Bartolomeu Costa Cabral

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Bartolomeu Costa Cabral
Bartolomeu Costa Cabral, 2012
Nascimento 1929
Lisboa
Nacionalidade português
Ocupação Arquiteto
Prémios Menção Honrosa, Prémio Valmor e Municipal de Arquitetura 2009; 2º Prémio de Arquitetura, II Exposição de Artes Plásticas da Fundação Calouste Gulbenkian, 1961.

Bartolomeu Costa Cabral (Lisboa, 8 de Fevereiro de 1929 — ), é um arquiteto português. É considerado como uma das figuras marcantes da viragem do movimento moderno da arquitetura portuguesa.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Bloco das Águas Livres, Lisboa

Bartolomeu Costa Cabral nasceu a 8 de Fevereiro de 1929 em Lisboa. Em 1957 diplomou-se na Escola Superior de Belas Artes de Lisboa onde, mais tarde, viria a exercer atividade docente (1968-1970).[2] Estagiou por diversas vezes em Portugal e no estrangeiro – Centre Scientifique et Technique du Batîment, Paris, 1962; Greater London Council, Londres, 1965; Laboratório Nacional de Engenharia Civil, Lisboa, 1967.

Iniciou atividade em 1956 no Gabinete de Urbanização do Plano Diretor de Lisboa (até 1959) e foi colaborador no ateliê de Nuno Teotónio Pereira (1950-1958). Foi arquiteto da Federação de Caixas de Previdência / habitações económicas (c. 1960-1963); trabalhou em associação com Nuno Teotónio Pereira e Nuno Portas (1958-1962); foi associado no gabinete de Planeamento e Arquitetura (1969-1996). Tem ateliê pessoal desde 1973.

No seu ateliê pessoal ou em associação com outros colegas, trabalhou em planeamento e desenvolveu inúmeros projetos de arquitetura (em diversas localidades do País), com particular incidência nos domínios da habitação e do ensino.[3]

Foi membro da Direção do Sindicato Nacional dos Arquitetos (1960-1965) e integrou a Direção da Secção Portuguesa da União Internacional de Arquitetos.[2]

Prémios e distinções[editar | editar código-fonte]

Venceu o 2.º Prémio no Concurso limitado "Estudo recuperação da zona costeira entre Boca do Inferno e Miradouro da Guia" (1985); Prémio anual de Arquitetura Raul Lino (Agência da CGD, Sintra – 1978); 2.º Prémio de Arquitetura, II Exposição de Artes Plásticas da Fundação Calouste Gulbenkian, 1961 (em associação com Nuno Teotónio Pereira).[2]

Foi-lhe atribuída uma Menção Honrosa, Prémio Valmor e Municipal de Arquitetura, 2009.[4]

Em 2011 a Ordem dos Arquitetos realizou uma Homenagem a Bartolomeu Costa Cabral por ocasião do Dia Nacional do Arquiteto e, em 2019, por iniciativa da Secção Regional Sul da Ordem dos Arquitetos, o Convento de Cristo em Tomar acolhe a exposição A Ética das Coisas - Bartolomeu Costa Cabral 1953-2012, onde é apresentada uma expressiva parte da sua obra.[5][1]

Algumas obras e projetos[editar | editar código-fonte]

