Baanes, o Apóstata

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outras pessoas de mesmo nome, veja Baanes.
Baanes Mamicônio
Morte entre 374-378
Etnia Armênio
Progenitores Pai: Amazaspes (?)
Artavasdes II (?)
Cônjuge Hormisdaces
Filho(s) Samuel, o Parricida
Ocupação General
Religião

Baanes Mamicônio (em armênio/arménio: Վահան Մամիկոնյան; transl.: Vahan Mamikonian), dito o Apóstata, foi senhor armênio e pertenceu à família Mamicônio, assassinado entre 374-378. Para Christian Settipani, era filho de Amazaspes, filho de Artavasdes I;[1] para Cyril Toumanoff era filho de Artavasdes II.[2] De todo modo, era irmão mais novo de Bassaces I e Bardanes I.

Vida[editar | editar código-fonte]

Dinar de ouro de Sapor II (r. 309–379)

Seu irmão Bassaces apoiou a aliança com os romanos enquanto Bardanes apoiou a aliança com os persas. Quando o rei Ársaces II (r. 350–368) matou Bardanes, foi à corte do Sapor II (r. 309–379) em Ctesifonte, converteu-se ao zoroastrismo e se casou com a irmã dele. Após a morte de Bassaces, torturado em 365 por Sapor II, este invadiu a Armênia, devastando e pilhando o país e deixando guarnições persas nas grandes cidades.[3]

Meruzanes I Arcruni ajudou-o a impor o zoroastrismo e ele não hesitou em matar sua irmã Amazaspa, esposa de Garegino II Restuni, que se recusou a apostatar. Ele, em seguida, saqueou a cidade de e deportou as populações cristã e judaica.[3] Segundo Moisés de Corene, também sitiou a rainha Faranjem em Artogerassa.[4] Cometeu muitos excessos e despertou tanto ódio que foi assassinato por seu filho Samuel.[3] Noel Lenski pensa que o Arrabanes citado por Amiano Marcelino pode ser associado a Baanes.[5]

Posteridade[editar | editar código-fonte]

Baanes casou-se com Hormisdaces, irmã de Sapor II, que deu à luz um filho, Samuel, o Parricida.[1][2]

Referências

  1. a b Settipani 2006, p. 131-132.
  2. a b Toumanoff 1990, p. 329-330.
  3. a b c Grousset 1947, p. 141-145.
  4. Moisés de Corene 1978, p. 292-293.
  5. Lenski 2003, p. 171.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Grousset, René (1947). História da Armênia das origens à 1071. Paris: Payot 
  • Lenski, Noel Emmanuel (2003). Failure of Empire: Valens and the Roman State in the Fourth Century A.D. Berkeley e Los Angeles: California University Press. ISBN 978-0-520-23332-4 
  • Moisés de Corene (1978). Thomson, Robert W., ed. History of the Armenians. Cambrígia, Massachusetts; Londres: Harvard University Press 
  • Settipani, Christian (2006). Continuidade das elites em Bizâncio durante a idade das trevas. Os príncipes caucasianos do império dos séculos VI ao IX. Paris: de Boccard. ISBN 978-2-7018-0226-8 
  • Toumanoff, Cyril (1990). Les dynasties de la Caucasie chrétienne de l'Antiquité jusqu'au xixe siècle : Tables généalogiques et chronologiques. Roma: Edizioni Aquila