único do referido ato proibia a convocação de suplentes, razão pela qual não efetivaram Ubirajara Evangelista de Pinho. A cadeira parlamentar em questão ficou vaga até a eleição de Sílvio Botelho em 1970.

Referências

  1. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Atlas Cantanhede». Consultado em 29 de junho de 2019 
  2. a b «Biografia de Atlas Cantanhede no CPDOC/FGV». Consultado em 29 de junho de 2019 
  3. «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 29 de junho de 2019 
  4. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Gilberto Mestrinho». Consultado em 29 de junho de 2019 
  5. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Félix Valois». Consultado em 29 de junho de 2019 
  6. «BRASIL. Presidência da República: Ato Institucional Número Cinco de 13/12/1968». Consultado em 29 de junho de 2019 
  7. Govêrno (sic) pune 43 e presidente afirma que ainda examinará novos processos (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 17/01/1969. Primeiro caderno, p. 03. Página visitada em 29 de junho de 2019.
  8. «Ex-deputado federal entre as vítimas do cessna desaparecido (online). Jornal do Comércio, Manaus (AM), 25/02/1973. Primeiro caderno, p. 05.». Consultado em 20 de junho de 2019 
  9. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 11.920 de 09/04/2009». Consultado em 29 de junho de 2019 
  10. «Página do Aeroporto Internacional de Boa Vista». Consultado em 29 de junho de 2019