Aureliano de Figueiredo Pinto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Aureliano de Figueiredo Pinto (Tupanciretã, 1º de agosto de 1898Santiago do Boqueirão, 22 de fevereiro de 1959) foi um médico, jornalista, poeta, historiador e escritor brasileiro.

Descendente dos Figueiredo Paz e dos Pinto, nasceu na estância São Domingos ( antiga estância jesuítica), no município gaúcho de Tupanciretã, filho de Domingos Hipólito Pinto (filho do Coronel José Hipólito Pinto) e Marfiza de Figueiredo Pinto (filha do Coronel Aureliano de Figueiredo Paz.[1][2] Iniciou seus estudos no Ginásio Santa Maria, terminando no Colégio Júlio de Castilhos, em Porto Alegre.[2]

Fez os dois primeiros anos de medicina, no Rio de Janeiro, mas formou-se na Faculdade de Medicina de Porto Alegre, em 1931.[2] Tomou parte ativa na Revolução de 1930, acompanhando como capitão-médico o primeiro piquete a entrar em Itararé. Casou-se com Zilá Lopes, com quem teve três filhos - José Antônio, Laura e Nuno Renan.[2][3] Formado estabeleceu-se em Santiago do Boqueirão, onde residiu pelo resto da vida.[2]

Colaborou com a Revista Kodak, com poesias líricas e simbolistas, também com a Ilustração Pelotense.[2] Assinava suas obras com o pseudônimo Júlio Sérgio de Castro ou J.S. de C..[2]

Obras[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. PEREIRA, Cláudio Nunes. Genealogia tropeira. Rio Grande do Sul. Séculos XIX e XX. Vol II, 2004; p.207
  2. a b c d e f g SPALDING, Walter. Construtores do Rio Grande. Livraria Sulina, Porto Alegre, 1969, 3 vol., 840pp.
  3. a b c Missioneiros. Aureliano de Figueiredo Pinto

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um poeta ou uma poetisa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.