  • 1953-1959 – Bloco das Águas Livres, Lisboa (em associação com Nuno Teotónio Pereira; classificado em 2012 como monumento de interesse público;[6] vencedor do 2ª prémio de arquitetura, II Exposição de Artes Plásticas da Fundação Calouste Gulbenkian, 1961[7]
  • 1960 – Escola Primária do Castelo, Lisboa.[2]
  • 1960 – Bairro da Chamusca (80 fogos). Em colaboração com Arqtº Croft Moura.[2]
  • 1961 – Conjunto de 600 fogos em Olivais Sul. Em colaboração com o Arqtº Nuno Portas.
  • 1963 – Conjunto de 300 fogos, Olivais Sul, (em associação com Nuno Teotónio Pereira).[2]
  • 1963 – Fábrica de Plásticos Meleças, Sintra. Prémio Raul Lino 1985.[2]
  • 1969 – Plano de ordenamento urbano e turístico do Sector IV no Algarve (GPA).
  • 1970 – Unidade de ordenamento UNOR I, integrado no Plano Director de Lisboa (GPA).
  • 1971 – Edifício sede da Sociedade Portuguesa de Autores, Lisboa (ateliê GPA).[2]
  • 1973 – Plano de Urbanização da Falagueira, na Amadora (GPA).
  • 1973 – Edifício de comércio e escritórios no Martim Moniz em Lisboa.[2]
  • 1973-93 – Universidade da Beira Interior (Covilhã) – Polo 1 (ateliê GPA).
  • 1975-95 – Plano de recuperação do Bairro do Pego Longo.
  • 1978 – Agência da Caixa Geral de Depósitos, Sintra.[2]
  • 1983 – Agência do Banco Nacional Ultramarino, Campo Maior.[2]
  • 1986 – Universidade do Minho / Núcleo de Guimarães (ateliê GPA).
  • 1986 – Escola Superior Agrária de Bragança(ateliê GPA).
  • 1988 – Escola Superior Agrária de Santarém (ateliê GPA).
  • 1988 – Escola Superior de Tecnologia de Tomar.
  • 1990 – Residência de Estudantes da Escola Superior de Tecnologia de Tomar.
  • 1990 – Ampliação da Galeria 111.
  • 1990-94 – Bloco Habitação Social de Pego Longo. Prémio INH 1995
  • 1991 – Pavilhão de Agro-Industrias, Agronomia e Civicultura Tropical do Instituto Superior de Agronomia.
  • 1992 – Edifício Sede da Liga de Protecção da Natureza.
  • 1993 – Mútua dos Pescadores - Pavilhão / escritórios.
  • 1995 – Projecto Integrado do Castelo / Recuperação da zona histórica / Zona C12.
  • 1995-99 – Bloco Pedagógico / Instituto Politécnico de Bragança.
  • 1996-01 – Faculdade de Engenharia / Universidade Católica Portuguesa / Campus de Sintra.
  • 1998 – Edifício de Engenharia (ampliação) / Universidade do Minho.
  • 1998-01 – Biblioteca Central / Universidade da Beira Interior.
  • 1998-02 – Estação da Quinta das Conchas do Metropolitano de Lisboa.
  • 2000-03 – Museu de Lanifícios / Universidade da Beira Interior.
  • 2000 – Zona Desportiva / Instituto Politécnico de Bragança.
  • 2001 – Edifício dos Serviços Centrais / Instituto Politécnico de Bragança.
  • 2003 – Moradia na Travessa da Oliveira à Estrela, Lisboa – Menção Honrosa, Prémio Valmor e Municipal de Arquitetura 2009.
  • 2004 – Moradia na Rua Ribeiro Sanches, Lisboa.
  • 2004 – Casa em Taipa, Beja.
  • 2006 – Estudo museográfico do Museu de Lanifícios / Universidade da Beira Interior.
  • 2006-08 – Área pastoril e Roda Hidráulica do Museu de Lanifícios / Universidade da Beira Interior.
  • 2007-09 – Unidade de apoio social Aldeia da Solidariedade, Albufeira.
  • 2009 – Restaurante Tartine, Lisboa

Bloco das Águas Livres, Lisboa[editar | editar código-fonte]

Sociedade Portuguesa de Autores, Lisboa[editar | editar código-fonte]

Moradia numa herdade em Beja[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Convento de Cristo recebe exposição retrospetiva do arquiteto Bartolomeu Costa Cabral». Vida Extra – Expresso. Consultado em 30 de junho de 2019 
  2. a b c d e f g h i j k A.A.V.V. – III Exposição de Artes Plásticas da Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1986
  3. «Ordem dos Arquitetos homenageia arquiteto Bartolomeu Costa Cabral». Construir, Jornal de Negócios da Indústria da Construção. Consultado em 28 de dezembro de 2012 
  4. «Prémios Valmor e Municipal de Arquitetura 2007, 2008 e 2009». Câmara Municipal de Lisboa. Consultado em 28 de dezembro de 2012 
  5. «Dia nacional do arquiteto 2011 – Homenagem a Bartolomeu Costa Cabral». Ordem dos Arquitetos. Consultado em 21 de março de 2015 
  6. Isabel Salema. «O prédio que simboliza a vida moderna lisboeta foi classificado». Jornal Público. Consultado em 28 de dezembro de 2012 
  7. A.A.V.V. – II Exposição de Artes Plásticas da Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1961

Ligações externas[editar | editar código-fonte]